Início AnimaisAves Pardal: informações sobre o pássaro encontrado nos centros urbanos

Pardal: informações sobre o pássaro encontrado nos centros urbanos

por Otávio Vieira

O nome vulgar pardal está relacionado ao gênero Passer que inclui algumas das aves mais comuns do mundo.

O pardal é uma ave da família dos passeriformes, que inclui a maioria das aves de jardim comuns. O gênero Passer é o único gênero da família Passeridae.

Os pardais têm um corpo compacto e um bico forte e curvado. Asas e pernas são moderadamente longos. A plumagem é geralmente marrom acinzentada por fora e branca por dentro, embora as plumagens de algumas subespécies sejam mais coloridas. Os pardais são aves sociais que vivem em bandos durante a maior parte do ano. Eles se alimentam principalmente de sementes, mas também comem insetos. Os pardais são conhecidos por serem bons cantores e por fazer um ninho elaborado de fibras e penas.

A espécie doméstica é uma das aves mais comuns em todo o mundo e é amplamente considerada como uma ave benéfica. No entanto, algumas subespécies de pardais são caçadas como animais de rapina, e a espécie doméstica pode ser considerada uma praga em algumas áreas.

Essa ave conquistou todo o planeta e se destaca por ser o único grupo de vertebrados que consegue viver em todos os ambientes, desde o nível do mar até as montanhas mais altas.

No geral, os pássaros são pequenos, contam com bicos grossos para comer sementes e a cor varia do marrom ao cinza.

A maioria das espécies é nativa do Velho Mundo, sendo que houve a introdução em regiões de todo o planeta, vamos entender mais a seguir:

Classificação:

  • Nome científico:  Passer;
  • Família: Passeridae;
  • Classificação: Vertebrado / Aves
  • Reprodução: Ovíparo
  • Alimentando: Onívoro
  • Habitat: Aéreo
  • Pedido: Passeriformes
  • Género: Passar
  • Longevidade: 12 anos
  • Tamanho: 14 – 18 cm
  • Peso: 24 – 40 g

Qual é a característica do pardal?

Diversas subespécies foram nomeadas, porém somente 12 são reconhecidas no Manual dos Pássaros do Mundo. Dessa forma, as subespécies são divididas em 2 grupos conforme a sua localização.

Mas, falando do pardal no geral, saiba que este é um pássaro que mede de 13 a 18 cm e a envergadura é de 19 a 25 cm. Com relação ao peso, está entre 10 e 40 gramas.

dimorfismo sexual, pois o macho tem duas plumagens, sendo que a primeira é vista no período da primavera.

Nesta época a cor é cinza na parte da cabeça, bem como, preta na garganta e marrom com alguns riscos na parte dorsal e nas asas. Cinza-claro ou branco são cores vistas no abdômen, peito e rosto, tal como os pés são cinza-rosados e o bico, preto.

Já quando falamos sobre o outono, a garganta fica com a cor mais apagada ou quase inexistente. A plumagem no geral fica menos evidente, sendo que a maxila é preta e a mandíbula, preta-amarelada.

Quanto à coloração da fêmea, saiba que elas têm um tom acinzentado na cabeça, marrom nas bochechas e na face, assim como uma lista supraciliar clara. Já a parte dorsal e as rêmiges são similares às do macho.

No que diz respeito ao comportamento, saiba que a ave é sociável, formando bandos até com outras espécies. O seu voo se assemelha com o de um beija-flor porque antes de pousar, o animal bate as suas asas muito rápido, embora esteja parado.

Portanto, a média é de 45,5 km e cerca de 15 batidas de asas por segundos. E quando está no chão, o animal prefere saltar ao invés de andar.

pardal fêmea

Características gerais do pardal

É uma ave inteligente e versátil, que convive com os humanos há milhares de anos, distingue-se por ser pequena e discreta que passa despercebida. As principais características que identificam o pardal são:

Tem porte pequeno com cabeça redonda, de cor marrom e cinza, as asas são curtas e com bico forte. Dentro das diferentes espécies de pardal existem diferenças mínimas, elas variam apenas um pouco em tamanho. Na língua eles têm um osso conhecido como preglossale, que funciona para segurar as sementes.

