Pesca Gerais

Gralha-azul: reprodução, o que come, suas cores, a lenda desse pássaro

A gralha-azul tem por nome científico “Cyanocorax caeruleus” que vem do grego kuanos que quer dizer azul escuro, azul intenso e korax que significa corvo.

Aliás, o nome também vem do latim com a palavra caeruleus que representa “azul celeste, azul intenso ou azul escuro”.

E de fato, a cor da ave é impressionante e a torna única, vamos entender mais características a seguir:

Classificação:

  • Nome científico – Cyanocorax caeruleus;
  • Família – Corvidae.

Características da Gralha-azul

Na língua inglesa, o animal atende por “Azure Jay”, sendo que tem uma cor de azul vivo em quase todo o corpo e preto na cabeça.

Este tom de preto está na parte superior do peito e frontal do pescoço.

Por outro lado, os indivíduos medem 39 cm, assim como as fêmeas e machos têm a mesma aparência e plumagem, embora seja comum elas serem menores.

A espécie é muito inteligente, sendo que a vocalização é complexa e inclui mais de 14 termos vocais ou gritos que são diferentes uns dos outros e significantes.

É comum que a gralha-azul forme grupos de 4 a 15 indivíduos que são bem organizados.

Pode ser que ocorra até a divisão de clãs que se mantêm estáveis por até duas gerações.

Reprodução da Gralha-azul

Durante a época de reprodução, que tem início a partir do mês de outubro e vai até março, macho e fêmea constroem o ninho nos locais mais altos, das maiores árvores.

Eles têm preferência por fazer a construção na coroa central da araucária.

Por isso, o ninho é feito com o uso de gravetos e tem 50 cm de diâmetro, além do formato de uma taça.

Neste ninho são colocados em média 4 ovos com a cor de azul-esverdeado e várias manchas claras.

gralha-azul

Alimentação

A gralha-azul come sementes parecidas com as nozes de Araucaria angustifolia, porém esta não é uma dieta única.

Também come frutas e vários tipos de insetos, ovos e filhotes de outras aves, bem como, restos de alimentos humanos como os pães.

Curiosidades

No ano de 1984, a espécie foi consagrada como ave-símbolo do estado do Paraná, pela Lei Estadual nº 7957.

Além disso, é a ave símbolo da Festa do Pinhão, em Lages (Santa Catarina).

Por outro lado, o termo popular “falar como uma gralha” se deu pelo fato de a ave emitir um som contínuo no momento em que vê um predador.

Também é uma espécie importante para cultura, tendo em vista que é o personagem principal de lendas.

A versão mais famosa da lenda trata a gralha-azul como uma ave totalmente preta, bem como os demais parentes corvídeos.

Nesse sentido, conta-se que em um dia, a ave foi designada a realizar uma ação divina que seria capaz de distingui-la de outros animais e a tornaria muito útil:

A ave ajudaria todas as outras ao espalhar sementes de araucária de modo a darem origem a novos pinheiros.

De outro modo, a segunda versão conta que uma vez a ave estava dormindo e foi acordada de forma repentina, pelo barulho de um machado.

Um lenhador tenta derrubar o pinheiro em que o animal estava.

Desesperada, a ave voou bem alto em direção ao céu, local em que ouviu uma voz que pedia a ela para voltar e ajudar a proteger a floresta ao plantar cada vez mais pinheiros.

Tendo em vista que a ave atendeu ao pedido prontamente, teve como recompensa as penas azuis como o céu.

E além das lendas, a espécie serviu de inspiração para a construção do Troféu gralha-azul para a premiação paranaense atribuída a artistas de teatro.

Por fim, serviu de inspiração para os artistas curitibanos na construção do super-herói de quadrinhos O Gralha (o Jay / O Corvo).

Onde vive a Gralha-azul

A espécie vive no interior e nas bordas de florestas e capoeiras arbóreas, em especial nos pinheirais.

No entanto, não é correta a ideia de que a ave é exclusiva e típica de pinheirais, visto que também está em locais da Mata Atlântica.

Aliás, vive nas ilhas florestadas da baía de Paranaguá (litoral paranaense), locais em que não há este tipo de árvore.

Os indivíduos têm o hábito de esconder sementes de pinheiro como meio de guardar comida, porém logo se esquecem delas.

Isso ocorre, em especial, durante a época de outono, momento em que os bandos estocam pinhões para que venham se alimentar depois.

Sendo assim, eles encravam fortemente os pinhões em troncos caídos que estão em processo de putrefação ou até mesmo no solo.

Também fazem isso em locais de raízes, em que é propício a formação de uma árvore nova.

Por esse motivo, são vistos como excelentes dispersores de sementes, algo que deu origem às lendas que citamos no tópico anterior.

Esta característica faz com que as gralhas sejam importantes para a germinação e desenvolvimento do pinheiro-do-paraná.

E quando falamos de modo geral, a gralha-azul vive na Mata Atlântica.

Isto é, está distribuída no extremo nordeste da Argentina, leste do Paraguai e sudeste do Brasil, nas regiões do Rio Grande do Sul e de São Paulo.

Gostou das informações? Deixe seu comentário logo abaixo, ele é muito importante!

Informações sobre a Gralha-azul no Wikipédia

Veja também: Coruja Suindara: reprodução, quantos anos vive, qual o seu tamanho?

Acesse nossa Loja Virtual e confira as promoções!

Posts Relacionados

Deixe um Comentário