Início Peixes Peixe Tainha: espécies, alimentação, características e onde encontrar

Peixe Tainha: espécies, alimentação, características e onde encontrar

por Otávio Vieira

Peixe Tainha é um nome que representa diversas espécies de peixes que pertencem à família dos mugilídeos. Dessa forma, grande parte destas espécies pertence ao gênero Mugil, porém o nome também pode representar outros gêneros ou peixes da ordem dos Perciformes.

Peixe Tainha é a designação vulgar de vários peixes da família dos mugilídeos. A maior parte das espécies pertence ao gênero Mugil. A família dos Mugilidae inclui cerca de 80 espécies divididas por 17 gêneros. Muitas das espécies são ainda conhecidas pelos nomes de curimã, curumã, tapiara, targana, cambira, muge, mugem, fataça etc.

Mugil cephalus ocorre nas águas costeiras das zonas tropicais e subtropicais de todos os mares. Elas são encontradas tanto em água salgada quanto água doce que estejam a uma temperatura entre 8 e 24º C. Elas passam grande parte do tempo perto da costa em torno das bocas de córregos e rios ou em baías, enseadas e lagoas com areia ou fundos de lama.

O peixe tainha pode chegar a 120 centímetros e atingir 8 Kg de peso. O corpo da tainha é alongado. Elas têm uma boca pequena, com dentes discretos. As nadadeiras peitorais são curtas, não alcançando a primeira barbatana dorsal. O corpo é verde-oliva acinzentado ao marrom acinzentado, com as laterais branco prateado.

Portanto, no conteúdo de hoje iremos tratar sobre as espécies de Tainha, seus diferenciais, curiosidades e dicas de captura.

Classificação:

  • Nome científico – Mugil cephalus, Chelon labrosus, Agonostomus monticola, Liza ramada e Mugil curema.
  • Família – Mugilidae.

Espécies de Peixe Tainha

Antes de mencionar as particularidades das principais espécies, saiba que a Tainha é usada na alimentação humana.

Nesse sentido, as espécies são alvo de pesca comercial, lúdica e desempenham grande importância na aquicultura, por isso, vamos conhecer as principais:

Principais espécies

Uma das principais espécies de Peixe Tainha seria o Mugil cephalus, catalogado em 1758.

Esta espécie também atende pelos nomes curimã, tainha-olhalvo, tainhota, urichoa, tamatarana e tapuji.

Com isso, os indivíduos apresentam um corpo robusto, comprimido, assim como a cabeça é larga e achatada.

O lábio superior do animal não tem papilas e é fino, bem como tem 1 ou 2 fileiras externas de dentes unicúspides pequenos e 6 fileiras internas de dentes bicúspides menores.

Já o lábio inferior tem uma fileira externa de dentes menores unicúspides e pode ter 1 ou mais fileiras internas de dentes bicúspides pequenos.

A cor do animal é prateada e ele tem algumas manchas negras ao longo dos flancos.

As barbatanas pélvicas e anal, bem como o lobo infeior da barbatana caudal são amarelados.

Desse modo, o comprimento padrão seria de 60 a 80 cm.

Como segunda espécie, conheça a tainha-liça que tem por nome científico Chelon labrosus.

Listada em 1827, a espécie atinge 90 cm de comprimento e cerca de 6 kg de peso.

Esta seria o peixe Tainha mais comum das águas frias, apresentando escamas grandes e uma cor prateada.

Outras características que diferenciam a espécie seriam o lábio superior espesso, boca pequena e a primeira barbatana dorsal com 4 raios grandes.

Há diversas espécies de Peixe Tainha que têm a importância para a pesca comercial

Há diversas espécies de Peixe Tainha que têm a importância para a pesca comercial

Demais espécies

A tainha-montanhesa (Agonostomus monticola), seria outro exemplo de Peixe Tainha.

Esta espécie alcança somente 5,4 cm de comprimento e habita as regiões subtropicais do Atlântico ocidental.

Por exemplo, a tainha-montanhesa habita desde a costa dos Estados Unidos até a costa da Colômbia e da Venezuela.

Os adultos podem viver em água doce de rios e ribeiros, enquanto que os jovens ficam em água salobra.

Outro exemplo seria a Tainha-fataça (Liza ramada) que habita a costa do nordeste do Oceano Atlântico.

Portanto, a espécie pode estar em regiões de Marrocos, Noruega, Mediterrâneo, Mar Negro, Mar Báltico e também o Mar do Norte.

Dentre os nomes vulgares, devemos evidenciar oirives, muge, mugem, fataça-do-ribatejo, moleca, bicudo, corveo e alvor.

Assim, o animal alcança 35 cm de comprimento, 2,9 kg de peso e cerca de 10 anos de vida.

Outras características importantes seriam a boca pequena, focinho curto e robusto, assim como um corpo fusiforme e cabeça achatada acima dos olhos.

Por fim, conheça a Tainha-branca (Mugil curema), que foi catalogada no ano de 1836.

A espécie também atende pelos nomes vulgares de solé, mondego, pratiqueira, parati-olho-de-fogo, pratibu, paratibu e parati.

