Início Peixes Tubarão Serra: Espécie estranha também conhecida como Peixe Serra

Tubarão Serra: Espécie estranha também conhecida como Peixe Serra

por Otávio Vieira

O nome vulgar Tubarão Serra representa algumas espécies da família Pristiophoridae que podem ser vistas em diversas regiões do mundo. Além disso, os peixes têm boas estratégias de caça, justamente por conta de suas características corporais.

O tubarão serra é frequentemente utilizado para se referir a qualquer um dos indivíduos das várias espécies que compõem a ordem Pristiophoriformes. Esta confusão deve-se às semelhanças físicas que existem de espécie para espécie.

Existem várias espécies diferentes de tubarões serra ou tubarões pristiophoriformes. Todos estes tubarões fazem parte do género Pristiophorus, com excepção do peixe-serra de seis branquias, que pertence ao género Pliotrema. Sendo assim, hoje iremos lhe oferecer mais informações sobre as espécies, a distribuição e curiosidades.

O tubarão-serra possuem um focinho e se assemelha a uma serra (daí seu nome) esse focinho é muito comprido com pontas bem afiadas, que utilizam para cortar, desmembrar e incapacitar suas presas que está escondido no fundo do oceano.

Classificação:

  • Nome científico – Pliotrema warreni, Pristiophorus cirratus, P. japonicus, P. peroniensis, P. nudipinnis e P. schroederi.
  • Família – Pristiophoridae.

Espécies de Tubarão Serra e principais características

Os Tubarões Serra têm como características similares a maxila superior alongada numa longa lâmina estreita. Assim, os dentes são grandes de forma alternada e se tornam pequenos nos lados. Por outro lado, o focinho tem dois barbilhões longos e se prolonga suportando os dentes na margem. Isso faz com que o animal fique parecido com uma motosserra.

Os peixes também tem duas barbatanas dorsais e não apresentam barbatanas anais. Por fim, os indivíduos alcançam 170 cm de comprimento total.

Espécie mais conhecida

A principal espécie de Tubarão Serra seria o Pliotrema warreni que habita as águas subtropicais do Oceano Índico ocidental, que têm a temperatura entre 23° e 37° C.

Como diferenciais, devemos falar que a espécie tem uma serra no focinho e seis pares de fendas branquiais. Sua coloração é próxima do castanho claro na parte de trás e a barriga tem uma cor clara.

A espécie foi catalogada no ano de 1906 e prefere habitar as águas entre 60 e 430 m de profundidade. Esta espécie está na Lista Vermelha da IUCN, o que significa que sofre com algumas ameaças de extinção. Por fim, não oferece nenhum tipo de risco ao ser humano, tendo em vista que o seu habitat seria profundo.

Espécies da mesma ordem

Há 5 espécies de Tubarão Serra que fazem parte da mesma ordem, a Pristiophoriformes.

Assim, iremos tratar de forma específica sobre cada uma a seguir:

Em primeiro lugar, o Pristiophorus cirratus representa uma espécie que vive no Oceano Índico oriental, em especial ao redor da Austrália. Os peixes ficam em plataformas continentais com uma profundidade entre os 40 e 310 m.

Além disso, o tubarão foi listado em 1794.

Devemos falar também sobre o Pristiophorus japonicus que está presente no noroeste do Oceano Pacífico, ao redor de países como a China do norte, Coreia e Japão. A espécie foi catalogada no ano de 1870 e prefere habitar os fundos de oceanos em uma profundidade de até 500 m.

O Pristiophorus peroniensis fica na Austrália Oriental e o seu habitat natural seria o mar aberto.

Um ponto importante sobre a espécie é que a descrição em 2008 era “Pristiophorus sp”, mas agora ganhou o seu nome científico, o que faz com que haja poucas informações. Inclusive, é considerada parente do “P. cirratus”.

Aliás, conheça o Pristiophorus nudipinnis que também habita a costa oriental da Austrália em locais com profundidade entre 37 e 165 m. Sendo catalogado em 1870, este animal alcança até 1,2 m e também tem por nome vulgar tubarão-serra do sul ou tubarão-serra curto.