Os pardais distinguem-se por serem aves muito sociáveis, algumas das suas espécies reproduzem-se em colónias, outras espécies, reproduzem-se sozinhas e só permanecem em pequenos grupos familiares, quando não se encontram na fase reprodutiva.

Essas aves têm uma técnica bastante peculiar de se limpar, pois se cobrem de poeira. O pardal faz um buraco no chão com a ajuda das patas, depois se deita e começa a jogar terra em cima do corpo, para isso usa as asas. Outra forma de tomar banho é com água, neve seca ou derretida.

Esta espécie de ave distingue-se por ser muito barulhenta, principalmente quando está nervosa ou encontra outro grupo. O pardal tem um amplo repertório que costumam emitir constantemente. Além disso, no calor tem um tipo especial de canto com sons repetidos.

Mais informações sobre a espécie

É um tipo de ave de porte pequeno, que atinge aproximadamente 15 centímetros. Existe um pequeno dimorfismo sexual que faz com que a fêmea meça um pouco menos. O peso dessas aves é quase insignificante. Eles pesam cerca de 30 gramas, mesmo que tenham uma constituição forte.

Eles têm pernas bastante curtas, mas firmes. Geralmente são marrons com listras pretas na parte superior e brancas na barriga. Na cabeça apresenta algumas manchas com diferentes tonalidades de cinza.

O bico dessas aves é forte e grosso e tem formato cônico. Eles o usam para comer e se defender do ataque de predadores. Seus pequenos olhos cinzentos os tornam bastante rápidos em voo.

O macho tem um barbeiro preto, que é uma mancha preta que se estende de sua garganta, pescoço e parte superior do tórax. Uma das características que mais se destaca no comportamento desses animais é que eles não andam. Para se mover no chão, eles devem dar pequenos saltos de um lado para o outro.

É um animal bastante turbulento e emite canções engraçadas para atrair a atenção de todos. A facilidade com que se adapta facilmente a diferentes ambientes é o que o torna capaz de se espalhar por quase todo o mundo. É um animal bastante resistente e se defende de forma agressiva contra qualquer ameaça.

Entenda o processo de reprodução do Pardal

O pardal faz o ninho de forma desordenada, sendo que o local escolhido pode ser um arbusto ou árvore.

Outros preferem construir o ninho em um edifício ou até mesmo usar os ninhos de outras espécies como o da cegonha-branca.

Quando o casal faz o ninho em um local aberto, é comum que o sucesso da reprodução seja menor porque a reprodução começa tarde e o ninho pode ser destruído por tempestades.

Assim, a fêmea coloca até 8 ovos que são incubados pelo casal por até 24 dias. Os pequenos ficam no ninho durante o período de 11 a 23 dias, sendo que neste tempo, são alimentados pelos pais.

Com 4 dias de vida, os olhos se abrem e somente 4 dias depois, eles ganham a primeira plumagem.

Um ponto que deve ser destacado é que somente 20-25% dos pequenos sobrevivem até a primeira temporada de reprodução. Quando se tornam adultos, a sobrevivência é de 45–65%.

Como os pardais se reproduzem?

Os pardais são animais ovíparos, sendo o período reprodutivo durante os meses de abril a agosto, onde os climas são temperados. Para construir o ninho, essas aves se instalam em estruturas fechadas como buracos ou rachaduras em telhados, prédios, postes de iluminação, entre outros. Além disso, ninhos de pardais foram vistos em ninhos maiores de outras espécies, como a cegonha.

Todos os anos, cada par de pardais pode realizar entre duas ou três posturas, com um período de incubação que dura cerca de 11 ou 14 dias.

Esses animais têm um processo de reprodução bastante interessante. Usam estratégia fortes como cortejo, elevação da cabeça e desdobramento das asas. Um grupo de pardais é o encarregado de realizar uma exposição total para iniciar a atividade de reprodução.

Após algumas brigas entre os machos, a fêmea cortejada escolhe o macho de sua preferência. Uma vez que ela escolheu o macho, o casal que a constituiu é uma relação totalmente monogâmica.