Seu comprimento padrão seria de 30 cm, mas alguns pescadores já capturaram indivíduos com 90 cm.

Como diferenciais, a espécie tem uma coloração branca e não apresenta nenhuma listra.

Características do Peixe Tainha

“Peixe Tainha” é original do termo grego tagenías que tem por significado “bom para frigir”. Assim, dentre as características similares de todas as espécies, saiba que os peixes são neríticos eurialinos.

A palavra nerítica representa os peixes que vivem em uma região dos oceanos que corresponde ao relevo da plataforma continental.

Assim, a camada de água é situada sobre a plataforma, o que faz com que a zona não sofra com a influência das marés. No que diz respeito ao termo “eurialino”, isso significa que os peixes são capazes de suportar a variação de salinidade.

Isto é, os indivíduos conseguem migrar de água salgada para a água doce sem que o seu corpo seja afetado negativamente.

Os principais predadores da tainha incluem peixes maiores, aves e mamíferos marinhos. Pelicanos e outras aves aquáticas, bem como os golfinhos também atacam a tainha. Os seres humanos também são predadores importantes.

As Tainhas são comercializadas frescas, secas, salgadas e congelados com as ovas vendidas frescas ou defumadas. Este peixe também é usado em práticas medicinais chinesas. É um peixe comercial muito importante em muitas outras partes do mundo.

Reprodução do Peixe Tainha

A reprodução do Peixe Tainha ocorre nos meses de outono e inverno quando os adultos formam grandes cardumes e migram para o mar a fim de desovar.

As fêmeas põem de 0,5 a 2,0 milhões de ovos, algo que depende do seu tamanho. Assim, a eclosão ocorre depois de 48 horas, momento em que as larvas são libertas com cerca de 2 mm de comprimento.

Somente quando as larvas alcançam 20 mm, elas conseguem migrar para as águas interiores como os estuários e troços finais dos cursos de água.

A Tainha é catadrómica, isto é, elas desovam em água salgada mas passam a maior parte de suas vidas em água doce. Durante os meses de outono e inverno, a tainha adulta migra para longe da costa em grandes cardumes para desovar.

A vida útil de tainha é de sete anos para os machos e oito anos para as fêmeas, com uma média provável de vida de cinco anos.

Alimentação da Tainha

A alimentação do Peixe Tainha ocorre durante o dia e é herbívora. Ou seja, os peixes comem algas, detritos, zooplânctons e organismos bentônicos.

A Tainha se alimenta durante o dia, e nesse tempo permanece em cardumes, para proteção contra predadores. Sua dieta é composta principalmente de zooplâncton, matéria vegetal morta e detritos.

Curiosidades

Dentre as curiosidades, saiba que as espécies são muito importantes no comércio, além de fazerem parte do patrimônio gastronômico de diversas regiões.

Os ovos das espécies são os que mais têm valor, pois podem ser comidos salgados ou secos.

Por exemplo, quando consideramos o consumo no Brasil e falamos especificamente sobre o Pernambuco, a tainha é criada em viveiros. Com isso, o animal é vendido na Semana Santa.

O consumo mundial também é importante, como, por exemplo, desde a Catalunha até a Múrcia, na costa da Occitânia.

As vendas ocorrem também nas zonas costeiras da Itália como Calábria, Sardenha, Sicília e Toscana.

Mas, um ponto muito interessante é que a Tainha tem difícil conservação. Isso significa que o peixe pode ser conservado no gelo por apenas 72 horas.

Depois deste período, a carne não é mais comestível, ou seja, a melhor opção seria o consumo fresco.

Onde encontrar o Peixe Tainha

Acima de tudo, saiba que o Peixe Tainha está presente nas regiões tropicais e costeiras de todos os oceanos.

Portanto, quando consideramos o Atlântico ocidental, saiba que o peixe habita desde a Nova Escócia (Canadá) ao Brasil. Assim, podemos incluir também o Golfo do México.

Quanto ao Atlântico oriental, as espécies estão desde o Golfo da Biscaia até a África do Sul, incluindo o Mar Negro e o Mediterrâneo.

Já a distribuição no Pacífico oriental abrange as regiões desde a Califórnia ao Chile. Dessa forma, a Tainha prefere ficar em locais com pouca profundidade.

Dicas para pesca do Peixe Tainha

Como dica de captura do Peixe Tainha, use os equipamentos de ação leve a média e uma vara simples. É possível o uso de molinete ou carretilha e as linhas devem ser de 8 a 14 lb.

Prefira os anzóis afiados de nº 14 a 20 e como isca, use as algas filamentosas enroladas no anzol ou o miolo de pão. Outros exemplos de isca seriam a massa com aroma e o fígado de boi.

Informações sobre o Peixe-tainha no Wikipédia

Gostou das informações? Deixe seu comentário logo abaixo, ele é importante para nós!

Veja também: Peixe Garoupa: Conheça todas informações sobre essa espécie

Acesse nossa Loja Virtual e confira as promoções!

Youtube Video

Caixa de Comentários do Facebook

Deixe um comentário