Início Peixes Peixe Pacu: curiosidades, espécie, onde encontrar, dicas para pesca

Peixe Pacu: curiosidades, espécie, onde encontrar, dicas para pesca

por Otávio Vieira

O Peixe Pacu é natural dos rios Paraguai e Paraná, assim como ocorre desde a província de Entre Rios até a represa de Itaipu.

E uma vez que o peixe tem uma carne de muita qualidade, ele foi introduzido em diversos cursos de água nas regiões Sudeste e Nordeste do nosso país.

É encontrado em vários tipos de corpos d’água continentais e invade florestas inundadas para se alimentar de nozes e sementes que caem das árvores durante a época das cheias. Apresenta corpo romboidal e comprido. Sua cor é cinza escuro no dorso e amarelo dourado no ventre, podendo variar de acordo com o ambiente. Possui corpo comprimido, alto e em forma de disco com quilha ventral com espinhos, cujo número pode variar de 6 a 70. Seus dentes são em forma de molares.

É um dos maiores pacus entre a grande variedade que habita os rios brasileiros. Considerado um dos peixes mais esportivos do Pantanal brasileiro e de grande importância comercial.

Portanto, ao prosseguir a leitura, você poderá conhecer todos os detalhes sobre este peixe de escamas, incluindo a reprodução, alimentação e até mesmo curiosidades.

Classificação:

  • Nome Popular: Pacu, Pacu Caranha — Inglês: englishnames;
  • Nome científico – Piaractus mesopotamicus;
  • Família – Caracídeos.
  • Distribuição: América do Sul, bacias do Paraná, Paraguai e Uruguai. Introduzido na Bacia do São Francisco e do Araguaia-Tocantins.
  • Tamanho Adulto: 70 cm (comum: 50 cm)
  • Expectativa de Vida: 10 anos +
  • Temperamento: Variável
  • Aquário Mínimo: 250 cm X 70 cm X 60 cm (1050 L)
  • Temperatura: 22°C a 28°C
  • pH: 6.0 a 8.o – Dureza: indiferente

Características do peixe Pacu

Pacus-Caranha e Caranhas também são alguns nomes comuns para o peixe Pacu, que perde em porte, apenas para os Dourados.

Sendo assim, é interessante que você saiba que os Pacus conseguem atingir mais de 80 cm e pesam cerca de 10 kg. Há também alguns relatos de que um exemplar de 20 kg foi capturado.

Nesse sentido, o que difere esta espécie das demais seria a sua nadadeira anal com menos de 27 raios. A ausência de um espinho pré-dorsal e os primeiros raios das nadadeiras que são maiores que os medianos, também são características que diferenciam a espécie.

Por outro lado, quanto à coloração do animal, é importante citar que os peixes variam do castanho ao cinza escuro, de acordo com a época do ano. Por exemplo, nas épocas de cheia, o bicho tem o costume de entrar em campos alagados e normalmente escurece e torna-se pálido. E isso ocorre porque ele permanece nas calhas de rios.

Já com relação ao seu ventre, ele é esbranquiçado ao amarelo ouro e às vezes seu dorso tem alguns tons de roxo ou azul escuro.

Este animal oferece uma pesca muito prazerosa, por isso, é um dos peixes mais esportivos do Pantanal, além de possuir um bom valor comercial.

Tem uma carne muito saborosa, por isso é muito pescado. É uma espécie muito utilizada na piscicultura e na formação do híbrido Tambacu quando cruzado com Tambaqui.

Tambacu: Híbrido entre Tambaqui (Colossoma macropomus) e Pacu-caranha (Piaractus mesopotamicus). Ele foi criado para combinar o desenvolvimento do crescimento do Tambaqui e a resistência ao frio do Pacu.

O Pacu-Caranha apresenta a cor preta quando encontrado em rios do Pantanal com águas cristalinas. Aliás, o pacu-caranha do Rio Aquidauana não é preto e é bem mais claro.

peixe pacu pescador johnny hoffmann 01

Pacu capturado pelo pescador Johnny Hoffmann

Informações e mais características do peixe Pacú

Como dissemos no início do artigo, a aparência do peixe Pacú é bastante semelhante à de uma piranha, seu corpo é arredondado, estreito nas laterais e totalmente coberto por escamas.

Além disso, possui peculiares olhos esbugalhados e pode atingir um tamanho significativo, cuja média é de 70 cm e até muito mais. Na realidade, seu tamanho varia se for um peixe em cativeiro ou se estiver em seu habitat natural.

