Início Dicas e EquipamentosCuriosidades Peixes para dieta: saiba escolher os mais saudáveis para o seu consumo

Peixes para dieta: saiba escolher os mais saudáveis para o seu consumo

por Otávio Vieira

Peixes para dieta – O peixe fornece outra classe de alimentos ricos em proteínas ou construtores de tecidos.

Como este termo é geralmente entendido, inclui tanto peixes vertebrados, isto é, peixes com espinha dorsal, como salmão, bacalhau, sável, etc., quanto muitos outros animais aquáticos, como lagostas, caranguejos, camarões, ostras e amêijoas.

Os peixes geralmente podem ser adquiridos a um preço mais baixo do que muitos outros alimentos e, por esse motivo, possuem uma vantagem econômica sobre eles.

Algumas variedades de peixes são mais procuradas do que outras, a popularidade de certos tipos depende do gosto individual ou da preferência das pessoas em uma determinada localidade.

Como se sabe, o peixe é um alimento extremamente perecível. Portanto, quando é capturado em quantidades grandes demais para ser usado de uma só vez, é preservado de várias maneiras.

Os métodos de conservação que se revelaram mais satisfatórios são a conserva, a salga e a secagem, a defumação e a preservando em vários tipos de salmoura e picles.

Como esses métodos são geralmente realizados na localidade onde o peixe é capturado, muitas variedades de peixes podem ser armazenadas convenientemente por longos períodos de tempo e distribuídas de modo a atender às necessidades do consumidor.

Este plano permite que pessoas distantes da fonte de abastecimento adquiram peixe com frequência.

Composição e classes de peixes

Em geral, a composição do peixe é semelhante à da carne, pois ambos são alimentos ricos em proteínas.

No entanto, algumas variedades de peixes contêm grandes quantidades de gordura e outras contêm muito pouco dessa substância, de modo que o valor alimentar dos diferentes tipos varia muito.

Como no caso da carne, o peixe é carente de carboidratos. Devido à grande semelhança entre esses dois alimentos, o peixe é um substituto muito desejável para a carne.

Nos peixes, assim como nos mariscos, uma proporção muito grande das substâncias alimentares presentes é proteína. Essa proporção varia com a quantidade de água, osso e refugo que o alimento contém e com a estrutura física do alimento.

A porcentagem de gordura no peixe varia de menos de 1% em alguns casos a um pouco mais de 14% em outros.

Essa variação afeta o valor total dos alimentos proporcionalmente. As variedades de peixe que contêm mais gordura deterioram-se mais rapidamente e suportam menos o transporte.

Os peixes que contêm uma grande quantidade de gordura, como salmão, pregado, enguia, arenque, linguado, cavala, tainha, peixe-manteiga e truta do lago, têm uma qualidade mais úmida do que aqueles sem gordura, como o bacalhau.

Assim como a carne, o peixe não contém carboidratos em quantidade apreciável. Nos peixes, a matéria mineral é tão prevalente quanto na carne.

Classes de Peixes

De acordo com a quantidade de gordura que contém, os peixes podem ser divididos em duas classes, peixes secos ou magros e peixes oleosos.

Bacalhau, arinca, cheirado, linguado, perca, robalo, truta e lúcio são peixes secos ou magros.

Salmão, sável, cavala, arenque, enguia, linguado, truta do lago e peixe branco são peixes oleosos. Este último grupo contém de 5 a 10 por cento de gordura.

Os peixes também podem ser divididos em duas classes, de acordo com a água em que vivem, os peixes do mar são chamados de ‘peixes de água salgada’ e os de rios e lagos são ‘peixes de água doce’.

Valor alimentar do peixe

O valor alimentar total do peixe, como foi demonstrado, é alto ou baixo, variando com as substâncias alimentares que contém.

Portanto, como peso por peso, o valor alimentar da gordura é muito maior do que o da proteína, segue-se que o peixe que contém mais gordura tem o maior valor alimentar.

Gordura e proteína, como se sabe, não têm a mesma função no organismo, mas cada uma tem seu propósito e é valiosa e necessária na dieta.

No que diz respeito à quantidade de proteína, os peixes são valiosos em suas qualidades de formação e construção de tecidos.

O valor nutritivo do peixe pode ser perdido na sua preparação, se os métodos adequados não forem aplicados. Para obter o maior valor alimentar possível do peixe, os vários pontos envolvidos em sua culinária devem ser completamente compreendidos.

Quando o valor do peixe como alimento deve ser determinado, sua digestibilidade deve receber consideração definitiva. Muito depende da forma como é cozinhado.

