Pesca Gerais

Peixe Mandubé: Conheça tudo sobre essa espécie

O Peixe Mandubé é uma espécie com hábitos noturnos que se esconde entre os galhos e pedras durante o dia.

Inclusive, o animal pode ser pescado com o uso de materiais leves, mas oferece grande resistência, pois dá inúmeros saltos quando fisgado.

Por isso, entenda mais sobre a espécie e algumas dicas de pesca:

Classificação:

  • Nome científico – Ageneiosus brevifilis;
  • Família – Ageneiosidae.

Características do peixe Mandubé

O Peixe Mandubé também pode ter por nome vulgar “Palmito” pelo sabor de sua carne e também pela maciez da pele.

As características acima diferenciam o animal e muitos acreditam até que ele não seria uma espécie de couro.

Outro exemplo de nome vulgar seria Fidalgo e com relação às características corporais, o animal é alto e um pouco comprimido.

Também vale citar que ele tem uma cabeça larga, achatada e pouco desenvolvida, assim como uma boca muito grande.

Já o olho do Peixe Mandubé fica na lateral de seu corpo, algo que facilita a visão e sua abertura branquial é pequena, uma característica da família.

Quanto à coloração, o peixe pode ter o dorso azul escuro e seus flancos são amarelados, um tom que clareia em direção ao ventre. Há também algumas manchas ovais pretas.

Esta é uma espécie de porte médio que alcança 50 cm de comprimento e 2,5 kg de peso.

Reprodução do peixe Mandubé

A reprodução do Peixe Mandubé ocorre durante as cheias e nos meses de novembro até fevereiro.

Por isso, a espécie aproveita as inundações das margens do rio para realizar a desova e a geração é interna.

Isso significa que as fêmeas podem escolher o melhor local de desova porque elas têm a capacidade de carregar os espermatozóides sem fecundar os ovócitos.

E também se acredita que os peixes migram rio acima para desovar no período da piracema, assim como fazem a desova total.

Ou seja, as fêmeas conseguem liberar os ovócitos maduros de uma vez e isso ocorre quando os peixes atingem 150 mm de comprimento.

Porém são poucas as informações sobre a reprodução natural desta espécie. Até mesmo a reprodução em cativeiro é inexplorada.

O Peixe Mandubé é um animal com hábitos noturnos e que pode ser pescado com o uso de iscas diversas
Peixe Mandubé capturado no Rio Xingu pescador Otávio Vieira

Alimentação

Em geral, esta família se alimenta de larvas e vermes e o Peixe Mandubé come invertebrados como os insetos e camarões.

O bicho também pode comer outros peixes, por isso, é carnívoro.

É possível pescar o animal ao longo dos rios, remansos e entre corredeiras, justamente porque ele come nestes locais.

E de acordo com um estudo que tinha por objetivo entender mais sobre a dieta desta espécie, notou-se uma curiosidade muito importante:

Em geral, as fêmeas são maiores em quantidade quando o alimento é disponível em abundância.

Nesse sentido, ao estudar um reservatório em que a quantidade de alimento era boa, a quantidade de fêmeas era inferior.

Por isso, essa variação sexual chama muito a atenção de pesquisadores e pode ser relevante para o cultivo desta espécie em cativeiro.

Curiosidades

Há duas curiosidades interessantes sobre esta espécie, o seu dimorfismo sexual e as outras espécies parecidas.

Em primeiro lugar, o casal é diferente pelas seguintes características:

O barbilhão do macho é ossificado e os raios das nadadeiras anal e dorsal são mais duros.

No que diz respeito à segunda curiosidade, saiba que há outras espécies do gênero Ageneiosus, que podem ser chamadas dos mesmos nomes vulgares.

As diferenças estão no tamanho (os indivíduos de outras espécies são menores) e também pelo padrão de cores.

E isso ocorre porque toda a família do Peixe Mandubé é endêmica da região neotropical.

Em outras palavras, os peixes da espécie ocorrem somente em uma região específica devido as suas barreiras climáticas, físicas ou biológicas.

Essas “barreiras” dificultam a sua distribuição e quando ela ocorre, os novos indivíduos sofrem com uma seleção natural e desenvolvem algumas características diferentes.

Para melhor exemplificar, a espécie Ageneiosus ucayalensis também pode ser chamada de Mandubé ou Fidalgo.

Assim, a alimentação é similar a do A. brevifilis, mas suas características corporais são diferentes, além do A. ucayalensis ser comum somente na Bacia Amazônica.

Onde encontrar o peixe Mandubé

O Peixe Mandubé está nas Bacias Araguaia-Tocantins, do Prata e Amazônica.

Portanto, o animal habita o fundo de leitos dos rios grandes ou médios. Em geral, as águas são barretas e escuras.

Também pode estar em remansos entre as corredeiras e tem o comportamento noturno, por isso, sai para caçar durante a noite.

Dicas para pesca do peixe Mandubé

Para a captura do Peixe Mandubé, prefira o uso de equipamentos leves, assim como, utilize molinete ou carretilha.

As linhas podem ser de 0,30 a 0,40 lb e os anzóis devem ser de n° 2 a 8.

Com relação às iscas, prefira os modelos vivos ou em pedaços de espécies como lambari e sauá.

Use também a famosa minhoca, pitu, coração e fígado de boi, tripa de galinha e os insetos.

Também é importante que você use técnicas da pesca noturna, levando em consideração os hábitos do animal.

Informações sobre o Peixe-mandubé no Wikipédia

Gostou das informações? Deixe seu comentário logo abaixo, ele é importante para nós!

Veja também: Peixes das Águas Brasileiras – Principais espécies peixes de água doce

Acesse nossa Loja Virtual e confira as promoções!

Posts Relacionados

Deixe um Comentário