Início Animais Sucuri: características gerais, classificação, espécies e muito mais

Sucuri: características gerais, classificação, espécies e muito mais

por Otávio Vieira

A Sucuri é uma espécie de ovípara que pertence à família dos répteis e jiboias. É reconhecida por ser a maior e mais poderosa cobra do mundo, como símbolo da vida e da morte.

A reputação de longa data da Sucuri é como uma assassina silenciosa dos rios e selvas da América do Sul, onde existem centenas de histórias de suas proezas sobrenaturais.

A Sucuri é uma grande cobra que vive na América do Sul. Os pesquisadores reconhecem quatro espécies diferentes, todas classificadas no gênero taxonômico Eunectes. Eles são membros da família das jiboias e seus parentes mais próximos incluem jiboias, jiboias de árvore e jiboias de arco-íris. Essas cobras são conhecidas por seu comprimento e peso impressionantes. Na verdade, elas são uma das cobras mais pesadas do mundo. As Sucuri têm escamas marrom-escuras ou amarelo-esverdeadas, com manchas pretas ou marrons.

  • Classificação: Vertebrados / Répteis
  • Reprodução: Ovípara
  • Alimentando: Carnívoro
  • Habitat: Terra
  • Ordem: Squamata
  • Família: Boidae
  • Gênero: Eunectes
  • Longevidade: até 30 anos
  • Tamanho: 3 – 6m
  • Peso: 200 – 225kg

Classificação, gênero e espécies de Sucuri

Sucuris são grandes cobras que pertencem ao gênero Eunectes. Este gênero faz parte da família Boidae, que contém jiboias. Na verdade, as cobras são grandes jiboias que costumam ser chamadas de jiboias aquáticas devido à sua preferência por habitats aquáticos. Existem 4 espécies conhecidas de Sucuri:

  • Sucuri-verde (Eunectes murinus)
  • Sucuri-amarela (Eunectes notaeus)
  • Sucuri-de-mancha-escura (Eunectes deschauenseei)
  • Sucuri-boliviana (Eunectes beniensis)

Destas, a sucuri verde é a maior com comprimento médio de 6 metros, embora possam se tornar muito maiores. Pode ser difícil estimar o comprimento máximo total que essas cobras podem atingir devido a relatos exagerados e não verificados, alguns dos quais contam indivíduos com mais de 30 metros de comprimento. Em seu comprimento médio, a Sucuri-verde pode ter uma seção transversal de 30 cm de diâmetro e pesar mais de 225kg.

Embora sejam frequentemente agrupadas devido à sua aparência semelhante, as cobras não estão tão intimamente relacionadas com as jiboias e sucuris como se poderia pensar. Na verdade, a ancestralidade mais comum entre esses grupos pode ter ocorrido há 90 milhões de anos. Essas diferenças são muito mais claras quando se olha para suas estratégias reprodutivas. As cobras são notórias poedeiras de ovos, enquanto muitas boas são ovovivíparas, o que significa que os ovos incubam e eclodem dentro da mãe e nascem vivos. Sucuris são boas ovovivíparas.

Cobra Sucuri

Habitat: onde encontrar a Cobra Sucuri

Esta grande cobra está distribuída por toda a América do Sul, especialmente nas bacias do Amazonas e do Orinoco, bem como nas ilhas de Trinidad e nas Guianas. Embora essas cobras sejam répteis ovíparos, elas geralmente vivem na água, mas também podem viver em árvores e em alguns espaços terrestres, pois são treinadas para viver em ambos os ecossistemas.

A Sucuri é uma das grandes espécies predadoras e ovíparas, que costuma ser encontrada em áreas de mata, em bacias hidrográficas, bem como em lagoas de águas calmas. Sabe-se que vive no rio Amazonas, mas também pode ser encontrado nas bacias de outros rios como Paraguai, Orinoco, Napo, Alto Paraná e Putumayo. Os países onde há Sucuris são: Venezuela, Peru, Ilha de Trinidad, Equador, Paraguai, Colômbia, Bolívia e Brasil.

Todas as quatro espécies ocupam habitats semelhantes. Eles são criaturas aquáticas e seus ecossistemas favoritos são rios, riachos, pântanos e regiões alagadas. Com escamas de coloração turva, possuem camuflagem perfeita para águas turvas ou turvas.

Ocasionalmente, eles saem da água para caçar ou se aquecer. Quando o fazem, eles se movem através de habitats de floresta tropical, savana e pastagens.

