Pesca Gerais

Peixe Pirarara: Conheça tudo sobre essa espécie

Sendo usado no mercado ornamental quando jovem, o Peixe Pirarara também pode ser uma excelente espécie para a pesca esportiva.

E isso ocorre devido o seu tamanho e todos os desafios que oferece em meio à captura.

Por isso, saiba mais detalhes da espécie, incluindo algumas dicas de pesca.

Classificação:

  • Nome científico – Phractocephalus hemioliopterus;
  • Família – Pimelodidae.

Características do Peixe Pirarara

Conforme a região, é possível encontrar o Pirarara como Uarara, Pirabepre, Parabebe, Torai Cajaro e Laitu.

E dentre as características do Peixe Pirarara, saiba que ele é de couro e tem um grande porte.

O animal também tem uma cabeça grande que é fortemente ossificada, assim como uma placa óssea que fica antes da nadadeira dorsal.

Inclusive, um ponto que pode diferenciá-lo seria a sua coloração, por isso, é considerado um dos peixes de couro mais coloridos da Amazônia.

Dessa forma, seu dorso varia do marrom ao preto, tal como pode apresentar alguns tons de verde.

Já o seu ventre tem uma cor do amarelo ao creme e os flancos são amarelados.

Assim, o bicho também apresenta uma cauda truncada que tem a cor de vermelho-sangue.

Além disso, o Pirarara tem três pares de barbilhões sensitivos que são comuns em sua família, sendo um em sua maxila e dois na mandíbula.

E uma característica interessante sobre os barbilhões é que eles emitem um alto bufo que começa grave e termina agudo quando o bicho os retira da água.

Nesse sentido, o som é emitido pela passagem do ar da cavidade bucal pelos seus opérculos.

Já com relação ao tamanho e peso, o peixe alcança os 1,2 metro e 70 kg.

Por fim, a espécie tem uma boa expectativa de vida, pois os animais podem alcançar ou ultrapassar 20 anos de idade.

Conhecido por ser uma espécie de grande porte, o Peixe Pirarara deve ser capturado com equipamentos específicos, saiba mais detalhes.
Peixe Pirarara do Rio Sucunduri – Amazonas

Reprodução do Peixe Pirarara

Sua reprodução acontece uma vez por ano nos períodos de cheia.

Alimentação

O Peixe Pirarara tem um hábito alimentar onívoro, ou seja, ele pode comer diversos alimentos.

Por exemplo, o animal come frutas, caranguejos, aves e tartarugas.

E também é possível que a espécie se alimente de restos de animais mortos e peixes que estejam em decomposição.

Curiosidades

Conforme os registros de fósseis descobertos por paleontólogos, o Peixe Pirarara existe na América do Sul há mais de nove milhões de anos.

Portanto, naquele período os animais conseguiam superar o porte médio atual e de acordo com o povo amazônico, os peixes chegavam a atacar pessoas.

E basicamente o relato deste povo é confirmado pelo sertanista Orlando Villas-Bôas que afirma ter presenciado o sumiço de um dos homens no Rio Araguaia.

Eles participavam de uma expedição Roncador/Xingu quando o evento aconteceu.

Além disso, outra curiosidade é que a espécie geralmente não é criada em aquário, tendo em vista que o animal é de grande porte.

Assim, o tanque precisaria ter uma capacidade de no mínimo, 10.000 litros ou exposição em aquário público.

Onde encontrar o Peixe Pirarara

De modo geral, o Peixe Pirarara está em toda a região norte e parte do centro-oeste, nas bacias Amazônica e do Araguaia-Tocantins.

E especificamente, a espécie pode ser pescada em Goiás e também no Mato Grosso.

Por isso, os peixes ficam em canais de rios que possuam águas negras ou claras, assim como os igapós

E de acordo com os pescadores mais experientes, o melhor momento de captura seria no começo de maio e até o mês de outubro, quando os rios estão em seu leito normal.

Há também a possibilidade de capturar o Peixe Pirarara durante o ano todo, em rios que não extravasam o leito.

Sendo assim, confira duas características importantes:

A primeira é que o peixe gosta de se aquecer ao sol próximo à superfície durante o dia.

Aliás, em rios como o Javaés, o animal tem o costume de colocar a sua nadadeira dorsal para fora da água.

Dicas para pesca do Peixe Pirarara

Em geral, o mais indicado seria o uso de iscas naturais para a captura da espécie, pois as artificiais são menos eficientes.

Mas, não se preocupe porque em regiões com água rasa, os animais podem atacar iscas como as colheres e plugs de meia água.

E quanto às iscas naturais, use a que estiver disponível porque o animal come qualquer peixe ou seus pedaços.

Por outro lado, o melhor momento para a pescaria seria no início da noite, em áreas rasas e próximas de estruturas submersas. Inclusive, as praias com água corrente também podem ser boas regiões.

Já os materiais ideais são os seguintes:

Use um equipamento com modelo pesado, devido o tamanho do peixe e perto de estruturas, prefira uma linha de 0,90 mm.

Nestes locais, use também uma vara inteiriça de fibra e uma carretilha pesada.

Em contrapartida, para um lugar espraiado e que não tenha estruturas, use uma linha de 0,60 mm ou menos.

Mas lembre-se de que um Peixe Pirarara de 20 kg tem força suficiente para estourar uma linha de 120 mm, quando a linha trava.

Ou seja, você precisa deixar o peixe correr um pouco antes de fisgar, para evitar que a linha estoure.

E finalmente, entenda que o período de seca é o melhor para a captura da espécie, no entanto, priorize as regiões sem muito enrosco. Assim, você consegue evitar as quebras de linha.

Gostou das informações? Deixe seu comentário logo abaixo, ele é importante para nós!

Veja também: Kit de pesca – Saiba como escolher o ideal para sua pescaria

Visite nossa Loja Virtual e confira as promoções!

Posts Relacionados

Deixe um Comentário