Pesca Gerais

Peixe Candiru: Conheça tudo sobre essa espécie

O Peixe Candiru é uma espécie muito interessante porque ela se alimenta de sangue e supostamente oferece riscos aos humanos

Também conhecido como “vampiro da Amazônia”, o Peixe Candiru assusta os nativos desta região porque ele supostamente é capaz de entrar na uretra humana e causar grandes danos.

Aliás, a espécie pode ser removida do corpo somente por meio de cirurgia.

Entenda mais sobre esta questão, além das características, alimentação e reprodução, ao prosseguir a leitura do conteúdo.

Classificação:

  • Nome científico – Vandellia cirrhosa;
  • Família – Trichomycteridae.

Características do peixe Candiru

O Peixe Candiru é uma espécie pequena, visto que alcança até 17 cm de comprimento padrão, mas em geral, os peixes são bem pequenos.

Além disso, pode ser que alguns indivíduos raros apresentem cerca de 40 cm de comprimento total.

Com relação as suas características corporais, o bicho tem olhos pequenos e pretos, assim como um corpo liso e translúcido. Já sua cabeça é pequena e levemente achatada.

Em algumas ocasiões, também pode ter uma cor azulada com o aspecto luminoso e após a alimentação, o peixe pode ter outra coloração.

Há também alguns espinhos curtos em seu corpo e barbilhões que ficam localizados na boca.

Reprodução do peixe Candiru

Infelizmente não há muitas informações acerca da reprodução do Peixe Candiru, principalmente na natureza.

Mas o que se sabe é que foi registrado um indivíduo da espécie com ovários maduros, no final do mês de dezembro.

Por isso, quanto a sua desova em cativeiro, pôde-se observar em um estudo que inicialmente o macho nadou ao redor da fêmea e a levou até o substrato.

Depois disso, ambos liberaram os ovos e espermatozoides, enquanto estavam em contato lateral direto entre si.

Com isso, a fêmea liberou de 4 a 5 ovos por vez e a reprodução ocorreu várias vezes, durante três dias.

Alimentação

Outro nome vulgar para o Peixe Candiru seria o “peixe vampiro da Amazônia”.

Isso porque o animal é um parasita que perfura as escamas de outros peixes, se aloja nas guelras e força o opérculo a fim de chegar às artérias ventrais ou dorsais.

E quando consegue alcançar as artérias, o animal extrai o sangue de sua presa para se alimentar.

Por isso, a espécie é hematófaga, tendo em vista que se alimenta de sangue.

E os espinhos são características corporais que ajudam o Peixe Candiru a permanecer preso às guelras.

Sua alimentação dura de 30 a 145 segundos e depois disso, o bicho afunda e se enterra no fundo do rio.

Inclusive, é comum que sua barriga fique inchada após a alimentação.

Curiosidades

A principal curiosidade sobre esta espécie seria a sua suposta capacidade de invadir a uretra humana para se nutrir, assim como faz com outros peixes.

Dessa forma, em 1997 houve um caso no município brasileiro de Itacoatiara, em que o Peixe Candiru “pulou” da água para dentro da uretra de um banhista.

A vítima foi um homem de 23 anos que nadava no rio e teve que passar por uma cirurgia urológica que durou cerca de duas horas, a fim de remover o peixe do corpo.

No entanto, há pouquíssimas informações sobre o incidente e este foi o único caso registrado de Candiru que entrou na uretra humana.

Além disso, há histórias escandalosas de ataques a seres humanos que não foram confirmadas, sendo nomeado no final como mito ou superstição.

De acordo com John Bertram, um especialista em biomecânica da Universidade de Calgary em Alberta, Canadá, é improvável que o Candiru de fato tenha pulado até a uretra da vítima.

Basicamente o peixe deveria nadar mais rápido do que o fluxo do rio. Aliás, ele deveria se erguer para fora da água contra a gravidade, ou seja, é difícil que o animal consiga pular até a uretra.

Mas mesmo assim, os nativos da região amazônica temem muito o peixe que supostamente é atraído pelo fluxo da urina de banhistas nus e entra na uretra.

Nestas regiões há até uma cura tradicional que é feita com o uso de duas plantas a Xagua (Genipa americana) e um tipo maçã.

Com isso, o extrato é inserido na área afetada e tem por função dissolver o peixe.

De modo geral, tenha cuidado porque se acredita que após a entrada do peixe na uretra, ele pode causar sérias infecções.

Mas não fique preocupado porque as chances são mínimas, bem como Bertram explicou.

Onde encontrar o peixe Candiru

Países como Bolívia, Colômbia, Peru, Equador e Brasil podem abrigar esta espécie que é nativa da Bacia Amazônica.

Além disso, este animal pode habitar a Bacia do Orinoco, local em que faz parte da fauna de peixes neotropicais.

O Peixe Candiru também prefere viver em cursos d’água ácidos, rasos, lentos e que tenham fundos lamacentos ou arenosos. Inclusive, pode estar enterrado no leito do rio, na maior parte do tempo.

Enfim, gostou das informações? Deixe seu comentário logo abaixo, ele é importante para nós!

Veja também: Pesca esportiva: conheça a história dessa modalidade!

Visite nossa Loja Virtual e confira as promoções!

Posts Relacionados

Deixe um Comentário