Início Peixes Peixe Namorado: alimentação, curiosidades, dicas de pesca e habitat

Peixe Namorado: alimentação, curiosidades, dicas de pesca e habitat

por Otávio Vieira

O Peixe Namorado é considerado um grande troféu na pesca esportiva não só pela força e emoção que proporciona, mas também por sua carne saborosa.

No geral, a carne do animal é querida na culinária em diversos restaurantes, principalmente porque tem poucos espinhos e não há gordura.

Além de esportivo, ele é cobiçado por seu sabor delicado, já que sua carne é constituída por fibras musculares brancas. Mas é preciso ir fundo para ter um namorado na linha.

O Namorado, tem corpo alongado e perfil superior convexo, o inferior sendo mais retilíneo. Cabeça e olhos são grandes, e a boca subterminal, com tamanho moderado.

A nadadeira dorsal é longa, ocupando quase toda essa região do corpo do peixe e medindo cerca do dobro da anal. A nadadeira peitoral tem bordo arredondado e a caudal é truncada, com os raios superiores e inferiores das extremidades ligeiramente mais longos.

A cor castanha e cinza cobre o dorso do namorado, que tem ventre branco e uma faixa longitudinal bege clara que se estende do olho até o final da nadadeira dorsal.

Sendo assim, hoje iremos falar mais sobre esta espécie que foi catalogada no ano de 1903, tal como citar as suas principais características e curiosidades.

Também será possível conferir as melhores dicas de pescaria.

Classificação:

  • Nome científico – Pseudopercis numida;
  • Família – Pinguipedidae.

Características do peixe Namorado

O Peixe Namorado faz parte de um gênero que é composto por peixes oriundos das águas costeiras da América do Sul.

Dessa forma, é possível diferenciar os indivíduos, pois eles têm cabeças e corpos robustos.

Falando sobre o Namorado em específico, saiba que o animal é alongado, tem um corpo roliço, como também um focinho arredondado e curto.

A cabeça de fato é grande e tem um formato oval.

Já a boca é grande e termina à altura dos olhos, ao mesmo tempo em que os lábios são grossos.

Além disso, há uma mancha castanha logo atrás das guelras do animal.

Vale citar que geralmente a coloração base é castanha e tem alguns tons de violeta no dorso.

Por fim, os indivíduos alcançam 1,2 m de comprimento total e mais de 30 kg de peso, algo que pode variar muito entre macho e fêmea.

Reprodução do peixe Namorado

A reprodução do Peixe Namorado acontece nos meses de março até maio e depois de setembro até novembro.

Com isso, um ponto relevante é que o bicho alcança a maturidade sexual com cerca de 5 anos de vida, pois vive muito tempo.

Quanto ao dimorfismo sexual, cabe citar que existem diversos estudos que apontam as diferenças entre machos e fêmeas.

Em primeiro lugar, é comum que o Namorado macho tenha a cabeça, a região dorsal do corpo e as barbatanas caudais e peitorais na cor negra.

De outro modo, a fêmea tem uma cor castanha amarelada nestas regiões.

Dessa forma, as diferenças que estão relacionadas com a cor podem mudar de acordo com a idade.

E por falar em idade, é comum que os machos alcancem 30 anos, enquanto que as fêmeas vivam somente 17 anos.

Aliás, há diferenças no tamanho e peso, tendo em vista que elas têm 90 cm e 8 kg, ao mesmo tempo em que eles são maiores e mais pesados, alcançando 1,5 m e 47 kg.

Alimentação

O Peixe Namorado tem hábitos carnívoros, comendo crustáceos e pequenos peixes.

Além disso, é um animal muito agressivo que caça durante o dia.

Curiosidades

A principal curiosidade do Peixe Namorado seria a origem do seu nome vulgar.

De acordo com uma lenda antiga brasileira, o animal seria um dos melhores presentes para se dar a uma pessoa amada.

Ainda conforme a lenda, o pescador apaixonado deve capturar o peixe e oferecer para a sua amada.

Caso o amor seja mútuo, a moça cozinha o peixe, convida o pescador para jantar e eles dão início ao namoro.

