Início Peixes Golfinho: espécies, características, alimentação e sua inteligência

Golfinho: espécies, características, alimentação e sua inteligência

por Otávio Vieira

O nome vulgar “golfinho” está relacionado a alguns animais cetáceos que fazem parte das famílias Delphinidae e Platanistidae.

Dessa forma, outros exemplos de nomes vulgares seriam peixes-botos, toninhas, delfins e botos. Como vantagem, as espécies conseguem se desenvolver bem no ambiente aquático, vivendo tanto em água doce, quanto em água salgada.

O golfinho é uma espécie que pertence à família dos cetáceos odontocetos (animais que possuem dentes). É considerado um dos animais aquáticos mais inteligentes e sociáveis. O golfinho é um mamífero aparentado dos artiodáctilos (espécie que existiu há 50 milhões de anos semelhante aos hipopótamos). Esse tipo de espécie anda sempre em grupo e geralmente não se separa de seus parentes. Cada grupo de golfinho pode ser formado por até 1.000 indivíduos da mesma espécie.

Assim, acredita-se que haja 37 espécies de golfinhos, que possuem características que iremos falar ao decorrer do conteúdo:

Classificação

  • Nome científico: Delphinus delphis, Grampus griseus, Tursiops truncatus e Stenella attenuata
  • Família: Delphinidae e Delphinidae Gray
  • Classificação: Vertebrados / Mamíferos
  • Reprodução: Vivípara
  • Alimentando: Carnívoro
  • Habitat: Água
  • Ordem: Artiodactyla
  • Gênero: Delphinus
  • Longevidade: 25 – 30 anos
  • Tamanho: 1,5 – 2,7 m
  • Peso: 100 – 1500 kg

Espécies de golfinho

A espécie Delphinus delphis representa o golfinho comum que tem por principal característica o seu comportamento sociável. É possível avistar centenas e milhares de indivíduos nadando juntos, tendo em vista que eles vivem em grandes grupos. Eles nadam a até 60 km por hora, por isso são considerados rápidos e seriam muito bons em acrobacias. A expetativa de vida máxima é de 35 anos de idade, porém a população do Mar Negro vive em média 22 anos.

Em segundo lugar, conheça o golfinho-de-risso (Grampus griseus) que também atende por golfinho-moleiro ou golfinho-grampo. Esta seria a quinta maior espécie de delfinídeo já vista, pois os adultos medem até 3 m de comprimento total. Também foram vistos exemplares raros que alcançaram 4 m de comprimento e 500 kg de massa.

A parte de trás do corpo seria menos robusta quando comparada com a parte da frente e o animal não tem bico. As barbatanas peitorais são longas e têm um formato de foice, além de a dorsal ser ereta, alta e angular. Já a barbatana dorsal desta espécie é a segunda maior entre os delfinídeos, sendo ultrapassada somente pela Orca.

A mandíbula tem de 2 a 7 pares de dentes curvos e grandes. Já o maxilar superior não tem nenhum dente funcional, somente alguns dentes pequenos. Inclusive, o maxilar superior é mais estendido, em especial, quando comparado com a mandíbula.

Com relação à cor, os indivíduos podem ter diferentes tons de acordo com a sua idade. Logo no nascimento, os golfinhos são cinza-acastanhados e com o desenvolvimento tornam-se escuros. Ao observar adultos, também dá para ver algumas cicatrizes brancas pelo corpo.

golfinho nadando no mar

Demais espécies

Como terceira espécie, conheça o golfinho-roaz-corvineiro, golfinho-nariz-de-garrafa ou golfinho-roaz (Tursiops truncatus). Esta seria a espécie mais famosa em todo o mundo por conta da sua distribuição. De modo geral, os indivíduos estão em todos os mares, habitando as águas costeiras e oceânicas, com exceção somente dos mares polares.

A espécie também fez parte da série de televisão Flipper e alguns indivíduos são comuns em shows de aquário devido ao carisma e inteligência. Para que você tenha uma noção, foi no ano de 1920 que exemplares foram pegos para espetáculos em cativeiro e estudos científicos. Como resultado, é a espécie mais comum em parques temáticos.

Por outro lado, vale falar sobre o golfinho-pintado-Pantropical (Stenella attenuata) que vive em oceanos tropicais e temperados de todo o planeta. Sendo descrita no ano de 1846, a espécie quase foi vista como ameaçada de extinção na década de 80.