A facilidade com que o peixe é digerido é influenciada em grande parte pela quantidade de gordura que contém. Além do cozimento correto do peixe e da presença de gordura, um fator que influencia muito na digestibilidade desse alimento é o comprimento das fibras da carne.

Será lembrado que as partes de um animal com fibras longas são mais duras e menos facilmente digeridas do que aquelas com fibras curtas.

peixes para dieta

Preparação do peixe para cozinhar

É importante determinar se o peixe é fresco ou não. O peixe não deve exalar nenhum odor ofensivo.

Os olhos devem ser brilhantes e claros, não opacos ou afundados.

As brânquias devem ter uma cor vermelha brilhante e não deve haver gordura aparente.

A carne deve ser tão firme que nenhum amassado seja feito quando for tocado com o dedo.

O peixe também pode ser testado quanto ao frescor, colocando-o em uma panela com água. Se afundar, pode-se saber que está fresco, mas se flutuar, não está apto para uso.

O peixe geralmente é preparado para cozinhar no mercado onde é comprado, mas frequentemente um peixe entra em casa assim que foi pescado.

Para preparar esse peixe adequadamente para cozinhar, é preciso entender como limpá-lo. Se o peixe for comprado em condições impuras, deve ser limpo imediatamente.

O primeiro passo para a limpeza dos peixes consiste em retirar as escamas. Com o peixe escamado, proceda à remoção das vísceras.

Certifique-se de que a cavidade formada pela retirada das vísceras esteja perfeitamente limpa. Em seguida, corte a cabeça, as barbatanas e a cauda, se desejar, e lave-a em água fria.

Na preparação de alguns tipos de peixe, muitas vezes é desejável desossar o peixe; isto é, para remover a espinha dorsal e as costelas.

Alguns tipos de peixes, especialmente aqueles que não têm escamas, como linguado, peixe-gato e enguia, tornam-se mais saborosos ao serem esfolados.

Muitas receitas exigem que o peixe seja cortado em filés, ou seja, fatias grossas e planas das quais o osso é removido. Muitas vezes é desejável desossar o peixe; isto é, para remover a espinha dorsal e as costelas.

O peixe agora devidamente preparado pode ser cozinhado de uma só vez ou colocado no geladeira até à hora de cozinhar.

Métodos de cozinhar peixe

O peixe pode ser cozido, cozido no vapor, assado, frito, grelhado ou refogado.

O efeito desses diferentes métodos é exatamente o mesmo no peixe e na carne, já que os dois alimentos são os mesmos na construção geral.

O método de cozimento a selecionar depende em grande parte do tamanho, tipo, qualidade e sabor do peixe.

Assim como um frango velho com músculos bem desenvolvidos não é adequado para grelhar, um peixe muito grande não deve ser grelhado a menos que possa ser cortado em fatias, bifes ou pedaços finos.

Algumas variedades de peixe são mais ou menos insípidas. Estes devem ser preparados por um método culinário que melhorará seu sabor ou, se o cozimento não adicionar sabor, um molho altamente temperado ou altamente aromatizado deve ser servido com eles.

O ácido do vinagre ou do limão parece ajudar a realçar o sabor do peixe, por isso, quando não se usa molho.

Peixes magros para dieta

Proteínas magras e sem gorduras são importantes em uma dieta saudável. Alguns peixes são excelentes fontes de proteínas e gorduras saudáveis, enquanto outros contêm menos calorias e gorduras. Aqui está uma lista dos peixes que podem ajudá-lo a perder peso.

Atum

A dieta é muitas vezes um assunto controverso, e existem muitas opiniões diferentes sobre o que é saudável e o que não é.

No entanto, uma dieta saudável e equilibrada é essencial para manter a boa saúde e perder peso. Um dos alimentos que podem ajudá-lo a alcançar esse objetivo é o atum.

O atum é um peixe rico em proteínas, vitaminas e minerais, e é uma excelente escolha para uma dieta saudável.

Ele fornece energia e ajuda a manter o metabolismo funcionando corretamente. Além disso, ele é baixo em gordura e calorias, o que o torna ideal para aqueles que estão tentando perder peso.

O atum é um peixe versátil, e você pode prepará-lo de diversas maneiras. Pode ser servido como um prato principal ou como um acompanhamento.

Pode ser cozido, grelhado ou assado. Também é possível fazer um sanduíche de atum ou uma salada de atum.