Sucuris são frequentemente chamadas de boas aquáticas, referindo-se à sua preferência por áreas pantanosas. Essas cobras podem ser encontradas em habitats semiaquáticos de água doce que têm águas mais lentas. O tipo de vegetação pode variar, já que Sucuris foram registradas em áreas úmidas gramadas e arborizadas.

Distribuição da Sucuri

Cada espécie tem seu próprio alcance único, mas os pesquisadores não têm certeza do alcance exato de algumas das espécies mais isoladas. Em geral, essas cobras podem ser encontradas em toda a bacia do rio Amazonas e áreas adjacentes na América do Sul.

Das quatro, a espécie verde tem o maior alcance. Vive na maior parte da América do Sul a leste da Cordilheira dos Andes.

A espécie amarela é encontrada em partes do Brasil, Bolívia, Argentina e Paraguai. Os pesquisadores acreditam que a espécie manchada viva principalmente na Guiana Francesa e no norte do Brasil. Finalmente, a espécie boliviana vem da Bolívia.

Quais são as características que diferenciam a Sucuri de outros répteis?

A Sucuri se destaca por ser um dos répteis mais pesados ​​e corpulentos que existem no mundo, além de ser muito temido pelo homem, que possuem as seguintes características:

Essa espécie de réptil considerada uma das maiores cobras pode chegar a medir 12 metros, mas as medidas variam entre 2 e 10 metros de acordo com a espécie, com diâmetro aproximado de 30 centímetros. Pode pesar mais de 200 quilos.

A cabeça da Sucuri é de tamanho pequeno e formato achatado, caracterizada por possuir um grande número de músculos, com orifícios para os olhos e narinas, que se localizam na posição dorsal. Possui uma língua bifurcada, que é responsável por coletar as partículas odoríferas encontradas no ambiente ao seu redor. A língua dentro da boca dá informações ao órgão de Jacobson (órgão vomeronasal), que se conecta ao cérebro e lhe dá informações precisas sobre o que está em seu ambiente.

A Sucuri tem uma habilidade muito boa na água, pois é rápida e mostra grande destreza. É capaz de submergir por períodos de 10 minutos, devido à excelente localização dos olhos e narinas. No entanto, esta cobra não tem a mesma capacidade de andar em terra, pois é bastante lenta.

Mais informações sobre as características da espécie

Possuem olhos pequenos, pupilas elípticas e verticais, não possuem visão aguçada. Os olhos desses répteis estão localizados no topo de suas cabeças, o que lhes permite olhar sobre a água como um periscópio. A pálpebra forma uma lente transparente que fica acima do olho.

Possui uma derme bem desenvolvida, pobre em glândulas, mas muito bem dotada de terminações nervosas. Eles são geralmente de cor verde escuro com ovais ocre e preto nas laterais. O ventre tem tons claros e na cauda desenhos em tons de preto e amarelo.

Possuem um corpo constituído por escamas, apresentando propriedades queratinosas, o que lhes permite flexibilidade e com o tempo podem renovar a sua pele.

A Sucuri é uma cobra d’água que costuma se alimentar de alimentos aquáticos. Embora os peixes constituam grande parte de sua dieta, eles também são conhecidos por comer ocasionalmente mamíferos terrestres.

Não é incomum que uma sucuri grande coma um cervo inteiro ou um bezerro. Grandes roedores semiaquáticos chamados capivaras também são presas comuns. As cobras variam em cor e podem ser marrons, pretas, verdes ou amarelas, dependendo em grande parte de suas espécies.

Todas as quatro espécies de Sucuri têm narinas e olhos localizados mais no topo da cabeça. Isso os ajuda a respirar e ver acima da superfície enquanto nadam. As fêmeas são geralmente maiores que os machos, o que é uma tendência comum em muitas espécies de cobras. Suas escamas são lisas e sem quilha.

Tipos de Sucuris, conheça as espécies

Atualmente, quatro espécies são oficialmente reconhecidas. Deve-se notar que nenhuma subespécie foi encontrada.

Cada uma das quatro espécies diferentes é ligeiramente diferente uma da outra. Saiba mais sobre as espécies individuais e suas características únicas abaixo.

A Sucuri boliviana (Eunectes beniensis)

É a espécie definida mais recentemente, como o próprio nome indica, habita a Bolívia. Especificamente, na província de Beni e Pando. Já foram registrados casos de espécimes encontrados no Brasil.

Os cientistas originalmente confundiram esta espécie com um híbrido das espécies verde e amarela. Mais recentemente, eles separaram essa cobra em sua própria espécie usando pesquisas genéticas.

A Sucuri amarela (Eunectes notaues)

Conhecida como Sucuri amarela ou paraguaia, é a menor espécie das quatro listadas, mas uma das maiores do mundo. As Sucuri amarela distribuem-se principalmente pela drenagem do rio Paraguai e seus afluentes.

