Início Animais Gambá (Didelphis marsupialis) algumas informações sobre esse mamífero

Gambá (Didelphis marsupialis) algumas informações sobre esse mamífero

por Otávio Vieira

O Gambá é um mamífero marsupial que pertence ao gênero Didelphis e vive desde o sul dos Estados Unidos até algumas regiões da América do Sul.

O principal predador das espécies é o gato-do-mato (Leopardus spp.). Também pode haver uma confusão com o cangambá (Mephitis mephitis), que não seria um marsupial.

O gambá é uma das espécies de animais vivíparos cujas características físicas se assemelham muito às de um rato. É um marsupial da família dos didelfídeos, com um processo de reprodução que inclui períodos de gestação curtos, cerca de 12 a 14 dias. Por isso, você pode entender mais informações sobre as espécies a seguir.

Classificação:

  • Nome científico: Didelphis marsupialis, D. aurita e D. albiventris
  • Família: Didelphidae
  • Classificação: Vertebrado / Mamífero
  • Reprodução: vivípara
  • Alimentando: Onívoro
  • Habitat: Terrestre
  • Ordem: Didelfimorfia
  • Gênero: Didelphis
  • Longevidade: 24 anos
  • Tamanho: 30cm
  • Peso: 1,2kg

Entenda mais sobre as espécies de Gambá

O Gambá-comum (Didelphis marsupialis) foi o primeiro marsupial a ser visto pelos europeus.

Mas, significa a palavra “marsupial“?

Bom, um animal marsupial é aquele que pertence a infra classe de mamíferos que são diferentes dos demais por conta da anatomia e fisiologia reprodutiva.

Portanto, de acordo com a história da América, Vicente Yáñez Pinzón foi o responsável por levar o bicho até a Europa no ano de 1500.

O comprimento máximo dos indivíduos é de 50 cm, sem contar a cauda, que tem quase o mesmo tamanho. O corpo é repleto de pelos longos e o pescoço seria grosso, assim como o focinho é pontudo e alongado. Todas estas características fazem com que o animal se pareça com um rato gigante.

Dessa forma, a espécie tem hábitos noturnos e os seus movimentos são lentos. Também tem o costume de se fingir de morta quando está sendo ameaçada ou perseguida.

gambá nas mãos de uma pessoa

Demais espécies de Gambá

Além disso, há o Gambá de orelha preta (D. aurita) que vive no Paraguai, Argentina e Brasil. O comprimento dos indivíduos varia de 60 a 90 cm e pesam até 1,6 kg.

Esta espécie tem duas camadas de pelos, sendo que a interna é de pelos finos. A externa tem pelos longos acinzentados ou pretos. De outro modo, a cabeça e a barriga tem um tom de vermelho-alaranjado, as orelhas são pretas e sem pelos. A fêmea tem no ventre o marsúpio, uma bolsa formada pela pele do abdômen em que há 13 mamas.

Por fim, o Gambá-de-orelha-branca (D. albiventris) vive em países como Uruguai, Paraguai, Brasil, Bolívia e Argentina. A espécie tem um tamanho de pequeno a médio e assemelha-se em dimensões a um gato. Na fase adulta, o peso varia entre 1,5 e 2 kg. Com relação a sua cor, saiba que o tom de preto-acinzentado está em todo o corpo. As orelhas e o rosto são da cor branca. O rabo é preto, há uma listra negra na cabeça e manchas pretas ao redor dos olhos.

Principais características do Gambá

Em primeiro lugar, saiba que o gambá atende por outros nomes vulgares, dependendo do local em que vive. Por exemplo, os nomes na Bahia seriam saruê, sarigueia ou sariguê, bem como “mucura” na região da Amazônia.

Já em locais do Rio Grande do Norte, Pernambuco e Paraíba, o nome vulgar é “timbu”, tal como “cassaco” no Agreste pernambucano, Alagoas e Ceará.

Um nome vulgar errado é o de “raposa”, usado na Região Sul e no Mato Grosso, o animal atende por “micurê”. Por fim, taibu, tacaca e ticaca são os nomes em São Paulo e em Minas Gerais, o mais comum seria “saurê”.