De acordo com a Associação Americana do Coração, consumir pelo menos duas porções de peixe por semana ajuda a proteger contra doenças cardíacas.

Além do atum, outros peixes saudáveis para incluir na dieta são o salmão, o arenque e o sardinha.

Além de ser saudável, o atum é delicioso e versátil. Consuma pelo menos duas porções por semana para ter uma dieta saudável e equilibrada.

Sardinha

A Sardinha é um peixe de águas salgadas que possui carne magra e clara, e é rica em nutrientes importantes para a saúde. É uma boa opção para incluir na dieta, pois ajuda a emagrecer, diminuir o colesterol e controlar a diabetes.

A Sardinha é rica em proteínas, que colaboram para o aumento da massa muscular e para a redução da gordura corporal.

Além disso, esta espécie de peixe é fonte de ômega-um ácido graxo essencial para o bom funcionamento do organismo.

Os ômega-3 diminuem as taxas de triglicerídeos e de colesterol ruim (LDL) no sangue, previnem o aparecimento de doenças cardiovasculares e melhoram o funcionamento do cérebro.

A Sardinha também é uma boa fonte de vitaminas do complexo B, que são importantes para o metabolismo e para a manutenção da saúde do coração.

Esta espécie de peixe é ainda rica em ferro, zinco e selênio, nutrientes essenciais para o bom funcionamento do organismo.

Por tudo isso, a Sardinha é um peixe muito benéfico para a saúde e deve ser incluído na dieta de quem deseja emagrecer, diminuir o colesterol e controlar a diabetes.

Além disso, é uma boa opção para quem busca uma alimentação saudável e balanceada.

Salmão

O salmão é um dos peixes mais populares no mundo e é amplamente utilizado na culinária.

Além de ser saboroso, o salmão é rico em nutrientes, como proteínas, ômega 3 e vitaminas do complexo B. Esses nutrientes fazem do salmão um peixe ideal para dietas saudáveis.

O ômega 3 é um nutriente essencial para o bom funcionamento do organismo. Ele ajuda a reduzir os níveis de triglicerídeos e colesterol no sangue, além de prevenir o aparecimento de doenças cardíacas.

As vitaminas do complexo B ajudam a melhorar o humor, reduzindo a ansiedade e a depressão.

Outra vantagem de incluir o salmão na dieta é a baixa quantidade de gordura. Um filete de salmão tem cerca de 2,5 gramas de gordura, dos quais uns 1,5 gramas são gorduras saturadas.

Por isso, o salmão é um dos peixes mais indicados para quem quer perder peso.

Apesar de todos esses benefícios, o salmão nem sempre é fácil de encontrar. Por isso, uma alternativa é comprar salmão congelado. Ele pode ser usado para fazer sopas, risotos, caldeiradas e até sanduíches.

Bacalhau

Se você está tentando perder peso, adicionar peixe bacalhau à sua dieta pode ajudar.

Embora o bacalhau não seja o peixe mais magro, ele é uma excelente fonte de proteína magra, o que significa que você vai se sentir satisfeito após comer.

Além disso, o bacalhau é rico em nutrientes, como vitaminas B6 e Bferro e selênio.

Comer bacalhau duas vezes por semana pode ajudar a reduzir o risco de doenças cardíacas, diminuir o colesterol ruim no sangue e melhorar a memória.

Além disso, o bacalhau é uma ótima fonte de ômega-que pode ajudar a reduzir os sintomas de depressão.

Portanto, se você está procurando uma forma de incluir peixe na sua dieta, o bacalhau é uma ótima escolha.

Tilápia

A tilápia é um peixe de água doce nativo da África, mas que se tem tornado bastante popular na gastronomia mundial. Rica em proteínas, a tilápia é uma ótima opção para quem busca uma dieta saudável.

Apesar de ser um peixe relativamente caro, a tilápia é bastante nutritiva e pode ser consumida de diversas formas. Além das proteínas, a tilápia é rica em vitaminas do complexo B, ferro e ácidos graxos ômega-3.

Por ser um peixe de água doce, a tilápia é uma excelente opção para dietas sem carne. Sua carne é leve e, por isso, não engorda. Além disso, a tilápia é uma boa fonte de proteínas.

Quem deseja emagrecer pode incluir a tilápia na dieta como um substituto da carne vermelha. Como a tilápia não é um peixe gorduroso, ela é ideal para quem busca uma alimentação saudável.

Para aproveitar todos os benefícios da tilápia, é importante prepará-la da maneira correta. A carne do peixe deve ficar macia e leve, sem ficar seca ou gordurosa.