Com relação a coloração, a região dorsal é cinza-ardósia e o corpo do peixe tem algumas marcas. Já o lado ventral tem uma cor pálida de creme ou branco e os indivíduos vivem até 9 anos de idade.

Para encerrar, há o Pristiophorus schroederi que fica no Oceano Atlântico Central em Cuba e Bahamas. Um ponto muito interessante seria a profundidade que a espécie pode alcançar, cerca de 1.000 m, além de medir 80 cm de comprimento total.

O nome vulgar Tubarão Serra representa diversas espécies de peixes que são importantes no comércio

Tubarão-serra

Informações e todas as características do tubarão-serra

A principal característica do tubarão serra, qualquer que seja a sua espécie, é o seu tronco. Vejamos mais de perto as características desta parte da anatomia do tubarão.

O tronco ou nariz do tubarão serra

Quando mencionamos o tubarão serra, pensamos num animal com um nariz pronunciado cheio de dentes que, em vez de ser posicionado verticalmente (como é o caso na maioria dos animais), é posicionado lateralmente, dando-lhe a aparência de uma serra.

Esta posição invulgar destes dentes rostrais explica-se pelo fato de que:

  • Servem para fins defensivos;
  • São utilizados para capturar e serrar presas.

Os dentes que vemos no nariz do tubarão não têm um objetivo de mastigação. Para ser mais preciso, não são dentes como tal, mas sim algum tipo de escamas nasais que evoluíram desta forma para assegurar a sobrevivência do animal. É normal que nesta altura se sinta um pouco confuso, mas o que acontece é que pensamos que o tronco do tubarão da serra é também a sua boca.

A boca do tubarão serra

Como os tubarões serras têm um tronco ou nariz serrilhado tão pronunciado (só o nariz é cerca de um terço do corpo do tubarão), temos tendência a pensar que estas criaturas têm uma boca enorme.

A verdade é que existe uma grande confusão, porque é fácil pensar que a boca e o tronco destes tubarões se encontram juntos. A confusão é explicada pelo fato de que aqueles que não conhecem a biologia marinha e a anatomia destes tubarões são muitas vezes guiados por eles:

  • Os dentes longos e salientes (que, como explicamos na secção anterior, não são dentes mas sim escamas longas).
  • A maioria das imagens existentes do tubarão serra, que o mostram de cima.

Este último ponto é importante, porque se procurarmos fotografias ou desenhos do tubarão-serra, veremos que eles são retratados em perfil ou em foto aérea, onde vemos a parte de trás do tubarão. Mas não vemos a parte de trás do animal, que é onde se encontra a sua boca.

A boca do tubarão-serra parece-se mais com a boca de uma raia manta do que com a boca de outros tubarões. Podemos até dizer que a boca do tubarão-serra é menor do que a cavidade bucal das grandes arraias. As suas bocas estão equipadas com dentes pequenos, que não são nada parecidos com os enormes dentes triangulares, por exemplo, do grande tubarão branco.

São estes dentes pequenos, fortes e afiados que servem para mastigar. Lembre-se que os dentes no tronco do Pristiophoriformes não são usados para mastigar.

Sentidos do peixe serrado: visão (olhos), olfato (narinas) e orientação (bigodes).

Como bons predadores, os peixes-serra têm órgãos sensoriais altamente desenvolvidos que os ajudam a localizar as suas presas. Vamos analisar mais de perto algumas das características mais importantes dos sentidos destas criaturas.

Os olhos do tubarão serra

Os olhos do peixe-serra, tal como os Pristiophoriformes, estão localizados no topo das suas cabeças, exatamente onde começa o nariz alongado. A localização dos seus olhos permite-lhes ver o que se passa à sua volta, mesmo quando estão escondidos no fundo do mar, na areia.

Olfato Pristiophoriforme

As narinas dos tubarão-serra não estão, como muitos acreditam, localizadas no tronco. As cavidades olfativas do tubarão-serra estão localizadas perto da boca. São dois orifícios circulares que se encontram mesmo na parte de trás da cabeça, onde começa a área rostral escamosa ou serrilhada. Se olhar para um tubarão-serra de baixo, pode até pensar que as suas narinas são os seus olhos.

