Pesca Gerais

Vara de pesca Telescópica: Tipos, modelos e dicas de como escolher

homem sentado se preparando para pescar

Para realizar a melhor escolha de uma vara de pesca telescópica, você deverá considerar o local da pesca, quais peixes da região, tipo de pescaria e quais materiais compatíveis, deve utilizar: a vara, o tamanho da vara, a ação da vara (se é dura, média ou mole), tipo de linha, grossura da linha, tamanho do anzol, modelo de anzol, iscas… Todas essas opções estão disponíveis para se ter o melhor resultado.

Como tudo na vida evolui, a vara Telescópica é a evolução da velha vara de bambu que muitos pescadores raiz ainda usam.Mas a vara telescópica oferece inúmeras vantagens e muitos modelos para escolher.

Geralmente, todo bom pescador, tem várias varas telescópicas.

Exemplo:

  • Curta, média e longa.
  • Fibra de vidro, fibra mista ou de carbono.

Se tiver que escolher uma só, escolha aquela que atende a pescaria que mais pratica.

pescador com vara de pesca telescópica
Pescador Rogger Saito Babá utilizando uma vara telescópica durante a pescaria

Vara de pesca Telescópica e suas vantagens

A primeira vantagem é o transporte. Anteriormente a vara de bambu quando grande não cabia em um carro, criando transtorno na hora de ir pescar. A vara telescópica se desmonta encaixando um gomo dentro do outro ficando sempre com menos de um metro, sendo possível transportar no carro, na moto, bicicleta, mochila…

vara desmontada em gomos

A segunda vantagem é na hora de guardar a vara em casa. Como é telescópica, cabe em qualquer canto sem ocupar espaço. Imagine uma vara de bambu dentro de sua casa.

A terceira vantagem é a resistência. Como são fabricadas de diversos materiais como fibra de vidro, são muito resistentes mesmo que molhado. No caso da vara de bambu, se molhar, deixando dentro da água ou sob a chuva por algum tempo, sua resistência será afetada porque o bambu é uma madeira que encharca. Já a vara telescópica, podendo ser de qualquer material, se molhar não muda nada.

A quarta vantagem é o peso. As varas de fibra mista ou de carbono são muito leves. Bom para pescar o dia todo sem se cansar. Além de ser fácil manusear, arremessar, fisgar e brigar com o peixe.

Hoje, é possível encontrar as varas telescópicas em qualquer loja de pesca no País. Das varas modernas é a que tem o preço mais acessível.

Normalmente é o equipamento para aqueles que estão iniciando na pesca esportiva e começam tendo contato com todas as técnicas de pesca.

Com isso, a vara telescópica segue o mesmo conceito do jeito antigo de pesca, sendo uma opção prática e funcional para pescadores iniciantes além de ser muito vantajosa para pescadores experientes.

Proporciona a máxima esportividade na pesca de peixes pequenos e médios desde que usada corretamente.

Quais são os tipos de vara telescópica?

Para muitos só existem um tipo, mas para quem conhece, existem várias opções por se tratar de variações de detalhes que podem fazer toda diferença.

Colocando basicamente os tipos:

  • Vara telescópica ponta fina;
  • Ponta grossa;
  • Gomo longo com ponta fina;
  • Gomo longo com ponta grossa.

A variação da composição da vara diz muito em questão da vara como peso, flexibilidade e resistência, veremos logo mais.

vara de pesca telescópica amarela

A vara telescópica é interessante para qual tipo de pescaria?

A fim de que você conheça de fato esta opção, temos que levar em conta muitos fatores para esta modalidade, pois alguns fatores podem impossibilitar o seu uso.

A vara telescópica é mais utilizada em pescarias de barrancos em rios, represas, lagoas e pesqueiros, porem, é necessário fazer uma análise do local pelo pescador.

Sempre que chegar ao local da pesca, deve-se verificar a profundidade e distancia da água; a distância da vegetação com o ponto escolhido da pesca, pois podem impedir o trabalho da vara durante a briga com o peixe; a possibilidade de utilizar o suporte de vara; tamanho aproximado dos peixes e outros fatores para obter uma boa pescaria.

Como realizar a melhor escolha

Para definir a melhor vara telescópica, você deve considerar o tamanho e espécie do peixe, o material, o tamanho do gomo, o comprimento, flexibilidade e peso da vara. Entenda:

Tamanho e espécie do peixe:

Geralmente, a vara telescópica com ponta fina é indicada para peixes de até 3 kg aproximadamente, e a de gomo longo com ponta grossa já possibilita tirar peixes de até 5kg aproximadamente. Tudo vai depender da espécie do peixe e do comprimento da vara.

