Início » Tatu-peba: alimentação, características, reprodução e sua alimentação

Tatu-peba: alimentação, características, reprodução e sua alimentação

por Otávio Vieira

O Tatu-peba também tem por nome vulgar peba, tatu-cascudo, peludo, tatupoiú, papa-defunto, tatu-de-mão-amarela e tatu-peludo.

Na língua inglesa o nome mais comum é de “six banded armadillo” que significa “tatu de seis bandas”.

A espécie vive na América do Sul e foi descrita no ano de 1758 e este é o terceiro maior tatu depois do tatu-canastra e do tatu-canastra maior.

O comprimento é de até 50 cm e o peso varia de 3,2 a 6,5 kg, bem como a sua carapaça tem um tom que vai do amarelo-pálido ao marrom-avermelhado.

Vamos entender mais detalhes sobre a espécie a seguir:

Classificação:

  • Nome científico – Euphractus sexcinctus;
  • Família – Chlamyphoridae.

Quais as características do Tatu-peba?

A carapaça do Tatu-peba é coberta por pelos amarelados ou brancos e seria marcada por escamas.

Já os pés da frente contam com cinco dedos distintos e cada um tem garras desenvolvidas de maneira moderada.

As orelhas do animal tem até 47 milímetros de comprimento e há 9 pares de dentes que ficam na mandíbula superior.

Na mandíbula inferior, há 10 pares e os dentes seriam fortes e grandes, sendo ajudados por músculos fortes para a mastigação.

Na região de trás do pescoço, há uma fileira de escamas que têm entre 13,5 e 18,4 milímetros de largura.

Já a cauda dos indivíduos têm de 12 a 24 cm de comprimento, sendo coberta por até 4 faixas de placas na área inferior.

Algumas das placas contam com orifícios para secreções de glândulas odoríferas, uma característica que não é vista em nenhuma outra espécie de tatus.

Reprodução do Tatu-peba

Todas as informações relacionadas à reprodução do Tatu-peba e que serão citadas a seguir foram obtidas em cativeiro:

Nesse sentido, o nascimento dos filhotes ocorre em qualquer época do ano.

A fêmea grávida é responsável pela construção do ninho antes mesmo que venha dar à luz depois de 64 dias.

Uma fêmea pode gerar até 3 filhotes que nascem com, no máximo, 110 gramas. Os pequenos têm uma carapaça macia e sem nenhum pelo.

Os olhos dos filhotes abrem com 22 a 25 dias de vida e são amamentados durante 1 mês.

Jovens ficam maduros com 9 meses de vida e um dos indivíduos observado em cativeiro viveu 18 anos de idade.

Portanto, saiba o seguinte:

Durante o período de nascimento e cuidado com a prole, a fêmea pode se tornar muito agressiva caso seja perturbada.

Por Charles J. Sharp – Obra do próprio, from Sharp Photography, sharpphotography, CC BY-SA 4.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=44248170

Alimentação

O Tatu-peba é onívoro, podendo comer diversos tipos de comida.

Dessa forma, se alimenta de frutas como as bromélias, tubérculos, nozes, insetos, formigas, carniça e pequenos invertebrados.

Um estudo feito no ano de 2004 classificou a espécie como um “carnívoro-onívoro” porque alguns espécimes em cativeiro foram observados atacando ratos grandes.

Os tatus têm uma visão ruim, por isso, eles usam o olfato para detectar suas presas e também os predadores.

Como estratégia de caça, o animal sobe na presa, agarra-a com os dentes e a rasga em pedaços.

Também é importante falar que a espécie armazena uma gordura que fica abaixo da parte externa da pele com o intuito de se sustentar em momentos de escassez de alimento.

Esta gordura pode aumentar o peso dos indivíduos para até 11 kg.

Curiosidades

A situação do Tatu-peba é menos preocupante, pois a distribuição é ampla.

Aliás, o grau de tolerância da espécie é bom e a população seria grande, além de viver em locais protegidos.

No entanto, a expansão industrial pode estar afetando as populações que ocorrem na parte norte do Rio Amazonas.

Também é possível afirmar que os indivíduos são caçados para fins medicinais, algo que dificulta a conservação.

A venda da carne não torna o animal importante porque muitos afirmam que o sabor é totalmente desagradável.

Por esse motivo, em alguns locais, a carne do animal é detestada pelas pessoas, pois elas pensam que ele come “cadáveres humanos em decomposição”.

Como resultado, nestes locais, o consumo da carne de tatu não é seguro porque pode causar problemas de saúde.

Onde vive o tatu peba?

O Tatu-peba vive em savanas, cerrados, matas primárias e secundárias, matas decíduas e matagais.

Também tem a capacidade de se adaptar em uma grande variedade de habitats, visto que ocorre em terras agrícolas.

Além disso, foi visto a 1.600 m acima do mar.

De acordo com um estudo feito no sudeste do nosso país, a densidade populacional é de 0,14 indivíduos por hectare.

Este mesmo estudo nos indica que a espécie tem o costume de se deslocar para sobreviver.

Por isso, os indivíduos mudam de região, seja para a reprodução ou para a alimentação.

De modo geral, a distribuição inclui diversos locais da América do Sul, em especial no Brasil.

Também estão no nordeste em países como Uruguai, Paraguai e Bolívia

Vale destacar o sul do Suriname e norte da Argentina, assim como uma presença duvidosa no Peru.

Por fim, qual o bioma do tatu peba?

O bioma é o Cerrado.

Gostou das informações? Então, deixe seu comentário logo abaixo, ele é importante para nós!

Informações sobre o Tatu-peba no Wikipédia

Veja também: Tatu-canastra: características, habitat, alimentação e curiosidades

Acesse nossa Loja Virtual e confira as promoções!

Caixa de Comentários do Facebook

Você pode gostar

Deixe um comentário