Seu grande tamanho, peso e sabor fazem dele um dos pratos favoritos das pessoas em certas áreas.

Seu corpo é prateado com coloração alaranjada, embora como em outras características já citadas, sua cor também mude, mas desta vez de acordo com a espécie. O que é quase uma regra é que sua barbatana anal é preta.

Um detalhe interessante é que nesta espécie há acentuado dimorfismo sexual. As fêmeas superam o macho em tamanho e seus corpos são ainda mais robustos. Além disso, os machos desenvolvem uma nadadeira dorsal maior e seu corpo é mais colorido.

Algo que caracteriza o peixe Pacú são seus dentes peculiares, muito parecidos com os dos humanos. A propósito, embora este peixe não seja um animal violento, sua mordida é potencialmente prejudicial, pois possui uma força marcante em suas mandíbulas.

Por outro lado, este peixe raro tem um olfato altamente desenvolvido. É sensível a diferentes odores, como gordura animal, moluscos, sangue, insetos e até urina.

Entenda mais sobre o comportamento do Pacú

O peixe Pacú costuma ser observado em cardumes de 5 a 7 peixes e não é considerado uma ameaça ao ser humano por se caracterizar por seu comportamento pacífico.

No entanto, já houve acidentes com mordidas, mas isso só aconteceu em raras ocasiões porque o Pacu não é um animal carnívoro.

Da mesma forma, não há problema em quando é sua vez de conviver com outros peixes. Adapta-se perfeitamente aos colegas com quem tem de partilhar espaço.

Este peixe raro é um animal muito utilizado para decorar aquários junto com peixes tão lindos como este. Já que para tê-lo você só precisa levar em conta certos cuidados básicos.

Como acontece a reprodução do peixe Pacu

O peixe Pacu é típico da piracema, por esse motivo, a sua procriação se consiste na migração reprodutiva. Com isso, os animais conseguem encontrar um local adequado para a reprodução e o desenvolvimento das larvas.

Ovíparo. É um peixe que realiza todas as desovas, ou piracema, e faz longas migrações rio acima para se reproduzir.

Sua reprodução é semelhante a outros caracídeos, são considerados propagadores livres. A fêmea libera seus ovos na água e o macho nada em volta e os fertiliza.

Os ovos eclodem em poucas horas se mantidos em temperatura mais alta e, após dois ou três dias após a eclosão, os alevinos consumiram o conteúdo do saco vitelino e estão começando a nadar livremente. Não há cuidados parentais.

O dimorfismo sexual pode ser verificado pela observação da nadadeira anal, que é emarginada nas fêmeas e bilobada nos machos. São reproduzido artificialmente no laboratório para repovoamento da barragem.

Como o peixe Pacú costuma estar em cardumes, a reprodução costuma ser bastante numerosa. A reprodução desse peixe é migratória, pois eles se deslocam para riachos menores para desovar.

Normalmente, este peixe reproduz-se no verão porque é assim que consegue a temperatura certa para os seus ovinhos. Algo marcante é que a fêmea deixa os ovos e o pai cuidará deles por mais de 72 horas até que ocorra a eclosão.

O que o peixe Pacu come? Sua alimentação

Como o peixe Pacú tem dentes poderosos, ele pode se alimentar de coisas que poucos peixes costumam usar como alimento.

Por exemplo, coma frutas com casca, como nozes ou sementes duras. No entanto, sua dieta é composta principalmente de vegetais.

Nesse sentido, quem mantém esses animais em aquários costuma alimentá-los com alface, cenoura, maçã, banana, pêssego, abóbora, repolho, ervilha, entre outros.

Embora o peixe Pacú não seja considerado um animal carnívoro, é claro que ele é onívoro e por isso, em raras ocasiões, pode se alimentar de outros peixes bem menores que ele.

Essa grande variedade em sua dieta é o que permite ao peixe Pacú se alimentar de praticamente tudo que passa a sua frente e assim obter um grande peso e tamanho.

O peixe pacu é uma espécie onívora e que tende a ser herbívora. Assim, conforme a mudança da época do ano e também da oferta de comida, os hábitos alimentares dos pacus são alterados. Portanto, eles podem se alimentar de frutos, folhas, sementes e algas.

Porém, em algumas ocasiões os pacus também comem moluscos (caramujos), pequenos peixes e alguns crustáceos como os caranguejos.