Normalmente a fêmea escolhe o maior por ser considerado de maior qualidade. O chamado babador preto que mencionamos anteriormente, que só os machos possuem, também influencia. Quanto mais desenvolvido o babador, maior a capacidade de evitar a captura e adquirir mais espaço para construir o ninho.

Os ninhos costumam ser feitos com muito cuidado e é o macho quem se encarrega de recolher o máximo de penas possível para deixá-lo bem coberto. A fêmea faz questão de ter um ninho bem abaulado e põe os ovos que deseja. Quanto mais seguro o ninho estiver, mais ovos ele colocará.

Como são seus ninhos?

A preparação do ninho é feita aos pares, onde utilizam erva, penas, palha, raminhos, entre outros materiais têxteis. As fêmeas põem entre dois ou sete ovos, que podem ser de cor branca ou esverdeada.

Formam seu ninho em forma de bola e o protegem com penas por dentro, para conforto de seus filhotes indefesos, aliás, tanto o macho quanto a fêmea trabalham juntos para construir o ninho. O pardal usa tudo o que consegue, como: galhos secos de grama, lã, papel, rendas, folhas, algodão, gravetos, palhas, pedaços de pano, penas, entre muitos outros. Isso dá força aos ninhos.

Esses ninhos são formados em locais onde os animais que não voam não conseguem chegar facilmente, como forma de proteção. No entanto, às vezes os vemos em telhas, algumas janelas, árvores e muitos lugares próximos à visão humana.

Os filhotes dos pardais duram no ninho entre 12 ou 16 dias, durante esses dias são alimentados pelos pais. Depois de saírem do ninho, os novos procuram o sustento sozinhos, mas não param de exigir comida dos pais por mais uma semana.

pardal sparrow

Alimentação: o que come os pardais?

O pardal come sementes, apesar de também se alimentar de insetos pequenos, flores, brotos de árvores, em especial, durante a época de reprodução. Dentre os insetos, podemos destacar as lagartas, besouros, moscas e pulgões.

Alguns indivíduos como os P. griséus também buscam por restos de alimentos em torno de cidades, sendo que são quase onívoros. Os frutos como o mamão, a maçã e a banana, também servem de comida.

A dieta dos pardais é geralmente sementes, frutas e bagas em sua maior parte, no entanto, eles também tendem a comer resíduos de grãos, ervas daninhas e gramíneas. Essas aves às vezes incluem em sua dieta alguns insetos que coletam do solo, principalmente no verão.

A grande maioria vive em ambientes urbanos, alimentam-se também das migalhas de comida deixadas pelos humanos. Os jovens são alimentados com uma dieta rica em proteínas, onde se alimentam principalmente de larvas, grilos, besouros e gafanhotos.

O pardal doméstico se alimenta de maneira bastante simples. Quase tudo é bom para satisfazer sua fome. Portanto, não é um animal muito exigente em termos de alimentação.

Existe um tipo de relação simbiótica entre pardais e humanos conhecida como comensalismo. O comensalismo é aquela relação em que o ser humano não ganha nem perde com o pardal. Por exemplo, quando sacudimos as migalhas de pão, não é um benefício nem um mal para nós que os pardais esparramem nossas migalhas. No entanto, para eles é um benefício, pois recebem comida.

É uma ave que depende muito do ser humano, pois sua sobrevivência está sujeita à ação do homem. Isso significa que não é um pássaro que pode viver em lugares desabitados.

casal de pardal

Curiosidades sobre o Pardal

Em primeiro lugar, vale falar sobre o hábito de migração do animal. No geral, as subespécies não se movem mais do que alguns quilômetros em toda a sua vida.

Mas, podemos destacar as subespécies , P. d. bactrianus e P. d. parkini que são especialmente migratórias. Sendo assim, elas se preparam para a migração ganhando peso, diferentemente dos seus parentes que não têm este hábito.

Outra curiosidade seria a longevidade do pardal. O exemplar mais antigo que viveu em cativeiro tinha cerca de 23 anos, já na natureza, o mais velho tinha 19 anos e 9 meses.

Com relação aos predadores, entenda que os gatos domésticos são os principais. Por outro lado, as aves de rapina, esquilos, corvos e até mesmo os seres humanos, oferecem riscos para a ave.

