Pesca Gerais

Peixe Baiacu: Conheça todas informações sobre essa espécie

O Peixe Baiacu também pode atender pelos nomes vulgares sapo-do-mar, Lola, fugu e peixe-balão.

Dessa forma, os nomes representam uma ordem chamada de Tetraodontiformes, que seriam peixes comuns na fauna fluvial da América do Sul.

No geral, estes animais estão presentes em nosso país. O termo Baiacu reflete todas as espécies que têm a capacidade de inflar o corpo no momento em que se sentem ameaçados por algum predador.

Sendo assim, hoje iremos falar mais sobre o Peixe Baiacu, esclarecer detalhes sobre cada espécie, reprodução, alimentação, dentre outros.

Classificação:

  • Nomes científicos – Lagocephalus laevigatus, Colomesus asellus, Colomesus psittacus, Sphoeroides spengleri, Lactophrys trigonus Linnaeus. Acanthostracion quadricornis, Chilomycterus spinosus, Chilomycterus antillarum e Diodon hystrix.
  • Família/Ordem – Tetraodontidae, Ostraciidae e Diodontidae.

Espécies de Peixe Baiacu

A primeira espécie de Peixe Baiacu que pertence à ordem Tetraodontidae seria o Baiacu-ará (Lagocephalus laevigatus) que é famoso por sua cor.

De modo geral, o bicho tem um dorso que pode ser verde-amarelado ou azul-acinzentado.

Além disso, há uma cor branca nas zonas ventral e lateral, assim como pequenos espinhos.

Também devemos falar o Baiacu-de-água-doce (Colomesus asellus) que também tem por nome vulgar Baiacu Amazônico.

O principal motivo do seu nome vulgar é que o animal habita a Bacia Amazônica, do Peru ao Brasil.

Seu corpo também tem algumas características como um tipo de couro com textura de borracha no lugar das escamas.

Também tem olhos nas laterais da cabeça e de modo diferente de grande parte das espécies, o Baiacu Amazônico consegue piscar e fechar os olhos totalmente.

Inclusive, esta seria uma espécie ideal para a criação em aquário e que mede somente 8 cm de comprimento total.

E quando falamos sobre o Peixe Baiacu Amazônico, logo nos vem à mente o baiacu-papagaio (C. psittacus) porque as espécies têm características iguais.

A grande diferença é que o baiacu-papagaio seria maior porque alcança 30 cm em sua fase adulta.

Além disso, sua cor é verde brilhante e o animal tem algumas listras pretas, assim como uma barriga branca.

Como quarta espécie, há o Baiacu-panela (Sphoeroides spengleri) que também pode ter por nome vulgar baiacu-mirim.

Uma característica que separa esta espécie seria seu comportamento solitário e os pequenos anéis azuis do dorso.

Por fim, é comum no litoral de São Paulo e tem manchas pretas redondas bem definidas na cabeça e na parte inferior do corpo.

Dessa forma, vale citar também que há outras espécies de Peixe Baiacu que pertencem à ordem Tetraodontidae.

Alguns exemplos seriam o Baiacu-franguinho, Baiacu-pinima, baiacu areia e o Baiacu-bubu. Mas, há poucas informações.

Peixe Baiacu representa todas as espécies que tem a capacidade de inflar o corpo.

Ostraciidae – Peixes-cofre

Também devemos falar sobre duas espécies Ostraciidae que podem ser nomeadas de forma vulgar por peixes-cofre.

Há o Baiacu-cofre (Lactophrys trigonus Linnaeus), que foi catalogado em 1758 e também tem por nome vulgar peixe-tronco-búfalo ou peixe-tronco.

Dentre os diferenciais, cabe evidenciar as pequenas manchas brancas difusas e seu comprimento total de 50 cm.

A segunda espécie é o Baiacu-de-chifre (Acanthostracion quadricornis), também designado vulgarmente como chifrudo, taoca, baiacu-chifrudo e baiacu-de-chifre.

E estes nomes vulgares se dão pelo fato de que o peixe tem um par de espinhos sobre os olhos e outro na região anterior da parte ventral.

A propósito, este animal também tem por nome vulgar “peixe-boi”.

E sua principal característica seria o fundo amarelo com manchas azuis quando é jovem. Já na fase adulta, o Peixe Baiacu tem algumas linhas no corpo.