Características gerais da espécie:

Os indivíduos medem entre 40 e 50 cm, sem contar a cauda, que chega a medir 40 centímetros e tem pelos apenas na região proximal. A cauda também é escamosa na extremidade e pode se prender ou enrolar em um suporte, como o ramo de árvores.

Por outro lado, as patas são curtas e há cinco dedos em cada mão, com garras. Apesar disso, o primeiro dedo das patas de trás não tem garras, mas sim uma unha.

Diferentemente dos demais marsupiais, o animal tem uma cauda menor do que o corpo. E conforme estudos em cativeiro, o saruê vive de 2 a 4 anos.

Pelagem cinza, corpo sólido e cheio de escamas, são em princípio algumas das características que definem o gambá, que exala odores fétidos quando se sente ameaçado por outra espécie.

Este marsupial vivíparo tem focinho alongado, pescoço atarracado, patas curtas e cauda preênsil, que utiliza para se agarrar aos troncos com o apoio dos polegares.

O gambá tem 50 centímetros de altura e, comparado a outros animais, não tem destreza para se mover rapidamente, ou seja, se move lentamente com muita falta de jeito.

O tempo de vida do espécime dentro de seu habitat é de aproximadamente oito anos. As fêmeas possuem sua bolsa marsupial que funciona como incubadora para o desenvolvimento completo dos filhotes.

gamba didelphis

Como ocorre a reprodução do Gambá

O Gambá conta com o ciclo estral de 28 dias e pode se reproduzir até 3 vezes por ano. Nesse sentido, a fêmea fica grávida por até 16 dias e pode gerar até 20 filhotes que nascem como embriões. O nascimento ocorre por meio de um canal pseudovaginal que se desenvolve durante o parto e tem 1 cm.

Sendo assim, o embrião vai para o marsúpio e a sua boca é fixada durante um tempo, no mamilo da mãe. Logo depois de 80 dias, os filhotes saem do marsúpio e precisam ser transportados pela mãe em seu dorso, visto que não vivem sozinhos.

Como é constituído o sistema reprodutivo

Os gambás fêmeas têm um sistema reprodutivo com uma estrutura de órgão interno dupla, resultando em um órgão “ bifurcado ” que abre caminho para ovidutos pareados, colo do útero, útero e ovários.

Por sua vez, os machos, para andar de mãos dadas com a parceira, possuem um órgão bifurcado com duas pontas que, segundo os especialistas, expele pouco esperma.

Época de reprodução de gambás

Eles conseguem atingir a maturidade sexual a partir dos dez meses, e após esse período os gambás estão prontos para acasalar.

A estação reprodutiva desse animal marsupial começa nos dias de primavera e verão, que se realiza por meio do ato sexual.

Com o objetivo de que possam nascer vários descendentes, os espermatozoides acasalam dois a dois, mas quando se separam, só conseguem fertilizar um único óvulo. Gambás são capazes de dar à luz duas a três vezes por ano.

Nascimento dos pequenos gambás

Após saírem do útero, os gambás, que costumam ter entre 5 e 16 filhotes, não estão totalmente desenvolvidos, pois não possuem olhos nem orelhas.

Posteriormente, a mãe transporta os recém-nascidos para a bolsa onde permanecerão protegidos por um período de 50 dias. Nesse período, os filhotes se alimentam das tetas da fêmea e completam sua formação.

Ao sair da bolsa, os gambás têm tamanho semelhante ao de um rato, o corpo coberto de pelos e os olhos totalmente ativos. Após a permanência nesse espaço, eles se agarram às costas da mãe, até ficarem independentes.

Deve-se notar que quando nasce um grande número de filhotes, apenas aqueles que conseguiram se alimentar do leite materno sobrevivem.

gamba didelphis sarigueia

Qual é a alimentação de um gambá?

A espécie é onívora, ou seja, a metabolização de diferentes classes alimentícias é possível. Nesse sentido, o animal é capaz de comer qualquer tipo de material como os grãos, frutas, insetos e outros artrópodes. Também vale citar os vertebrados ou até mesmo a carniça.

O gambá é um animal vivíparo e uma espécie onívora que se alimenta de animais, frutas, vegetais e sangue de carniça, normalmente procurando comida à noite. O predador caça coelhos, roedores, ovos de pássaros e répteis, mas sua dieta inclui vermes, grandes insetos, anfíbios, larvas e lagartos.