O bigode do tubarão serra

Esta é uma peculiaridade anatómica dos tubarões dentes de serra, porque também têm bigodes nos seus troncos serrados, que são utilizados para orientação e para localizar presas. Os bigodes do tubarão serra complementam a ampola de Lorenzini e a linha lateral.

Os espiráculos do peixe-serra

Estes são dois buracos localizados perto dos olhos do tubarão-serra e não têm qualquer função sensorial. Permitem que a água circule até às brânquias quando os tubarões não estão a nadar, o que é vital para a sua sobrevivência, especialmente porque os Pristiophoriformes tendem a passar muito tempo em repouso, escondendo-se na areia para capturar as presas.

A pele do peixe-serra

Os tubarões têm normalmente pele bastante dura, mas a derme do tubarão serra é ainda mais dura. Isto porque os dentículos dérmicos dos Pristiophoriformes são mais pronunciados.

Barbatanas do tubarão de dentes de serra

Ao contrário de outros tubarões, o tubarão serra falta uma barbatana anal, mas tem:

Barbatanas peitorais

São os mais proeminentes e estão localizados de cada lado, mesmo no ponto onde a cabeça termina e o tronco começa. São uma porção de cartilagem em leque que ajuda o tubarão a nadar para cima e para os lados.

Barbatanas dorsais

Tal como outros tubarões, os tubarões-serra também têm barbatanas dorsais. Embora possa ser uma desvantagem ter este par de barbatanas dorsais para se esconderem em profundidade, a razão pela qual ainda as têm é porque são necessárias para assegurar a estabilidade durante o banho.

Barbatanas pélvicas

Estas são as barbatanas mais pequenas e estão localizadas nos lados num ponto que coincide com a primeira barbatana dorsal. As barbatanas pélvicas são utilizadas pelos tubarões serra para estabilizar a natação, especialmente em profundidade.

A barbatana caudal ou caudal

Esta é a barbatana na extremidade do tronco, a cauda do Tubarão-serra não é tão geométrica e angular como a cauda da maioria dos tubarões. A barbatana caudal do Pristiophoriformes faz mais lembrar as caudas de outros peixes. Esta é uma das características que causa alguma confusão, mas existem várias características físicas distintas que o ajudarão a distingui-los.

Qual é o tamanho de um peixe serrado?

O tubarão-serra adulto pode crescer até um metro e meio de comprimento, e em alguns casos, alguns espécimes podem atingir até um metro e setenta centímetros de comprimento.

Quanto pesa um peixe-serra?

O peso varia de acordo com a espécie, os tubarões serra podem pesar de sete a dez quilos.

Reprodução do Tubarão Serra

O Tubarão Serra fica maduro sexualmente quando é macho, ao alcançar quase 1 m de comprimento total. As fêmeas ficam maduras entre o primeiro e segundo ano de vida, assim como podem gerar de 3 a 22 filhotes.

Além disso, a média de filhotes seria cerca de 10 e a gestação dura 1 ano, considerando que os pequenos peixes habitam as regiões costeiras rasas. Os filhotes também nascem com um comprimento total de 27 a 37 cm.

Mas, saiba que o processo de reprodução e a fase em que o peixe fica maduro são informações que podem variar de acordo  com a espécie.

Os tubarões-serra reproduzem-se ovoviviparamente. As fêmeas gestam os ovos nos seus úteros durante doze meses até as crias eclodirem. Nascem geralmente quatro a dez filhotes.

Uma coisa que distingue os tubarões serra dos outros tubarões é que a mãe não abandona os filhotes depois que nasce. Os filhotes de Pristiophoriformes ficam com a mãe até atingirem o desenvolvimento físico completo, o que coincide com a maturidade reprodutiva e o refinamento das capacidades domésticas.

Como é que é o filhote de tubarão-serra?

Os filhotes de tubarão-serra são idênticos aos tubarões adultos em todos os aspectos, exceto no tamanho. Mesmo ao nascer, os tubarões serra têm os dentes característicos no seu tronco.

O que acontece é que ao nascer estes dentes são cobertos por uma espécie de capuz que os impede de prejudicar a mãe durante o nascimento.

