Pesca Gerais

Peixe Jundiá: Conheça tudo sobre essa espécie

Peixe Jundiá é um nome comum dado a algumas espécies que são distribuídas em toda a América do Sul.

Deste modo, nessas regiões é possível encontrar jundiás de diversos tipos, que podem ter coloração, tamanho e uma aparência diferenciada.

Por esse motivo, para identificar esta espécie com facilidade, nos acompanhe e conheça todos os seus detalhes.

Classificação:

  • Nome científico – Rhamdia sebae;
  • Família – Pimelodidae.

Características do peixe Jundiá

O peixe Jundiá representa 11 espécies do gênero Rhamdia, sendo um peixe de couro e de água doce.

Sendo assim, uma característica que diferencia os animais desta espécie é sua coloração.

Com o padrão de cores entre o marrom e o bege, o peixe tem formas irregulares de manchas, como as manchas de uma onça pintada.

De outra forma, em sua parte inferior da cabeça a pigmentação varia.

Além da coloração, você pode identificar esta espécie pelos grandes barbilhões que lhe servem como órgão sensitivo e sua cabeça achatada.

O maxilar superior do peixe, também costuma ser mais longo do que o inferior.

Também é possível conferir no bicho uma longa nadadeira adiposa e um espinho serrilhado, em ambos os lados, em sua nadadeira peitoral.

Em conclusão, os olhos do peixe Jundiá têm tamanho médio, seu comprimento é de 1 m e ele pode alcançar cerca de 10 kg.

Reprodução do peixe Jundiá

Em primeiro lugar, lembre-se de que os cardumes desta espécie costumam desovar em locais com água limpa, calma e de fundo pedregoso.

Dessa forma, a partir de 17 ou 18 cm, o macho e a fêmea atingem a maturidade sexual, um processo que ocorre no primeiro ano de vida.

Depois disso, eles estão aptos para a reprodução e contam com dois picos reprodutivos por ano, um durante o verão e outro na primavera.

Assim, o peixe Jundiá tem um comportamento reprodutivo similar ao de muitas espécies de água doce e os machos e fêmeas têm um bom sincronismo na hora da desova, que ocorre normalmente ao amanhecer.

Um diferencial desta espécie é que os animais não apresentam um grande cuidado parental, diferentemente do peixe Aruanã, por exemplo.

E com relação ao crescimento dos alevinos, saiba que é muito rápido. Os peixes atingem 5 cm de comprimento com apenas 30 dias de idade.

Alimentação

O Peixe Jundiá apresenta hábitos onívoros, mas também tem tendência a piscívoro e a bentônico.

Isso significa que o animal se alimenta de outros peixes, crustáceos, insetos terrestres e aquáticos, restos vegetais, assim como, alguns detritos orgânicos.

Ou seja, a alimentação desta espécie é muito variada.

Curiosidades

Primeiro de tudo, o peixe Jundiá é eurialino, isto é, ele consegue se adaptar fisiologicamente para suportar largas faixas de variação de salinidade.

Por exemplo, os indivíduos alevinos da espécie suportam a transferência de água de 0%o a 10%o (água do mar).

Por isso, os peixes conseguem suportar até 9,0 g/l de sal comum (NaCl) por 96 h, apresentando também um comportamento estenoalino.

Depois disso, outro ponto curioso é que o Jundiá é euritérmico, ou seja, o bicho pode suportar grandes variações de temperatura no ambiente.

E esta característica é ainda mais eficiente nos primeiros anos de vida.

Além disso, com relação ao crescimento do peixe Jundiá, os machos se desenvolvem mais que as fêmeas até o terceiro ou quarto ano de vida.

Mas, a partir deste momento a situação se inverte e as fêmeas crescem mais que os machos.

Basicamente é comum encontrar fêmeas de 67 cm e machos de 52 cm.

E por fim, as fêmeas vivem mais, pois alcançam a idade de 21 anos, diferentemente dos machos que vivem apenas 11 anos.

Onde encontrar o peixe Jundiá

Comum na bacia Amazônica, o animal pode ser pescado na região ao norte do Mato Grosso, na divisa do Estado do Pará.

Com isso, costuma habitar os lagos e poços fundos de rios, bem como, as águas limpas, calmas, profundas e com o fundo de areia e lama.

Aliás, junto às margens e a vegetação, próximo de pedras e troncos, também é possível encontrar o peixe Jundiá.

Em suma, entenda que a pesca noturna neste caso, é uma excelente opção.

Isso porque de acordo com alguns experimentos com larvas e alevinos, foi possível identificar uma grande aversão à luz e a preferência por locais escuros.

Por isso, a espécie costuma se movimentar a noite

Dicas para pesca do peixe Jundiá

Assim como foi dito acima, os jundiás preferem as águas calmas, por isso, caso esteja pescando em rios e lagos, procure remansos e poços mais fundos.

Entretanto, em um pesqueiro, por exemplo, pesque junto às margens ou locais com vegetação.

Portanto, você pode usar uma isca viva muito simples: a minhoca.

Assim, a minhoca deve tocar o fundo e consequentemente, o uso de chumbo de correr é aconselhável.

Em conclusão, a pesca do peixe Jundiá será eficiente nos dias de chuvas ou em uma água quente.

Inclusive, tenha sempre em mente que o tamanho mínimo para captura é de 30 cm.

Gostou das informações? Deixe seu comentário logo abaixo, ele é importante para nós!

Veja também: Peixe Bicuda: Conheça tudo sobre essa espécie

Visite nossa Loja Virtual e confira as promoções!

Posts Relacionados

Deixe um Comentário