Além disso, elas são distribuídas desde a região do Pantanal na Bolívia, Paraguai e oeste do Brasil até o nordeste da Argentina.

Sucuri Amarela tem um tamanho modesto aproximadamente 3 metros de comprimento. Fiel ao seu nome, suas escamas são de cor amarela, com manchas marrom-escuras.

A Sucuri verde (Eunectes murinus)

Sucuri-verde comum ou jiboia comum. É a espécie mais abundante e difundida no continente sul-americano, principalmente nos países da Venezuela, Brasil e Colômbia.

Esta espécie é a mais conhecida e a maior das quatro espécies. O indivíduo mais longo registrado tinha 5 metros de comprimento e pesava 100kg, mas foram relatados avistamentos de cobras ainda maiores.

A Sucuri manchada (Eunectes deschauenseei)

Além disso, chamada Schauensee, esta espécie é a mais ameaçada. Porque as savanas e as áreas que habitam são reduzidas pelo crescimento e expansão da agricultura.

Estendem-se desde o Nordeste do Brasil (estados do Pará e Amapá), até toda a Guiana Francesa.

Sucuri-de-manchas-escuras – Os pesquisadores não têm certeza de quantos animais restam nesta população de cobras. Esses répteis são bastante raros e indescritíveis. A destruição do habitat ameaça esta espécie, mas os cientistas não têm certeza de quão grave é o seu declínio.

Entenda o processo de reprodução da Sucuri

A Sucuri costuma ser um réptil solitário, porém durante a época de acasalamento, que ocorre entre abril e maio, a fêmea envia um sinal aos machos, que se deslocam até onde ela está imóvel. Para o acasalamento, podem chegar cerca de 12 machos, que envolvem a fêmea, o que é conhecido como bolas de procriação.

O grupo de machos que tentam acasalar com a fêmea pode ficar entre 2 a 4 semanas, onde os machos competem para ficar com a fêmea. Geralmente, essa luta é vencida pelo maior e mais forte.

A fase de acasalamento desses animais ovíparos é realizada exclusivamente na água e a gestação e cuidado dos ovos dura aproximadamente 6 a 7 meses. Então a fêmea dá à luz os filhotes que medem cerca de 70 a 80 centímetros de comprimento.

Após o acasalamento, leva cerca de 6 a 7 meses para a cobra dar à luz. Todas as espécies são ovovivíparas, o que significa que desenvolvem ovos dentro de seus corpos, eclodem internamente e dão à luz “vivos”.

A maioria das cobras dão à luz entre 20 e 40 filhotes. Após o parto, a fêmea vai embora e os filhotes são deixados à própria sorte. Os jovens levam 3 ou 4 anos para atingir a maturidade sexual.

Alimentação e dieta: o que as Sucuris comem?

Esses répteis são carnívoros, alimentando-se de um grande número de animais, como peixes, aves, diversos mamíferos e outros répteis. Devido ao seu grande tamanho, a Sucuri é capaz de comer veados, jacarés, antas, capivaras, mas não o fazem regularmente.

Elas têm a fama de comer homens, mas são apenas lendas, já que não foi comprovado que isso aconteça. Da mesma forma, para devorar suas presas o fazem por constrição, característica dessa espécie de cobra.

A fêmea pratica o canibalismo, pois foi demonstrado que a fêmea come o macho. Esse comportamento ainda não é compreendido pelos pesquisadores, que o atribuem ao que ocorre após a reprodução e decorre da necessidade de uma fonte extra de alimento.

Esses grandes répteis são carnívoros, o que significa que comem outros animais. Elas comem quase tudo que conseguem pegar e engolir. Seu principal método de caça é a emboscada, onde esperam que a presa venha até eles.

Cobras menores comem pássaros, peixes, jacarés jovens, sapos, pequenos mamíferos e outras cobras. Os adultos se alimentam de jacarés, antas, capivaras, jaçanãs, cutias e muito mais.

Quais são os principais predadores da Sucuri?

A Sucuri adulta é um animal de grande porte que não possui predadores naturais, porém, quando está em estado inativo, por ter se alimentado de um animal de grande porte, pode ser atacada por predadores, mas pouquíssimos animais atacam uma cobra adulta.

Sucuris jovens que estão em processo de digestão de suas presas e ficam inativas podem ser vítimas de outros animais, como onças, jacarés, jaguatiricas, entre outros, que costumam aproveitar a imobilidade e atacar para se alimentarem.