Ele abate galinhas para consumir seu sangue, sem provar a carne. Da mesma forma, o gambá tem mandíbulas fortes que são usadas para esmagar ossos e cascas de caracóis.

Também se alimenta de milho e raízes suculentas. Em casos mais extremos, ele opta por comer do lixo jogado pelos humanos.

Curiosidades sobre a espécie

É interessante entender os comportamentos do Gambá como, por exemplo, o seu hábito solitário. Somente na época de reprodução, os indivíduos são vistos juntos.

Mas, saiba que o comportamento solitário está mais associado aos machos. Isso significa que as fêmeas tendem a viver em pequenos grupos.

Os hábitos também são noturnos, o que faz com que o animal fique em cavidades entre rochas ou dentro de troncos ocos. Além disso, fica em troncos ocos e arbustos ou plantas mortas.

Diversos estudos também apontam que a espécie é nômade, permanecendo em determinado local durante um curto período.

Aliás, o saruê tem um comportamento muito agressivo porque costuma atacar para defender qualquer outro indivíduo da espécie.

E apesar da agressividade, alguns preferem se fingir de mortos a fim de espantar predadores. Nesta estratégia, o animal fica deitado lateralmente, com os músculos flácidos.

E outra curiosidade interessante seria o mito dos gambás que vivem no Brasil e soltam uma substância de odor terrível.

Este animal tem por nome vulgar “skunk” e vive em países como México, Estados Unidos e Canadá, soltando um odor característico.

gambá fêmea com filhotes em cima de um tronco

Onde encontrar o Gambá

Por fim, entenda que o Gambá está em diversos lugares das Américas, desde o Canadá até a Argentina. E de modo específico, o gambá-comum está no nordeste da Argentina até o México e em nosso país, podemos destacar a região amazônica até o sul.

Além disso, o gambá-de-orelha-preta está no Brasil, Paraguai e Argentina. Falando sobre o nosso país, o animal vive na Mata Atlântica e também nos estados de Rio de Janeiro e São Paulo.

Aliás, está no norte do Rio Grande do Sul e na Amazônia. Já o gambá-de-orelha-branca está na Guiana Francesa, Colômbia, Uruguai, Argentina, Bolívia, Brasil e Paraguai.

Com relação ao Brasil, os indivíduos estão distribuídos em todo o Nordeste e região central, além do Rio Grande do Sul e também no estado de São Paulo. Gambá é um nome vulgar que representa diversas espécies distribuídas nas Américas. Entenda todas as informações necessárias.

O gambá nativo do continente americano, localiza-se em florestas de curta extensão denominadas ” boscaje “, embora também viva em florestas tropicais.

Este marsupial perambula por países como Canadá, Chile, Argentina, Paraguai, Brasil, Uruguai, Colômbia,  Venezuela, entre outros, mas neste último é conhecido como “rabipelado ”.

Para se proteger de outros predadores, costuma dormir em tocas. Porém, sentindo-se ameaçado, sobe às árvores e ali descansa.

Descubra quais são os predadores do gambá

Apesar de ser uma espécie que se alimenta de vários animais, o gambá possui diversos inimigos que são muito ágeis, rápidos e furtivos na hora da caça.

Cunaguaros, onças- pardas e jaguatiricas, uma família de gatos, são predadores do gambá, enquanto outras espécies como cobras e corujas também consomem esse animal.

O gambá ativa mecanismos de defesa contra ameaças

O gambá se torna um problema para alguns criadores, pois esse animal é capaz de matar um grande número de galinhas.

Nesse sentido, ao ser descoberto em forma de defesa, passa a emitir sons altos; também urina e defeca, deixando o local com um odor fétido, e depois joga os excrementos para os caçadores com o rabo, mas em situação mais extrema o animal se finge de morto.

Gostou das informações? Deixe seu comentário logo abaixo, ele é importante para nós!

Informações sobre o Gambá no Wikipédia

Veja também: Cervo-do-pantanal: Blastocerus dichotomus, maior cervídeo da América do Sul

Acesse nossa Loja Virtual e confira as promoções!

Youtube Video

Caixa de Comentários do Facebook

Deixe um comentário