Cabe evidenciar que é utilizada na pesca de espécies como, por exemplo: lambaris, tilápias, piaus, pacus, carpas e muitos outros peixes. Algumas espécies podem chegar a tamanhos versos forças impossibilitando a pesca com vara telescópica comum.

O material da vara

As varas telescópicas são feitas de fibra de vidro, carbono, grafeno e misto. Assim, cada um conta com suas vantagens e desvantagens.

Atualmente a maioria das varas populares oferecidas em nosso mercado brasileiro é o misto de materiais, como exemplo: 60% fibra de vidro e 40% fibra de carbono, assim deixando a vara um pouco mais leve, com boa resistência e de custo aceitável.

No exterior já podemos encontrar outras variações como fibra de carbono transado, carbono com grafeno e outras variações.

E os materiais mais comuns são as fibras de carbono e vidro, porém iremos conhecer todos os tipos a seguir:

Fibra de vidro

Material de boa resistência, geralmente bem flexível, possibilita uma boa sensação de briga com o peixe com baixo risco de quebra desde que respeitando sua limitação.

É o mais pesado dos materiais, tem boa durabilidade, sendo indicada para peixes de pequeno e médio porte.

Fibra de carbono

As varas que chegam aqui no brasil são bem mais leves que as varas de fibra de vidro mantendo aproximadamente a mesma resistência, sabemos que este composto tem muitas variações que influenciam diretamente na ação, peso e resistência.

No exterior temos varas de fibra de carbono com muito mais resistência que uma vara de fibra de vidro.

No entanto, o maior problema deste material são os cuidados necessários, pois se desrespeitar um deles poderá se tornar frágil dando a sensação de fragilidade. Vamos aos detalhes:

  1. Envergadura/angulação, as varas fibra de carbono não tem a flexibilidade de uma fibra de vidro sendo assim evite a angulação maior que os 75º a 80º quando forçado, pois se o peixe der uma forçada quebrará um dos gomos da ponteira, o ideal é dar um ou mais passos para trás para conseguir trazer o peixe até perto do barranco assim quando levar a vara ao 90º não estar forçando.
  2. pequenas batidas, cuidado ao colocar a vara em algum apoio ou jogar no chão, pois qualquer batidinha na vara irá criar microfissuras que na hora que necessitar de exigir do equipamento, não terá toda resistência neste local e acabará partido com facilidade.
  3. calor, evite deixar a vara de carbono encostado em algo de metal ou de maior temperatura em dias quentes, pois se torna frágil neste local e se exigir da vara poderá quebrar nesse local.

Misto (fibra de carbono + fibra de vidro)

As varas mistas são atualmente as mais comercializadas aqui no Brasil, pois é mais leve que a de fibra de vidro e com uma resistência parecida, mas vale os cuidados. São iguais as de fibra de carbono.

Grafeno

Este material ainda pouco conhecido, porem temos a informação que é mais resistente, leve e flexível do que o carbono.

Isto é, a maioria dos materiais possuem suas vantagens e desvantagens, por isso, cabe a você analisar o seu tipo de pesca e definir o melhor material.

vara de pesca telescópica desmontada

Gomo da vara de pesca telescópica

Os tipos de gomos são: Curtos e longos. Essas são características importantes que você deve considerar para a escolha de sua vara telescópica.

Mas, quais são as diferenças?

De forma geral, a vara telescópica que possui gomo longo é mais resistente e consequentemente pelo tamanho o seu transporte se torna complicado. Porém é uma opção excelente na pescaria de peixes de médio e grande porte, principalmente porque a parte próxima à ponteira é mais robusta, lógico que o grande porte não é igual às de molinete e carretilha, deve-se respeitar que é uma vara telescópica.

De outro modo, a vara com gomo curto oferece facilidade no transporte e é mais interessante para a captura de peixes menores.

Resumo, quer mais resistência, as varas de gomo longos levam vantagens, porém o pescador esportivo leva em conta, utilizar o equipamento equilibrado de acordo com a espécie e tamanhos dos peixes do local.

Comprimento da vara telescópica

A grande maioria dos modelos mede em torno de 2,10 a 4,5 metros. Entretanto é possível encontrar modelos de 1,80 e outros com até mesmo com mais de 10 metros.

Para escolher o comprimento da sua vara você deverá considerar em seu local de pesca algumas características como profundidade, altura/distância de objetos próximos, lugar para fincar o suporte de vara, caso necessário, e a técnica que vai utilizar na pescaria.

