Início Animais Rolinha-roxa: características, reprodução, alimentação e curiosidades

Rolinha-roxa: características, reprodução, alimentação e curiosidades

por Otávio Vieira

Conforme alguns dados históricos, a rolinha-roxa foi uma das primeiras espécies brasileiras capaz de se adaptar ao meio urbano, além de ser a espécie nativa mais comum do Brasil, vivendo em diversas cidades.

Como resultado, a ave é mais vista nos locais alterados pelo homem do que em seu próprio habitat natural que seriam os campos e áreas de cerrado.

Portanto, iremos entender mais detalhes sobre os exemplares a seguir:

Classificação

  • Nome científico – Columbina talpacoti;
  • Família – Columbidae.

Subespécies de rolinha-roxa

Há 4 subespécies, mas somente uma está presente no Brasil, vamos entender mais:

A primeira (Columbina talpacoti) foi registrada no ano de 1810, sendo que vive no leste do Equador, bem como no norte e leste do Peru.

Também está no leste das Guianas, Paraguai, Bolívia, Uruguai, tal como no norte da Argentina e do nosso país.

Em algumas ocasiões, os indivíduos vivem na parte central e na região dos Lagos no Chile.

Por outro lado, a subespécie Columbina talpacoti rufipennis de 1855, vive no centro e leste do México.

Além disso, a ave está na Colômbia e no norte da Venezuela, incluindo a Ilha Margarita, assim como as ilhas de Trinidad e Tobago.

Columbina talpacoti e luta, catalogada em 1901, ocorre na costa do oceano Pacifico no México incluindo as regiões desde o norte do estado de Sinaloa até o sul de Chiapas.

Por fim, a Columbina talpacoti caucae (1915) é uma subespécie que vive no vale do rio Colca no oeste da Colômbia.

De outro modo, é interessante destacar que o nome científico da espécie tem origem do latim e do tupi.

Assim, a palavra “columbina” está relacionada ao nome da família e “talpacoti” seria o nome indígena para este pássaro.

Casal de Rolinha Roxa

Características da Rolinha-roxa

Além de rolinha-roxa, a espécie também tem por nome vulgar caldo-de-feijão, picuí-peão, rola-cabocla, e pomba-rola no estado do Ceará.

No estado da Paraíba o principal nome é rolinha-caldo-de-feijão, bem como na Bahia e Pernambuco seriam rola-grande, rola-roxa e rola-sangue-de-boi.

Outros nomes que variam conforme a região são: rolinha-comum, rolinha-juruti, rolinha e pomba-café.

Como identificar uma rolinha?

Há diferenças entre os sexos, tendo em vista que a fêmea é parda, ao mesmo tempo em que o macho tem penas marrom-avermelhadas e uma cabeça cinza-azulada.

Macho e fêmea contam com uma série de pontos pretos na parte das penas e os filhotes podem nascer com traços da plumagem de cada sexo.

Geralmente os indivíduos medem 17 cm e pesam 47 gramas.

Rolinha-roxa

Quanto tempo vive uma rolinha roxa?

Normalmente a expectativa é de 12 anos de idade, mas conforme alguns casos em cativeiro, alguns indivíduos já viveram até 29 anos.

Porque as rolinhas cantam?

Bom, a vocalização ou canto da espécie varia de acordo com a ocasião.

Por exemplo, há um canto específico que é usado para avisar o bando de que há um predador próximo e que os demais estão em perigo.

Outros tipos de cantos são usados quando a ave encontra um alimento ou quando pretende afastar um intruso.

Por isso, o canto vem dos machos e em poucas exceções, as fêmeas emitem vocalizações.

Reprodução da Rolinha-roxa

A rolinha-roxa macho emite um canto na época de reprodução que é composto por dois chamados rápidos e graves.

Assim, o macho repete este som durante vários segundos.

Dessa forma, o casal faz o ninho em formato de uma pequena tigela com o uso de gravetos e ramos, entre os galhos ou cipós.

Este ninho é fechado pelas ramadas do entorno, podendo ser feito em árvores altas e baixas, assim como calhas de casas, telhados e cachos de banana.

Assim, macho e fêmea cuidam do território para afastar outras rolinhas.

A fêmea coloca 2 ovos e ambos devem chocá-los de 11 a 13 dias, sendo que os filhotes saem do ninho com até 2 semanas de vida.

Caso as condições ambientais sejam favoráveis, dois dias depois da eclosão, o casal inicia uma nova ninhada.

Alimentação

A dieta da “rolinha-roxa” inclui grãos que ficam pelo chão e quando há uma boa oferta de alimento, a espécie se reproduz durante todo o ano.

Também pode buscar por comida em quirera de milho ou comedouros com sementes.

Curiosidades

É interessante que você saiba mais informações sobre o hábito desta ave.

Por isso, podemos falar mais sobre a sua capacidade de adaptação em locais artificiais que foram criados por meio da ação humana.

Sendo assim, o desmatamento facilitou sua expansão, em especial nos locais formados para pasto ou a agricultura de grãos (onde a oferta de alimento é boa).

Quando falamos sobre o nosso país, a distribuição inclui lugares do sudeste e centro-oeste, podendo evidenciar o bairro de Copacabana, no Rio de Janeiro.

Com relação ao comportamento, entenda que os indivíduos podem ser muito agressivos uns com os outros, apesar de que possa ocorrer a formação de grupos.

Toda esta agressividade se dá pelo fato de que eles disputam por territórios ou por alimento, usando as asas para dar pancadas fortes.

Por outro lado, também vale destacar o seguinte:

Conforme alguns observadores de pássaros que verificam a ocorrência no centro-sul do Brasil, a espécie está sendo “substituída” por outra pombinha, a Zenaida auriculata (avoante, amargosinha ou pomba-de-bando).

Esta pombinha vem ganhando grande espaço no ambiente urbano ao passo que a distribuição da rolinha roxa está se tornando menos frequente.

Mas, saiba que nenhuma espécie está sendo afetada e provavelmente possamos ver ambas em jardins e praças de nossas cidades.

Por fim, esta ave tem vários predadores em potencial e por viver em local aberto,  sua captura é mais fácil.

E dentre os predadores, podemos destacar outras aves como o falcão-de-coleira, caburé e quiriquiri.

Também sofre com ataques de felinos como o gato doméstico e de répteis como o teiú.

Onde encontrar a Rolinha-roxa

A rolinha-roxa vive em grande parte das regiões do nosso país, mas dificilmente está em locais florestados da Amazônia.

Apesar de ser muito comum na América do Sul em países como Brasil, Peru, Paraguai e Argentina, a espécie é típica do México.

Nesse sentido, alguns exemplares vivem no sudoeste dos Estados Unidos, incluindo as regiões do sul do Texas ao extremo sul da Califórnia.

Nestas regiões, as aves são vistas, em especial, no inverno.

Gostou das informações? Deixe seu comentário logo abaixo, ele é muito importante!

Informações sobre a Rolinha Roxa no Wikipédia

Veja também: Curicaca: características, alimentação, reprodução, habitat e curiosidades

Acesse nossa Loja Virtual e confira as promoções!

Caixa de Comentários do Facebook

Você pode gostar

Deixe um comentário