Pesca Gerais

Periquito: características, alimentação, reprodução, mutações e curiosidades

Alguns estudos comprovam que o periquito é o pássaro mais escolhido entre as famílias de todo o mundo, tendo em vista a sua companhia agradável, além da personalidade dócil.

Por isso, a ave que adora uma conversa, perde somente para os cachorros e gatos.

Vale destacar que é parecida com o papagaio e ao prosseguir a leitura, você saberá mais sobre este lindo pet e quais os principais cuidados.

Classificação:

  • Nome científico – Melopsittacus undulatus;
  • Família – Psittaculidae.

Característica do periquito

O periquito é uma ave de pequeno porte, tendo uma envergadura de 18 cm, além de a fêmea ser mais pesada que o macho.

Assim, o peso delas é de 24 a 40 gramas, bem como o deles varia entre 22 e 34 gramas.

Já na natureza, é comum que as aves aparentem ser menores do que as que foram domesticadas.

Com relação à cor, saiba que há indivíduos em cativeiro com tons de cinza, azul, cinza-esverdeado, amarelo, branco e violeta.

Em habitat natural, as penas tem a cor esverdeado-cintilante, incluindo algumas barras pretas em vários formatos que começam da cabeça e vão até a cauda.

Porém, estas barras ficam somente na parte de cima.

Do rosto até um pouco acima do bico, há o tom amarelo, bem como os exemplares têm manchas roxas nas bochechas e 3 manchas pretas nos cantos do pescoço.

A cauda tem a cor de cobalto (azul-escuro), juntamente com penas amarelas.

Por outro lado, as asas contam com partes preta-esverdeadas e riscos negros com camadas amareladas.

Os pontos amarelos centrais são vistos nas asas somente quando estão estendidas.

Assim como ocorre com as demais espécies da família, quando a ave é exposta à luz ultravioleta, a plumagem se torna fluorescente.

Geralmente o bico não se projeta muito por conta da grande quantidade de pena que o encobre, sendo que a parte superior é maior que a inferior.

A ponta deste bico é afiada, permitindo que o animal pegue e agarre os pequenos pedaços de alimento como os legumes e frutas.

Já as unhas dos pés são compridas, formando garras.

Um ponto interessante é que o periquito seria uma das únicas duas aves psitaciformes que foi domesticada pelo homem (a outra é o inseparável-de-faces-rosadas).

Sendo assim, é uma espécie alvo de reprodução em cativeiro desde 1850.

periquito na mão

Mutações

Os periquitos ondulados, outro nome comum para representar a espécie, têm uma grande quantidade de mutações que surgiram do “original” verde:

Azul, verde-claro, cinzento, violeta, opalino, Face Amarela tipo I e tipo II, Canela, Fallow, Spangle, Albinos, Diluídos, Arlequim Dinamarquês, Face Preta, Periquitos de Poupa e Spangle Melânico.

E entre estas combinações, também há outras, sendo que há 200 variações de cores.

Alimentação do periquito

Quando o animal vive na natureza, a dieta inclui sementes de gramíneas, sendo que o hábito é diurno.

Ou seja, a busca pela comida é feita pelo dia e o descanso ocorre durante a noite.

Já a alimentação em cativeiro é complementada por frutas, verduras e farinhas.

Dentre as verduras, vale destacar: espinafre e chicória molhada.

De outro modo, pode comer laranja e banana como fruta, sendo que a semente de maçã e o abacate não podem ser dados por conterem substâncias nocivas para a saúde dos periquitos.

Além disso, você não pode dar ao seu periquito cafeína, chocolate e bebida alcoólica.

Por isso, para saber os melhores itens para a alimentação, mantenha o contato com um veterinário de sua confiança.

periquito pousado no galho

Reprodução

Embora a espécie não tenha dimorfismo sexual, os adultos podem ser diferenciados conforme o sexo por meio da cor da cera.

Esta cera é uma estrutura que fica acima do bico, local em que estão as narinas.

Por isso, a do macho é azulada, ao mesmo tempo em que a da fêmea é marrom ou esbranquiçada.