Nessa época, milhões de indivíduos morreram ao ficarem presos em redes de cerco de atum e a espécie tornou-se ameaçada. Logo após o desenvolvimento de métodos para a preservação da espécie, exemplares que vivem no Oceano Pacífico foram salvos porque conseguiram se reproduzir. Sendo assim, esta é a espécie de golfinho mais abundante do planeta.

O comprimento total dos golfinhos é de 2 m e eles alcançam até 114 kg de massa na fase adulta. Podem ser identificados por conta do bico longo e um corpo esbelto. E quando nascem, os indivíduos não têm manchas, mas elas aparecem à medida que envelhecem.

Características do Golfinho

Falando sobre as características vistas em todas as espécies, entenda o seguinte: O golfinho é um nadador excelente porque consegue saltar até cinco metros acima da água. A velocidade média seria de 40 km por hora e os indivíduos também mergulham em grandes profundidades.

A expectativa de vida varia entre os 20 e 35 anos e a fêmea gera somente um filhote por vez. Inclusive estes são animais sociáveis que vivem em grupo. Além disso, um ponto que deve ser destacado seria o extraordinário sentido da ecolocalização.

Trata-se de um sistema acústico que permite ao animal captar as informações de outros seres e também do ambiente. Isso é possível graças à produção de sons de alta frequência ou ultrassônicos que alcançam a faixa de 150 quilohertz. Os sons são emitidos por estalidos ou cliques e seriam controlados por uma ampola cheia de óleo que fica na testa.

Portanto, as ondas sonoras são dirigidas em feixe à frente, fazendo com que se propaguem até 5 vezes mais rápido do que no ar. Sendo assim, após atingir uma presa ou objeto, o som se torna um eco e reflete de volta, sendo captado por grande órgão adiposo do golfinho.

Também é possível que o animal capte o eco através de um tecido que fica no maxilar inferior ou até mesmo na mandíbula. Logo em seguida, o eco vai para o ouvido médio ou interno e parte para o cérebro. Dessa forma, uma grande região do cérebro é responsável por processar e interpretar as informações sonoras obtidas com a ecolocalização.

Mais informações sobre a espécie

Este animal aquático dos mares pode medir entre dois e cinco metros de comprimento, possui um espiráculo (orifício que lhe permite respirar dentro e fora da água) localizado no topo da cabeça. Em geral, esta espécie pesa entre 70 e 110 quilos, além disso, sua pele é de cor acinzentada.

Os golfinhos usam a ecolocalização (capacidade de certos animais de conhecer e identificar seu ambiente por meio de sons). Devido à nadadeira caudal essas espécies podem nadar a velocidades incríveis, esse animal aquático tem em torno de 20 ou 50 pedaços de dentes em cada mandíbula.

Segundo estudos científicos, eles mostraram que cada golfinho tem sua própria forma de se comunicar, dessa forma eles podem se comunicar entre si. Este animal é gentil, sentimental e afetuoso, eles têm a capacidade de expressar seus sentimentos.

golfinho se exibindo para o público

Reprodução do Golfinho

Há poucas informações que esclareçam o acasalamento dos golfinhos, sabendo-se somente que eles não se reproduzem todos os anos. A maturidade ocorre entre os 2 e 7 anos de idade para a fêmea e eles tornam-se ativos de 3 a 12 anos. Desse modo, a gestação dura 12 meses e o filhote já nasce com 70 ou 100 cm de comprimento, além de 10 kg de massa.

Um ponto interessante é que o filhote mama até os 4 anos de idade e os machos não oferecem nenhum tipo de cuidado. Como resultado, algumas fêmeas das espécies têm a função de babá.

Os golfinhos são criaturas sexuais por natureza, o golfinho macho corteja a fêmea até que ela se sente e eles acasalam. Essas espécies são bissexuais, então podem estar com espécies do mesmo gênero e do oposto.

Os golfinhos diferem de outras espécies por serem muito gentis uns com os outros, o que permite que a fêmea escolha. Quando ocorre o acasalamento e termina a fertilização, as fêmeas se encarregam da ovulação, realizando-a entre 3 e 5 vezes ao ano.

O habitat desempenha um papel importante na reprodução, pois dependendo de quão bem ou confortáveis ​​esses animais aquáticos se sintam em seu habitat, eles poderão se reproduzir ainda mais. Eles expulsam o bebê golfinho após 12 meses, eles só conseguem ter um único filhote; que atinge a maturidade aos dois anos de vida.

O que come o Golfinho: Sua alimentação

Por serem caçadores, os golfinhos comem principalmente os peixes. Dentre as espécies favoritas, vale falar sobre o bacalhau, arenque, cavala e salmonete. Alguns indivíduos também comem lulas, polvos e crustáceos.