Conheça as curiosidades sobre Sucuris

  • Embora possam ter cerca de 40 ovos, apenas uma média de 29 filhotes nascem vivos;
  • São as cobras mais pesadas do mundo;
  • Eles são capazes de prender a respiração debaixo d’água;
  • Eles têm quatro fileiras de dentes;
  • É uma família de jiboias.

A Sucuri e a interação com humanos

Humanos e sucuris interagem até certo ponto. No entanto, essas cobras vivem em regiões relativamente remotas, portanto, ataques a humanos não são comuns. Infelizmente, os humanos matam essas cobras para vender suas partes do corpo para a medicina tradicional e rituais espirituais.

A perda de habitat também representa uma ameaça para todas as espécies. A destruição da floresta tropical pela extração de madeira, agricultura, mineração e a expansão da população humana causa o declínio das populações de animais selvagens dessas áreas.

Sucuri

Sucuri

Sucuri cuidados

Como você deve ter adivinhado, abrigar uma espécie de cobra tão grande pode ser difícil. Os zoológicos devem ter grandes recintos e fornece muitos recursos de água para a cobra se esconder. Eles alimentam as cobras com uma variedade de itens diferentes, incluindo ratos, camundongos, peixes, coelhos previamente congelados (e depois descongelados) e muito mais.

Entenda o comportamento da Sucuri

Esses répteis são mais ativos durante o nascer e o pôr do sol, tornando-os crepusculares. Eles são solitários, passando a maior parte do tempo dentro ou perto da água esperando calmamente pela comida. Seus olhos estão no topo de suas cabeças, o que lhes permite submergir o resto de seus corpos para que as presas não possam vê-los.

Durante a estação seca, as cobras machos começam a procurar fêmeas para procriar. Eles viajam distâncias incríveis enquanto procuram um companheiro.

Porque as Sucuris são perigosas?

As cobras Sucuri são comumente consideradas cobras perigosas. Apesar dessa acusação, a maioria das sucuris são inofensivas. Sucuris são constritoras, o que significa que matam suas presas apertando-as com força para impedir que o coração ou os pulmões da presa funcionem.

As sucuris estão entre as únicas cobras constritoras grandes o suficiente para serem potencialmente prejudiciais a um ser humano adulto. Embora grandes cobras sejam frequentemente retratadas no folclore como monstros perigosos e famintos por humanos, atualmente não há casos confirmados em que uma Sucuri tenha matado um humano. Os ataques dessa espécie raramente foram documentados e geralmente parecem ser ataques defensivos contra aqueles que se aproximam demais.

Embora possa causar um pouco de picada, a picada da Sucuri também não é incrivelmente perigosa. Sucuris não são cobras venenosas. Enquanto cobras grandes e venenosas como a cobra-real (que pode crescer até 6 metros de comprimento) podem infligir golpes que ameaçam a vida, as Sucuris não são parentes próximas e não têm a capacidade de criar veneno perigoso.

Cobras e ecossistemas

As cobras são incrivelmente importantes em seus ecossistemas. Embora muitas pessoas prefiram não ver cobras, as cobras selvagens são membros críticos da cadeia alimentar. Cobras pequenas podem até ter benefícios em jardins, pois podem consumir lesmas e caracóis que danificam as plantas.

Grandes cobras como Sucuris são importantes dentro de seu ecossistema para manter as populações de presas. Sucuris jovens e pequenas também são presas importantes para outras espécies.

Conclusão e considerações finais

Sucuris são grandes cobras relacionadas a jiboias da família Boidae. Existem quatro espécies de Sucuri, todas pertencentes ao gênero Eunectes. Embora jiboias e jiboias sejam frequentemente confundidas, elas não são a mesma coisa, pois as cobras põem ovos e muitas jiboias são ovovivíparas, o que significa que os ovos incubam e eclodem dentro da mãe e os filhotes nascem vivos.

Sucuris não são venenosas e matam suas presas como constritoras, o que significa que elas espremem suas presas com força para matá-las. Apesar de sua má reputação, as cobras não são conhecidas por serem muito perigosas para os humanos.

Sucuris verdes são a cobra mais pesada do mundo e podem pesar mais de 225kg. A Sucuri média pode crescer até 6 metros de comprimento, embora seu comprimento máximo seja desconhecido devido a histórias infladas e não confirmadas.

Gostou das informações? Deixe seu comentário logo abaixo, ele é importante para nós!

Informações sobre a Sucuri no Wikipédia

Veja também: Albatroz: tipos, características, alimentação, reprodução e habitat

Acesse nossa Loja Virtual e confira as promoções!

Youtube Video

Caixa de Comentários do Facebook

Deixe um comentário