Já os machos lutinos e albinos, tem esta parte na cor púrpura-rosada ao decorrer de sua vida.

Mas, como é feita a diferenciação entre os jovens e adultos?

Bom, é possível notar a diferença pela íris dos olhos, já que a das crias é toda preta e a dos adultos seria branca.

Dessa forma, a reprodução na natureza dura de junho a setembro, nas regiões que ficam ao norte da Austrália.

Na parte sul do país, o período de reprodução é entre agosto e janeiro.

Os ninhos são feitos em buracos de árvores, troncos caídos no chão ou até mesmo em postes, sendo que a fêmea coloca até 6 ovos branco-perolados.

vários periquitos juntos alimentando

Também é possível que as fêmeas coloquem ovos mesmo quando não há um macho, embora eles não sejam fertilizados e não eclodam.

Por fim, a incubação do periquito leva de 18 a 21 dias.

Distribuição da espécie

A espécie vive na fauna australiana, sendo que está em todo o continente australiano, com exceção do extremo sudoeste, encontro com a floresta tropical da Península do Cabo York, além dos locais costeiros do leste e norte do país.

Também há relatos de indivíduos na Tasmânia, apesar de eles terem fugido do cativeiro.

Na natureza, a espécie também vivia na Flórida, porém houve o declínio das populações devido à disputa por alimento com as espécies de pardais e estorninhos-europeus.

Portanto, o habitat inclui as regiões com água e comida abundantes ao decorrer de todo o ano como, por exemplo, o norte da Austrália.

Mas, por conta da dependência por sementes de plantas caídas no solo, além das condições climáticas, alguns exemplares podem ter a vida nômade.

Ou seja, eles migram em  determinados períodos do ano, porém não se sabe até que ponto, bem como se eles vão para o sul ou norte.

No geral, indícios mostram que os periquitos mais experientes guiam o grupo até locais visitados anteriormente.

Vale falar que estas migrações são lentas porque os periquitos não são capazes de ter uma boa reserva de gordura

Ou seja, não voam por longos períodos.

Assim, eles voam em uma velocidade de 100 km/h por até 3 horas e sem interrupções.

periquito azul

Posso ter um periquito em casa?

De acordo com o IBAMA, qualquer pessoa pode ter uma ave desta espécie para companhia.

Porém, você não pode criar o bichinho para a reprodução e venda, pois será necessária a autorização do órgão ambiental.

Uma dica é que você invista um criadouro de confiança e legalizado no momento em que for comprar a ave.

Cuidados com o periquito

Com relação à gaiola, saiba que você pode priorizar os modelos feitos em arame galvanizado porque são fáceis de limpar.

Aliás, invista em uma casinha com espaço suficiente para o periquito transitar entre os poleiros.

Também é bacana comprar uma gaiola com divisão na parte de baixo para que o pet não tenha contato com as suas fezes.

Portanto, a gaiola fica em um local movimentado durante o dia e tranquilo pela noite, sendo que o animal ama companhia, mas precisa de paz na hora de descansar.

Disponibilize bebedouro e comedouro dentro da gaiola, sendo que a água deve ser trocada todos os dias.

E além do bebedouro, deixe uma banheira na casinha para que ele se molhe de vez em quando, principalmente nos dias mais quentes.

Invista também em itens como as cordas, bolas e balanços para estimular a saúde mental da sua ave e permitir que ela se divirta durante o dia.

casal de periquitos

Quanto a manutenção da gaiola, saiba que há duas:

A primeira diz respeito a troca da água todos os dias e a retirada dos restos de comida, bem como a limpeza dos dejetos.

Já a higienização completa da gaiola, como a lavagem, pode ser feita uma vez ao mês.

Gostou das informações? Deixe seu comentário logo abaixo, ele é muito importante!

Informações sobre o periquito no Wikipédia

Veja também: Sabiá-do-campo: características, alimentação, reprodução e curiosidades

Acesse nossa Loja Virtual e confira as promoções!

Posts Relacionados

Deixe um Comentário