Diodontidae

Existem também os baiacus da família Diodontidae que seriam os peixes de espinho como as seguintes espécies:

Chilomycterus spinosus, é um peixe de água salgada que alcança 40 cm de comprimento.

O corpo dos indivíduos desta espécie é coberto por espinhos, o ventre é amarelo e o dorso verde-amarelado.

Com relação ao seu habitat, o peixe está desde os costões das ilhas oceânicas até os estuários e mangues, porém pode estar em recifes de coral.

Já o C. antillarum seriam os Baiacus de espinho das Antilhas, que têm grande relevância no comércio de aquário.

No entanto, os aquaristas iniciantes devem evitar a criação da espécie porque a dieta em cativeiro é muito difícil.

E finalmente, há o Diodon hystrix que seria o peixe-balão do gênero Diodon.

Os indivíduos machos da espécie alcançam 91 cm de comprimento e quase 3 kg de peso, por isso, é famoso por ser um dos maiores baiacus.

Portanto, quando falamos de uma maneira geral, o Peixe Baiacu da família Diodontidae tem o corpo cheio de espinhos e pode ser maior.

Características do peixe Baiacu

O nome científico destes animais vem da língua grega e significa “com quatro dentes”.

Este nome tem relação com as quatro placas dentais que ficam dispostas em quadrantes na boca do animal.

Assim, há dois dentes na parte superior e mais dois na parte inferior da boca.

E os dentes formam um bico pesado e forte que é capaz de destruir suas presas.

Outra característica que separa as espécies de Peixe Baiacu seria a sua capacidade de inflar o corpo.

Os animais ficam parecidos com um balão quando se sentem ameaçados por predadores, pois começam a ingerir ar ou água.

Como resultado, as escamas se abrem como espinhos, a pele se alonga e o estômago começa a abrir.

É como se fosse uma estratégia de encher o estômago para se tornar maior.

Por fim, apesar de possuírem um corpo muito delicado, os animais têm pele e vísceras venenosas.

Reprodução do peixe Baiacu

A reprodução do Peixe Baiacu ocorre no período de cheia.

As fêmeas desovam os pequenos ovos que ficam em substratos como as rochas e depois, as larvas são carregadas pela correnteza.

Alimentação

A dieta natural do peixe tem algas, crustáceos, moluscos e outros invertebrados.

Com relação à criação em cativeiro, os animais podem comer alimentos secos com muita dificuldade.

Desse modo, o aquarista  precisa ter paciência.

Mas, uma dica muito boa para a criação do Peixe Baiacu em cativeiro, seria o oferecimento de alimentos alternativos.

Alguns exemplos são os mariscos frescos, caramujos ou até mesmo as patas de caranguejo.

Curiosidades

Além da capacidade de inflar o corpo, o animal também é conhecido por ser um bicho tóxico.

Os órgãos internos e os olhos dos peixes possuem uma toxina que tem por nome tetrodotoxina.

Esta toxina é 1200 vezes mais mortal que o cianureto, além de ficar principalmente no fígado do Baiacu.

Também pode se espalhar para a pele ou carne, quando o animal se sente ameaçado por algum predador.

Nesse sentido, caso um ser humano coma uma refeição feita com a carne do baiacu, que foi manipulada de forma inadequada, danos enormes podem surgir.

O óbito é um dos danos, por isso, a ingestão da carne pode ser perigosa.

Mas, um ponto muito curioso seria o valor do Peixe Baiacu na culinária, em países como Japão e Coreia.

A carne é consumida há anos e nestes países é chamada de fugu.

Portanto, o famoso fugu pode ser feito somente por chefs com licenças especiais, que conseguem remover a glândula de veneno da carne do bicho.

E no geral, o peixe é um dos principais ingredientes para preparar sashimi.

Onde encontrar o peixe Baiacu

O Peixe Baiacu está presente nos Oceanos Atlântico, Pacífico ou Índico.

Há também algumas espécies que habitam os rios, contudo, por ser um nome vulgar que representa muitas espécies, pode ser que os peixes estejam em qualquer lugar.

Informações sobre o Peixe-baiacu no Wikipédia

Gostou das informações? Deixe seu comentário logo abaixo, ele é importante para nós!

Veja também: Peixe Atum: Conheça todas informações sobre a espécie

Acesse nossa Loja Virtual e confira as promoções!

Posts Relacionados

Deixe um Comentário