Verificando a profundidade, o pescador já pode ter uma noção de qual vara utilizar, mais curta de até 3 metros ou uma vara mais longa dependendo do peixe. Nos barrancos profundos, há tendência dos peixes ficarem mais próximo da margem, em compensação nos barrancos rasos, há a tendência dos peixes ficarem mais afastado da margem, assim, necessitando de uma vara que consiga chegar até o local mais fundo, por isso é uma probabilidade e sempre existem exceções.

O pescador deve também analisar o seguinte: que uma vara mais curta tem menos área para trabalhar um peixe, assim diminuindo a chance de tirar um exemplar de médio porte. Quanto maior a vara, será maior a área de trabalho, melhorando as chances de tirar o peixe de maior porte.

Uma vara de 5 metros ou maior já inicia uma dificuldade para manuseio, como trazer o peixe até a margem, tendo necessidade de dar passos para trás, dificulta os arremessos, visualização da boia, do cabresto ou linha, fica mais lento para dar a fisgada e mais pesada.

Flexibilidade

Bom, a flexibilidade da vara de pesca telescópica está principalmente relacionada diretamente a ação da vara, quantos mais flexível mais lenta ela é, então temos varas de ação lenta, ação média, ação rápida e ação extra rápida.

Como identificar a ação da vara – Fazendo uma simulação de uma fisgada na vara é perceptível que pouca força já faz a ponteira baixar para depois subir, quando mais força mais a ponta baixa para depois subir, isso que classifica a ação da vara.

Como já visto anteriormente a flexibilidade é relacionado ao percentual de cada composto que é feito a vara, não é regra, mas geralmente quanto mais carbono menos flexível.

Segue algumas fotos para mostrar o trabalho que a vara faz quando temos a ação da fisgada:

pescador antes da fisgada.
Antes da fisgada.
começo da envergadura da vara de pesca
Depois de colocada a força, reparem que a ponta ainda não saiu do lugar e o meio da vara iniciou a envergadura.
a ponta já está indo para baixo
Pode perceber que nesta foto a ponta já está indo para baixo.
chegado ao limite de baixar a ponteira.
Nesta foto chegou ao limite de baixar a ponteira.
começando a esticar a linha para fisgar o peixe.
Nesta foto começando a esticar a linha para fisgar o peixe.
Peixe fisgado pelo pescador
Aqui o peixe já fisgado.

Então, será que a flexibilidade realmente é interessante?

A resposta é sim e não. Vai da opção de cada pescador, vamos aos pontos.

Quanto mais lento a vara a maior probabilidade do pescador errar o tempo da fisgada, lógico estamos falando de centésimo de segundos, mas quem é pescador sabe que dependendo da espécie do peixe pode fazer toda diferença, então cada pescador deve se adaptar a cada vara, sabendo a ação dela e o tempo certo da fisgada.

Na hora que estiver com o peixe perto do barranco a flexibilidade evita que quebre a ponta da vara, quando mais rígida, maior a possibilidade de quebrar um dos gomos da ponta.

No momento da briga com o peixe, uma vara mais flexível terá melhores condições de cansar o peixe fisgado, isso devido ao maior movimento de flexão da vara além da emoção e esportividade proporcionada ao pescador.

Então, ao realizar uma pescaria fique ligado ao tipo de equipamento que está utilizando, pois assim poderá ter noção de quais cuidados tomarem.

Peso suportado de alavanca

Na pesca de peixes leves e pequenos, a vara de pesca telescópica pode ser muito interessante, sendo usada por pescadores iniciantes.

No entanto, pescadores mais experientes geralmente capturam peixes de grande porte com este tipo de vara, utilizando é claro, os equipamentos adequados e com técnica.

Por isso, ao investir em uma vara telescópica, saiba o peso que ela suporta para evitar qualquer problema futuro.

Levando em conta uma vara telescópica encontrada aqui no Brasil uma de 4,5 metros de ponta fina aguenta aproximadamente de 0,5 a 1 kg e as de gomo longo e ponta grossa de 0,75 a 2 kg isso variando de marcas e modelos (os pesos são de Alavanca e não dos pesos dos peixes).

Entretanto, no exterior temos super varas telescópicas de ponta fina que aguenta até 4 kg e gomo longo ponta grossa até 13 kg.

Vale ressaltar que uma vara telescópica de ponta fina utilizada por pescador experiente pode tirar peixes bem maiores que o peso suportado de alavanca, isso dependendo de vários detalhes, e tenho certeza para um pescador conseguindo esta façanha ganhou o dia.

