Pesca Gerais

Pescaria de Tambacu com Ração Labina, discas e informações

Pescaria de Tambacu com Ração Labina – Por Luis Henrique (É o Luis que tá falando)

A pesca em pesqueiros é uma excelente pedida para quem gosta de travar brigas com belos peixes e sentir grandes emoções. Sempre é importante levar várias iscas, mas principalmente em Minas Gerais, há uma “isca coringa” que funciona sempre bem nos pesqueiros.

Caro amigo leitor, é com grande prazer que me apresento a você aqui no Blog Pesca Gerais. Meu nome é Luis Henrique, mais conhecido como “É o Luis Que Tá Falando”, sou de Belo Horizonte/MG, vamos lá!

Decidi realizar uma pescaria no pesqueiro Fazenda Pacu, localizado em Inhaúma/MG, encontramos o local com a água cristalina e os peixes muito manhosos.

Diferentemente da maioria dos pesqueiros onde utilizamos em média um chicote (líder) de 0.40 mm, precisei utilizar um chicote muito fino, 0.31 mm de fluorcarbono e então começamos a pescaria de Tambacus. Você conhece o Tambacu?

O Tambacu é um peixe híbrido, sendo criado através do cruzamento entre o Pacu macho e o Tambaqui fêmea. Muito conhecido por frequentadores de pesqueiros, o Tambacu pode ultrapassar os 30 kg, na Fazenda Pacu já foram fisgados exemplares acima dos 35 kg.

Pescaria de Tambacu com Ração Labina, discas e informações

Qual a alimentação do Tambacu?

Pescaria de Tambacu com Ração Labina, discas e informações

O Tambacu é um peixe que tem uma alimentação bem diversificada, como por exemplo: Rações, pão de sal (francês/pão de padaria), salsicha, queijos, pão de queijo, massas das mais diversificadas e até frutas, mas hoje iremos falar da ração labina ou como alguns dizem, rolha.

A Ração Labina é uma ração com tamanho maior se comparada com as rações padrões utilizadas nos pesqueiros. Fácil de iscar mesmo estando seca, além disso é uma ração com uma ótima flutuabilidade.

Esse tipo de ração é facilmente encontrada em grandes Pet Shops, ou em muitas vezes, nos próprios pesqueiros.

Muitos pescadores gostam de usar essa ração com cachaça ou essências, o que se demonstra bastante eficiente. No meu caso, decidi usá-la seca, pois assim, a chance dela durar mais tempo no anzol seria maior, aumentando sua eficiência.

Vamos a nossa pescaria de Tambacu com Ração Labina

Totalmente diferente de outros pesqueiros, a Fazenda Pacu te desafia. É necessário longos arremessos, chicotes (líder) finos e longos, por volta de quatro ou 5 metros. Sim, é isso mesmo!

Utilizei um líder 0.31 mm, pois devido a água muito clara, um líder mais grosso normalmente não é uma boa pedida no local. Faça seu líder colocando apenas um E.V.A no líder por volta de 20 cm de distância do anzol, para manter o mesmo flutuante, após isso coloque a isca.

Logo nos primeiros arremessos já percebi que o peixe estava ativo, subindo bem na ceva mas escolhendo o que comer. No Anzol tinha testado alguns tipos de rações, salsicha e pão.

Então resolvi testar a famosa ração Labina e então no primeiro arremesso já capturei o primeiro peixe. Vale ressaltar que para pescar o Tambacu é necessário ter paciência, afinal com o líder fino, o risco de cortar a linha é muito grande.

Por esse motivo, as brigas duram de 30 minutos ou podem passar até de 1 hora, é para deixar o braço cansado mesmo.

Isto apenas confirmou que na Fazenda Pacu, os detalhes fazem a diferença. É sempre muito bom ficar atento, principalmente em saber qual isca pode fazer a sua pescaria e a ração Labina é sempre uma isca que funciona sempre, mesmo na época do inverno.

Após ter escolhido a Labina como isca principal, fisgamos belos exemplares de Tambacus no decorrer dos dias, mostrando que peixes grandes e belas brigas, a Fazenda pacu tem de sobra.

Variedades de peixes capturado na pescaria

Além do Tambacu, a Fazenda Pacu tem em seus lagos vários outros peixes, por exemplo: Tambaquis, Tucunarés, Traíras, Piaus, Surubins, Tabaranas e Curimatãs. Este último peixe citado, a Curimatã, a Ração Labina é muito eficiente, podendo capturar exemplares de até 8 Kg, seja tanto na pesca de fundo, quanto na pesca com boias cevadeiras.

Em Pesqueiros vale ressaltar alguma informações

  • Nunca utilize alicate de contenção para a pesca de Tambacu, Tambaqui, Pirarara, Surubim e etc. Peixes desse nível têm o risco muito grande de ter à quebra da mandíbula ou até o corte da mesma, podendo vir até morrer devido a essa fratura;
  • Peixes na média de 8 até 18 kg são muito ativos, normalmente os mais fortes, então seja qual for o tamanho, segure-o bem firme e se possível agachado, pois, se acontecer do mesmo cair, não haverá dano ao peixe, pense sempre no peixe, pois ele tem que ser devolvido saudável para água para que o Pesque e Solte continue;
  • A Pesca Esportiva é o ato de fisgar o peixe, fotografá-lo e solta-lo novamente, mas vale ressaltar que a partir da hora que o peixe saiu da água, isso deverá ser feito rapidamente, não demore com o peixe fora d’água, pois com pouco tempo ele poderá morrer;
  • Utilize somente ração de peixe para cevar, a ração de peixe como o próprio nome já diz, é para eles. Outros tipo de ração como a de cachorro, não são balanceadas para os Tambacus e além disso com o tempo, poderá levar a morte do peixe.

Material Utilizado para a Pescaria do Tambacu com Ração Labina

  • Vara Saint Plus Pro Tamba 2.70 (25/50 lbs);
  • Carretilha Saint Plus Sparta Mag;
  • Linha Fiber Soft 0.37mm Yellow;
  • Bóia Cevadeira 65g Barão;
  • Linha Fluorcarbono Pro Leader Crown 0.31mm;
  • Anzol Crown isema Sure 10.

Informações sobre o pesqueiro

A Fazenda Pacu está totalmente preparada para receber você e sua família, pois, trata-se de um Hotel Fazenda.

As acomodações são marcadas pela simplicidade e aconchego dos ranchos de pescadores, ou seja, que unem em um só lugar charme e bom gosto.

A culinária mineira é realmente deliciosa. Na Pacu são servidos cinco refeições diariamente. Mas o melhor está na pescaria, pois não existe regra de horários, são 24 horas de pescaria e peixes que podem chegar até 40 kg.

Fazenda Pacu, S.N, Zona rural, Inhaúma/MG
Telefone: (31)98511-0427 – (31)99859-0748
https://www.fazendapacu.com.br/

Veja também Como pescar Tilápia, dicas de equipamentos, iscas e técnicas, acesse

Enfim, agradecimento especial ao Luis Henrique (É o Luis que tá falando) que cedeu todo o conteúdo para post.

Acesse nossa Loja Virtual e confira as promoções!

Posts Relacionados

Deixe um Comentário