Ou seja, da lenda vem o principal nome vulgar desta espécie, que é conhecida como “Peixe Namorado” em todas as regiões do nosso país.

O nome se tornou tão famoso que a designação para a espécie na língua inglesa é “Namorado sandperch”.

Outra grande curiosidade é que segundo a Associação Internacional de Pesca Desportiva, o recorde mundial de captura da espécie foi apontado em 7 de março de 1998.

A captura foi feita por Eduardo Baumeier, no Rio de Janeiro e o peixe tinha 20,2 kg.

Onde encontrar o peixe Namorado

O Namorado está presente em países como o Uruguai e Argentina.

Na Argentina, o animal habita principalmente o Golfo de São Jorge.

Em nosso país, é comum ver o Peixe Namorado desde o Rio de Janeiro até a costa de Santa Catarina.

Desse modo, é comum que os indivíduos fiquem em uma profundidade entre 50 e 650 m, por isso, preferem os fundos de rochas, cascalhos ou areias e também as ilhas oceânicas.

Acredita-se também que a espécie tem um comportamento similar ao de outros peixes de águas rasas do Pacífico.

Isso significa que o animal fica imóvel, apoiado sobre as pélvicas à espreita de presas, entre pedras e bolsões de areias.

Dicas para pesca do peixe Namorado

O Peixe Namorado pode ser pescado durante todo o ano, mas a melhor época seria a do verão.

Assim, os peixes ficam agitados e mais próximos, no calor.

Dessa forma, a pesca embarcada é a mais indicada e o pescador também pode realizar a surfcasting, que seria a pesca na praia.

Mas, cabe citar que caso você prefira a surfcasting, provavelmente conseguirá capturar indivíduos menores.

Isso ocorre porque os peixes maiores habitam o fundo e os novos ficam na costa.

Com isso, sempre use os equipamentos de médio a pesado.

Para saber exatamente o tipo de equipamento, pergunte a um pescador da área qual o tamanho padrão dos peixes desta espécie na região.

Além disso, use linhas de 0,35 até 0,45 lb do tipo multifilamento e anzóis de até 0/5 ou menores.

Uma dica importante seria usar uma chumbada pequena para manter a isca no fundo, assim como preferir entre as iscas naturais como os peixes de pequeno porte ou crustáceos.

Os Equipamentos

As profundidades nas quais os namorados são normalmente encontrados, dos 40 aos 150 metros, fazem com que sua pesca seja basicamente de fundo, com iscas naturais, embora capturar também possam ocorrer com metal jigs. Os grandes exemplares vivem em profundidades ainda maiores, daí a busca por esse peixe ser classificada como de fundo oceânico.

Varas: De até 6 pés, classe 35 s 60 libras. É necessário potência para recolher tanto o conjunto iscas e chumbadas e brigar com os peixes a grandes profundidades.

Carretilha e Molinetes: Embora equipamento “manuais” empregados na pesca vertical com metal jigs possam ser usados, a tendência na modalidade é o uso de carretilhas elétricas, com capacidade para pelo menos 200 metros de linha escolhida. É preciso instalar fiação e terminais elétricos ao barco ou contar com baterias portáteis.

Linhas: De multifilamento com 50 a 60 libras de resistência, já que há a possibilidade de peixes de peso (como chernes) aparecerem.

Anzóis: Circulares, com tamanho entre 4/0 e 7/0, armados em sistema de pargueira (esquema de montagem no capítulo dos pargos).

Chumbadas: De 150 a 300 gramas conforme a profundidade, em formatos hidrodinâmicos para atingirem o fundo mais rapidamente.

Iscas: Filés de bonito, lulas inteiras ou em tiras, camarões e filés de sardinha.

Informações sobre o Peixe-namorado no Wikipédia

Gostou das informações? Deixe seu comentário logo abaixo, ele é importante para nós!

Veja também: Peixe Bonito: Conheça todas informações sobre essa espécie

Acesse nossa Loja Virtual e confira as promoções!

Youtube Video

Caixa de Comentários do Facebook

Deixe um comentário