Comprimento da linha

O comprimento da linha em uma vara telescópica é uma das dúvidas mais frequentes e realmente necessita de uma atenção.

Para uma pessoa iniciante na pesca o ideal é que a linha seja no tamanho exato da vara, pois proporciona uma maior facilidade para arremesso e para tirar o peixe.

Para os pescadores mais experientes não existe uma regra, pois ele conseguirá se adaptar facilmente as necessidades.

Quando a linha é mais longa que a vara – o pescador poderá ter certas dificuldades para o arremesso da isca (dependendo da técnica utilizada), e outra é de tirar o peixe da água, pois terá que pegar na linha para conseguir chegar até o peixe.

Linha mais curta que a vara – o pescador poderá também ter dificuldades para tirar os peixes maiores (peso não suportado pela alavanca) assim obrigando o pescador dar passos para trás, evitando não provocar ângulo negativo na envergadura da vara, causando o risco de quebra.

Linha no tamanho ou até 15 cm maior que a vara é o mais indicado assim facilitando o pescador em todos os momentos.

Como segurar a vara

Muitos pescadores iniciantes, acreditam que para não perder um peixe maior, pegam desesperados o meio da vara para se aproximar do peixe, tentando alcançar a linha e dessa forma segurando a vara de forma errada, tirando toda sua resistência. É um dos motivos que mais quebram as varas.

Veja na imagem abaixo: a limitação de segurança indicada pelo fabricante. Dessa forma aconselhamos a não ultrapassar este espaço.

espaço para segurar a vara de pesca

menina pescando com uma vara grande
Forma errada.

É natural do pescador quando o peixe faz força, dessa forma, ele colocar uma das mãos mais para cima. Fazendo isso diminui a área de ação da vara e possibilita a quebra do equipamento, então o certo é tentar pegar o mais embaixo possível para evitar a quebra, sabemos que teremos menos força, mas é a forma ideal.

Varas de gomos longos tem este espaço maior possibilitando segurar uma mão mais distante da outra, assim cansando menos.

Veja o vídeo:

Qual linha utilizar

A linha indicada é a linha monofilamento com resistência em libras indicada pelo fabricante da vara, porem nem todas possui as especificações, então vamos simplificar de forma prática e rápida.

Uma vara ponta fina deve utilizar no máximo uma linha 0,28mm monofilamento.

Uma vara ponta grossa deve utilizar no máximo uma linha 0,35mm monofilamento.

Aliás, existem exceções que vai do pescador experiente analisar e arriscar uma linha mais grossa ou não.

Devido a sua elasticidade e sua resistência, não indicamos a utilização de linhas de multifilamento. Assim, evitamos quebrar a vara na hora de uma fisgada mais forte.

Tipos de Boias

A boia mais conhecida é a boia de isopor, porem existem boias tipo pena que são geralmente mais sensíveis para peixes mais manhosos.

Temos um vídeo falando dos tipos:

Anzol

Vale ressaltar que o anzol pequeno pega peixe pequeno e o grande. E o anzol grande só pega peixe grande, então vale uma análise do pescador qual usar em sua pescaria.

Temos um vídeo falando dos tipos

Chumbo (chumbinho)

O chumbinho para vara telescópica é utilizado para que a isca chegue ao fundo rapidamente. limitada pela boia, pois o pescador vai regulando a altura para que ache a altura certa de onde estão os peixes, geralmente usado em rios.

Temos um vídeo falando dos tipos

Itens adicionais

No mercado é possível obter vara de pesca telescópica com itens adicionais como a capa de proteção e tubos para transporte, visando dessa forma, o cuidado.

Além disso, você poderá encontrar vários modelos que já vem com embalagem adequada.

Portanto, procurar por varas que disponibilizam mais recursos, pode ser interessante, pois você poderá economizar grande parte do seu investimento.

Atualmente é possível encontrar varas telescópicas montadas para o uso com molinetes para a técnica do ultralight.

Temos um post muito bom falando sobre as varas de pesca para diversas modalidades, confira!

Enfim, gostou das dicas? Então, deixe seu comentário logo abaixo, ele é muito importante para nós.

Precisando de algum material de pesca, acesse nossa Loja Virtual e confira as promoções!

Agradecimento especial aos pescadores que contribuíram neste post:

Rogger Saito Babá – Canal Vara Telescópica: https://www.youtube.com/roggerbaba

Nelson Chiba – Canal Fly Caipira: https://www.youtube.com/nelsonchiba

Posts Relacionados

Deixe um Comentário