Alimentação: o que come? Dieta do tubarão-serra

O Tubarão Serra come peixes ósseos, lulas, camarões e outros crustáceos. Dessa forma, o animal usa a serra para as suas estratégias de caça. Ou seja, a serra serve para matar e atordoar suas vítimas no momento do ataque. Outra funcionalidade seria furar o fundo arenoso para capturar invertebrados pequenos.

Os Pristiophoriformes são animais carnívoros e excelentes caçadores. Eles alimentam-se:

  • Peixes;
  • Crustáceos;
  • Moluscos.

Para caçar as suas presas, escondem-se no fundo do mar ou nadam perto dele e atacam usando as suas serras. Como têm bocas pequenas, com a ajuda dos seus apêndices serrilhados, cortam as suas presas em porções que podem facilmente comer.

Youtube Video

Curiosidades

A principal curiosidade sobre o Tubarão Serra seria a sua importância no comércio. Bem como ocorre com outras espécies de tubarões, as nadadeiras são usadas para fazer sopas afrodisíacas em toda a Ásia.

Onde encontrar o Tubarão Serra

O Tubarão Serra está presente nas águas do Indo-Pacífico, por isso, podemos incluir as regiões desde a África do Sul até a Austrália e o Japão.

Os peixes também têm a capacidade de tolerar grande variedade de salinidades e nadam em habitats de água doce, marinhos ou estuarinos.

Os tubarões-serra de diferentes espécies preferem águas temperadas e encontram-se em diferentes partes do oceano. As áreas com as maiores populações dos Pristiophoriformes são:

  • O Oceano Pacífico meridional;
  • Zonas tropicais;
  • O Oceano Índico;
  • As costas da Austrália;
  • África Austral.

Ao contrário de outros tubarões, o tubarão serra é um tubarão de águas profundas. Encontra-se normalmente entre cinquenta e cem metros de profundidade, embora as espécies que vivem em águas tropicais tendam a viver em zonas mais profundas. Um exemplo disto é o tubarão das Bahamas, que normalmente tem o seu habitat a profundidades entre 500 e 900 metros.

Como posso distinguir um tubarão-serra de um peixe-serra?

Estas duas criaturas marinhas têm algumas características comuns, mas aqui estão as diferenças entre os tubarões-serra e os peixes-serra que o ajudarão a distingui-los.

A primeira coisa a saber é que ambos os animais são peixes cartilagíneos e ambos têm um tronco dentado proeminente. A diferença é que um é um tubarão e o outro é uma raia manta. Mas claro, se não souber as características que estamos prestes a compartilhar com você, vejamos:

  • Este é um fato que é difícil para alguns compreender: os peixes serrados têm três vezes o tamanho dos tubarões serra. As arraias serradas podem medir mais de seis metros, enquanto que os tubarões têm menos de dois metros de comprimento.
  • Enquanto estas duas criaturas estão equipadas com um apêndice dentado que tem um efeito muito intimidante, há uma forma de saber se se trata de um peixe ou de um tubarão-serra só de olhar para os seus troncos. Os peixes têm estes dentes de igual tamanho, enquanto que os dentes rostral dos tubarões são.
  • Além disso, os tubarões-serra têm bigodes ou tentáculos nas suas serrilhas, enquanto que os peixes não têm. Estes bigodes ajudam-nos a localizar as suas presas.
  • As guelras são também outro aspecto que pode ajudar a identificar estes grandes peixes. Os peixes-serra têm cinco guelras localizadas nos lados dos seus corpos (exceto para o tubarão de seis guelras, que tem uma abertura adicional para as guelras); os peixes-serra, por outro lado, têm as guelras na parte de trás dos seus corpos, como todas as radiações.

Espécies de tubarão serrado

Existem oito espécies de pristiophoriformes, ou tubarões serrados, e aqui estão algumas das suas características.

O tubarão serra comum (Pristiophorus Cirratus)

O tubarão serra comum é caracterizado pelo seu tronco serrilhado proeminente. De todas as espécies de tubarão-serra, esta caracteriza-se por ter o bico mais comprido. Tem menos de 1,5 metros de comprimento e pode pesar até nove quilos.

Pristiophorus cirratus habita geralmente as águas em torno da Austrália e do Oceano Índico oriental. Nada a uma profundidade de quarenta a trezentos e dez metros.