No entanto, o problema com os predadores não afeta a saúde da população em geral. Ou seja, este não é um pássaro ameaçado por atividades humanas, permanecendo como “menos preocupante” na Lista Vermelha da IUCN.

Aliás, a população global chega a quase 1,4 bilhão de indivíduos, perdendo somente para o quelea-de-bico-vermelho.

House Sparrow

Comportamento e ameaças

Esses animais são agrupados formando várias colônias em pares. Eles são pássaros monogâmicos, então, quando encontram um parceiro, passam a vida inteira com ele. O pardal é muito inteligente e adora cantar muito.

Graças a esse hábito de cantar, eles refletem alegria e gostam da companhia das pessoas. Um dos hábitos mais curiosos deste animal é que adoram tomar banhos de terra para limpar as penas e a pele.

Embora sejam bons voadores, são vistos nas ruas, calçadas das cidades, parques, jardins e alguns pátios escolares. Nesses ambientes eles podem dividir espaço com as crianças em quem despertam interesse e carinho.

Não são espécies migratórias, por isso permanecem no mesmo local durante todo o ano. É raro encontrar pardais solitários. Costumam estar sempre em grupos para poderem se defender melhor de qualquer ameaça. Eles também ajudam uns aos outros para conseguir comida e abrigo.

Embora seja uma espécie que se difundiu quase por todo o mundo e tenha um grande número de indivíduos, também apresenta algumas ameaças. O aumento da atividade agrícola em algumas regiões do mundo aumenta o uso de agroquímicos. Esses agrotóxicos conhecidos como pesticidas e herbicidas podem prejudicar esses animais na hora de comer.

Se as plantações de cereais são reduzidas ou há êxodo rural, eles também são prejudicadas, pois provocam a migração de aves. Em alguns lugares, o pardal é considerado uma espécie invasora. Isso se deve aos danos que causam às lavouras.

Por outro lado, nas cidades, as populações de pardais estão diminuindo quando são realizadas campanhas de limpeza de ruas e parques, pois há menos comida disponível. Não vamos esquecer que esses animais dependem dos humanos para sobreviver. A longevidade do pardal é de aproximadamente 8 anos. Se esta situação for extrapolada para o cativeiro, pode aumentar para cerca de 12 anos.

Onde vivem os pardais?

Os pardais podem viver em grandes cidades, vilas e fazendas, é uma das espécies ovíparas encontradas em quase todo o planeta. É uma das espécies que prefere viver nas áreas mais populosas, junto às construções humanas. É muito raro vê-los em áreas pouco habitadas, pois gostam de jardins, ruas, escolas, em geral em áreas populosas.

Existem 30 tipos diferentes no mundo, mas apenas o comum é o único que conseguiu se adaptar à vida na cidade. Além disso, tem se mostrado uma ave forte e com muita resistência, já que é capaz de suportar com tranquilidade os climas mais extremos, tanto quentes quanto frios.

Habitat e distribuição da espécie

Como dito acima, o pardal é uma das aves mais comuns do mundo, por isso, a distribuição é cosmopolita. Nesse sentido, as populações são naturais do norte da África e do Oriente Médio, além da Europa.

E devido aos métodos de introdução, o pássaro pode ser visto em todos os continentes, com exceção da Antártida. Em nosso país, a introdução foi feita de forma intencional, com o intuito de combater insetos transmissores de doenças.

Que animais representam uma ameaça para os pardais?

Os animais que representam uma ameaça real para os ovos ou filhotes dos pardais são o rato preto, a cobra, o rato doméstico entre outros. Da mesma forma, os filhotes de pardal têm a coruja como predadora.

Os predadores são a coruja, a águia, os gatos domésticos, que se banqueteiam caçando este tipo de ave.

Gostou das informações? Deixe seu comentário logo abaixo, ele é muito importante!

Informações sobre o Pardal no Wikipédia

Veja também: Tico-tico: a reprodução, alimentação, vocalização e seus hábitos

Acesse nossa Loja Virtual e confira as promoções!

Youtube Video

Caixa de Comentários do Facebook

Deixe um comentário