Curiosidades sobre a espécie

A princípio, devemos falar que o peixe Pacu normalmente não consegue subir as quedas d’água com grandes desníveis.

Como consequência, esta espécie é comum em regiões de planícies.

Além disso, o animal apresenta grandes similaridades com os peixes Curimbatá, Dourado e Pintado, pois eles produzem uma enorme quantidade de ovos e larvas, bem como, os abandona.

Em outras palavras, o cuidado paternal com a prole é praticamente inexistente e assim, menos de 1% do total desovado, consegue chegar à idade adulta.

Outro ponto muito curioso é que os pescadores dificilmente conseguem diferenciar os pacus machos e fêmeas, afinal a única diferença evidente seria a granulação da superfície da nadadeira anal na época da desova.

Peixe-pacu

Peixe-pacu

Onde encontrar do peixe Pacu

Antes de qualquer coisa, saiba que o peixe Pacu é comum nas Bacias Amazônica, Araguaia/Tocantins e do Prata. Dessa forma, os peixes ficam localizados nas calhas principais de rios, em geral, dentro de corixos, vazantes e das matas inundadas, na época de cheia.

Sendo assim, os Pacus também podem ser encontrados escondidos sob a vegetação nativa. Às vezes é possível encontrar o animal boiando no meio de lagoas ou suspensos nas correntezas de rios.

O peixe Pacú é um animal que habita a água doce e é encontrado principalmente no rio Amazonas. No entanto, esta espécie migratória pode ser encontrada em vários rios ao redor do mundo.

Embora o peixe Pacú seja normalmente exportado para outros lugares devido ao seu sabor e por ser um excelente prato, em algumas regiões chegou a ser considerado uma ameaça à ecologia por afugentar espécies nativas ao tirar seu habitat.

Dicas para pesca do peixe Pacu

Por certo, caso você esteja pescando na natureza, uma boa captura do peixe Pacu ocorre quando há o uso de anzóis bem afiados. Isso porque o peixe tem uma boca dura, algo que dificulta a penetração do anzol.

Deste modo, uma dica muito boa é que você tenha paciência, até que o peixe acomode a isca na boca e finalmente seja o momento de fisgar.

Aliás, evite o uso de um empate de aço desgastado porque, caso contrário, o peixe será perdido.

De outra forma, em um pesque-pague, o ideal é o uso de varas mais longas, em especial pela potência da fisgada que a alavanca oferece, bem como uma maior penetração do anzol.

Por exemplo, use uma vara resistente com 4 a 5m de comprimento, juntamente com uma linha de 0,60 a 0,70mm.

Mas, de modo geral, é importante que você use somente iscas naturais para a pesca deste animal.

Por isso, você pode usar como isca: Laranjinha-de-pacu, tucum, caranguejo, minhocuçu, filé de curimbatá azedo, bolinhas de massa de farinha de mandioca e alguns pedaços de jenipapo.

Em conclusão, caso seja possível, a pesca embarcada é a mais recomendada para a captura do peixe Pacu. Isso porque é fundamental que você consiga alcançar os locais em que o peixe vive.

Inclusive, seja silencioso e tenha paciência. Dessa forma, a pescaria será eficiente.

Youtube Video

Aquário e comportamento

Não é considerado um peixe ornamental, mas é mais valorizado na pesca ou no consumo humano.

Ideal para criação em lagos ou grandes tanques, é uma espécie muito ativa que atinge grandes tamanhos.

Seu comportamento é variável e pode se tornar agressivo à medida que amadurece.

Ele pode mordiscar peixes mais lentos ou sedentários quando jovem e pegar pedaços de carne ou escamas de outros peixes quando totalmente crescidos. Só deve ser mantido com peixes de tamanho semelhante ou maiores.

Informações sobre o Peixe-pacu no Wikipédia

Gostou das informações? Deixe seu comentário logo abaixo, ele é importante para nós!

Veja também: Pescaria de Tambacu com Ração Labina, discas e informações

Visite nossa Loja Virtual e confira as promoções!

Youtube Video

Receita de Pacu recheado

Youtube Video

Receita de Pacu assado com vinagrete

Youtube Video

Caixa de Comentários do Facebook

Deixe um comentário

1 comentário

Amélia 24 de fevereiro de 2021 - 20:06

Amei as dicas foi muito útil posso afirmar que já pesquei muitos peixes pacus aqui no Rio Miranda e Aquidauana gosto tanto que resolvi criar o peixe aqui no meu sítio!, e olha estou apaixonada…

Responder