Tubarão serra das Bahamas (Pristiophorus Schroederi)

O tubarão serra bahamiano é muito falado, mas embora seja bastante popular, há pouca informação científica comprovada sobre a espécie.

Como o seu nome sugere, habita as águas em torno das Bahamas. É conhecido por ser um tubarão bastante pequeno, atingindo oitenta centímetros de comprimento quando adulto. É um dos tubarões serrados mais adaptados à profundidade, habitando normalmente entre quatrocentos e mil metros de profundidade.

Peixe serra de nariz curto (Pristiophorus Nudipinnis)

Também chamado tubarão serra do sul, porque é encontrado principalmente nas águas a sul da Austrália. A sua pele é de cor cinzenta, com excepção da zona ventral, onde é de cor creme mais clara.

O peixe-serra de nariz curto tem um corpo plano, esta forma anatómica permite-lhe viver no mar profundo ou na chamada zona bentônica oceânica, onde se alimenta de outras criaturas adaptadas ao ambiente.

Tubarão serra tropical (Pristiophorus Delicatus)

O tubarão serra tropical é uma espécie recentemente descoberta, o seu nome científico (delicatus, que é latim para delicado) refere-se aos dentículos finos no seu tronco.

É de cor castanha, com os machos adultos a atingirem oitenta centímetros e as fêmeas pouco mais de meio metro. Vive a profundidades de duzentos a quatrocentos metros nas águas do noroeste da Austrália.

Tubarão serra africano (Pristiophorus Nancyae)

Este tubarão foi descoberto apenas em 2011 nas águas ao largo de Moçambique. É uma criatura acostumada a grandes profundidades, pois normalmente nada entre quatrocentos e cinquenta metros e quinhentos metros.

O termo Nancyae no seu nome científico é uma homenagem a Nancy Packard Burnett, a filantropo e financiadora do Aquário de Monterey Bay, que tem contribuído para o estudo da fauna marinha.

Tubarão serra filipino (Pristiophorus Lanae)

Descoberto nos anos 60 por Dave Ebert nas águas ao largo das Filipinas. Caracteriza-se pela sua cor castanha profunda, que se ilumina na zona do ventre.

Sixgill sawfish (Pliotrema warreni)

O tubarão-serra de seis serras é uma espécie que, ao contrário das outras espécies de tubarão, não pertence ao género Pristiophorus, mas ao género Pliotrema. A principal diferença entre este tubarão e os outros tubarões é que ele tem seis guelras visíveis nos seus lados, enquanto os outros têm apenas cinco. Outra característica deste tubarão é que os seus bigodes estão muito próximos da sua boca.

O habitat do Pliotrema Warreni encontra-se nas águas do Oceano Índico Ocidental ao largo da África Austral, Madagáscar e Moçambique.

Tubarão-serra japonês (Pristiophorus Japonicus)

O tubarão-serra japonês é um tubarão do género pristiophorus que, apesar do seu nome, não só vive nas águas em redor do arquipélago japonês, como também se encontra perto da China e da Coreia. Vive perto das profundezas, onde caça e se alimenta de outras criaturas na areia e na lama do mar.

Os tubarões-serra são perigosos para os humanos?

Sawsharks não são basicamente perigosos. As circunstâncias por si só podem levar a situações potencialmente perigosas para os seres humanos e causar ferimentos graves.

O peixe-serra não é agressivo com as pessoas.

Estado de conservação do tubarão-serra

Infelizmente, as pessoas consomem sua carne, tanto fresca quanto congelada, sendo de excelente qualidade e isso tem causado um desequilíbrio e agora o tubarão serra está em perigo de extinção. O estado aponta seriamente que a população se estabilizou nos últimos anos, com a pesca e a contaminação de seus habitats.

Informações sobre o Tubarão-serra no Wikipédia

Enfim, gostou das informações? Então, deixe seu comentário logo abaixo, ele é importante para nós!

Veja também: Tubarão Branco é considerado a espécie mais perigoso do mundo

Acesse nossa Loja Virtual e confira as promoções!

Youtube Video

Caixa de Comentários do Facebook

Deixe um comentário