E como estratégia de caça, eles formam grandes grupos e perseguem cardumes. Portanto, é comum que eles comam até 1/3 do peso corporal para suprir suas necessidades. No entanto, o número pode variar conforme a quantidade de alimento que é disponível no local.

Além disso, a dieta dependerá do tipo de espécie de golfinho, muitos deles comem peixes como Cavala, também comem lulas e outros cefalópodes (polvo, lula ou moluscos).

Um golfinho pode comer entre 10kg e 25kg de peixe por dia. Para caçar utilizam um método chamado pastoreio (caça em grupo onde vários indivíduos cercam suas presas).

dois gofinhos juntos

Curiosidades sobre a espécie

A principal curiosidade sobre os golfinhos tem relação com a inteligência dos indivíduos. Basicamente, as pesquisas permitiram que cientistas treinassem as espécies para que elas executassem diversos tipos de tarefas.

Além disso, este é o animal que mais tem variedade de comportamentos ligados às atividades biológicas básicas como a reprodução e alimentação, sendo muito brincalhão.

Outro exemplo de curiosidade está ligado aos predadores de golfinhos. As espécies sofrem com ataques de tubarões como o tubarão branco e as orcas, além da caça comercial. Sendo assim, o principal método de caça dos golfinhos seria os atraindo com peixes.

Por exemplo, os pescadores jogam a rede e aprisionam os peixes para que o grupo de golfinhos venha se alimentar. Logo em seguida, os pescadores puxam a rede e conseguem capturar tanto o cardume quanto os golfinhos.

Habitat e onde encontrar o Golfinho

A distribuição do golfinho depende da espécie. Por exemplo, o D. delphisvive vive em águas temperadas dos oceanos Pacífico e Atlântico, além de ser visto nos mares do Mediterrâneo e Caribe.

De outro modo, a espécie G. griséus vive em águas temperadas e quentes porque dificilmente estão em locais com a temperatura menor do que 10°C. Por esse motivo, os indivíduos podem ser vistos em zonas de vertente continental e também nas águas com profundidades entre 400 e 1000 m.

Já o T. truncatus vive em nosso país, em especial na costa do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. O golfinho também pode estar em águas afastadas da costa até ao Nordeste.

Por fim, a espécie S. attenuata habita as águas subtropicais e tropicais. Nesse sentido, é possível citar os oceanos Índico, Pacífico e Atlântico.

O golfinho é uma espécie que habita todos os oceanos do mundo, exceto os oceanos polares. Podem também viver em rios, dependendo da espécie de golfinho.

Este animal aquático está condicionado à procura de um habitat, pois as áreas devem ser seguras e devem haver quantidades de espécies para poder se alimentar. Ser sociável e carismático permite que convivam com 10 a 15 indivíduos da mesma espécie, cuidando uns dos outros.

Quais são os predadores dos golfinhos?

Entre os predadores naturais do golfinho estão o tubarão-touro e tubarão-tigre. Também encontramos as Orcas como segundos predadores. Mas ficar juntos lhes dá uma grande vantagem, pois os protege de serem atacados até pelos próprios tubarões.

Mas o maior predador dessa espécie é nada mais nada menos que o ser humano, pois devido às diversas atividades, seja pesca ou poluição, estão matando essa espécie.

Espécies de Golfinho em perigo?

As atividades do ser humano no oceano, como a movimentação de navios que transportam mercadorias de um lugar para outro, têm causado contaminação na água, que afeta e prejudica várias espécies aquáticas, além de resíduos como plástico e lixo também contribuíram para este problema.

Por outro lado, a pesca de golfinhos para fins científicos é utilizada principalmente para realizar experimentos e estudos que nos permitem entender por que esses animais são tão inteligentes.

Da mesma forma, os militares os pescam para estudar seu sistema de comunicação para fazer submarinos com sonares mais altos e sofisticados. Por fim, mas não menos importante, são pescados para fins comerciais, pois sua carne é muito valorizada em diversos países. Cada uma dessas ações levou essas espécies a estarem em perigo de extinção.

Gostou das informações? Deixe seu comentário logo abaixo, ele é importante para nós!

Informações sobre Golfinho no Wikipédia

Veja também: Peixe Dourado: Conheça tudo sobre essa espécie

Acesse nossa Loja Virtual e confira as promoções!

Youtube Video

Caixa de Comentários do Facebook

Deixe um comentário