Além de ser um peixe delicioso, a tilápia é um alimento saudável e nutritivo. Quem deseja emagrecer pode incluí-la na dieta como um substituto da carne vermelha.

A tilápia é um peixe que possui diversos benefícios à saúde. Este peixe é rico em ômega-proteínas e vitaminas. Além disso, é um peixe barato e fácil de encontrar. Por isso, é uma boa opção para incluir na sua dieta semanal.

A tilápia pode ser preparada de diversas formas. Alguns pratos populares com esta espécie de peixe são o cuscuz de tilápia, a tilápia recheada, a tilápia ao molho de alcaparras e a tilápia grelhada.

Como preparar a tilápia

Para preparar a tilápia, basta temperá-la com sal, pimenta-do-reino e limão. Geralmente, estes ingredientes são o suficiente para deixar o peixe saboroso. Você também pode optar por usar ervas aromáticas, como manjericão, tomilho e alecrim.

Para aumentar o seu consumo de ômega-você pode incluir no seu prato de tilápia nozes, castanhas ou azeite de oliva. Estes alimentos são fontes de ômega-3 e proporcionam diversos benefícios à saúde.

A tilápia é um peixe magro e, por isso, é uma boa alternativa para quem quer perder peso. Além disso, este peixe é baixo em calorias e gorduras. Por isso, é uma ótima opção para quem quer seguir uma dieta saudável.

A tilápia é um peixe que pode ser consumido por pessoas de todas as idades. Ele é rico em nutrientes e proporciona diversos benefícios à saúde. Por isso, é uma boa opção para incluir na sua dieta semanal.

Os peixes magros listados acima são excelentes opções para uma dieta saudável. Além de serem ricos em proteínas e gorduras saudáveis, eles também contêm poucas calorias. Por isso, recomendo que você os inclua em sua dieta.

Agora que você sabe quais peixes magros incluir em sua dieta, é hora de começar a perder peso.

peixes na dieta

Como usar peixe grelhado na sua dieta

Aprenda a usar o peixe grelhado na sua dieta semanal de forma simples e prática.

Os benefícios do peixe grelhado são inúmeros, incluindo menor teor de gordura, menor teor de colesterol, maior quantidade de proteína, alta quantidade de ômega-3 e minerais essenciais, como o selênio e o iodo.

Além disso, o peixe grelhado é facilmente digerido e fornece uma boa quantidade de antioxidantes, que ajudam a eliminar os radicais livres do organismo.

Veja a seguir como usar o peixe grelhado na sua dieta semanal:

  • Escolha um peixe magro, como o salmão, a truta, o atum ou o peixe-espada;
  • Evite peixes gordurosos, como o bacalhau, a cavala e o peixe-rei;
  • Deixe o peixe grelhado por no máximo minutos, para que ele não fique seco.
  • Acompanhe o peixe grelhado com legumes cozidos ou salteados;
  • Coma o peixe grelhado duas vezes por semana.

O peixe é um dos alimentos mais saudáveis que você pode incluir na sua dieta. Escolha um peixe magro, como o salmão, a truta, o atum ou o peixe-espada, e deixe-o grelhar por alguns minutos. Acompanhe o peixe grelhado com legumes cozidos ou salteados e coma-o duas vezes por semana.

Conclusão sobre peixes para dieta

Muita gente não sabe, mas os peixes são uma excelente opção para quem quer emagrecer. Além de serem pouco calóricos, eles são ricos em proteínas e nutrientes essenciais para a saúde.

Os peixes mais indicados para dieta são o salmão, a tilápia e a truta. Eles possuem poucas gorduras, e a maioria das calorias vem das proteínas. Além disso, eles são ricos em ômega-um nutriente que melhora o funcionamento do organismo.

É importante lembrar que, mesmo sendo saudáveis, os peixes devem ser consumidos com moderação.

Por isso, antes de iniciar uma dieta à base de peixes, é importante consultar um nutricionista para avaliar a necessidade de suplementação de vitaminas e minerais.

Curta e compartilhe este artigo para ajudar outros leitores a descobrirem os benefícios do peixes para dieta.

Informações sobre peixes no Wikipédia

Enfim, gostou do artigo? Então, deixe seu comentário logo abaixo, ele é importante para nós.

Em seguida, veja também: Entenda tudo sobre a diferença entre o sashimi, sushi, niguiri e maki?

Acesse nossa Loja Virtual e confira as promoções!

Caixa de Comentários do Facebook

Você pode gostar

Deixe um comentário