Início AnimaisPet Furão: característica, alimentação, habitat, o que preciso para ter um

Furão: característica, alimentação, habitat, o que preciso para ter um

por Otávio Vieira

Furões, membros fascinantes da família Mustelidae, são conhecidos por sua agilidade e curiosidade. Esses mamíferos carnívoros, que incluem a espécie popularmente conhecida como furão-doméstico (Mustela putorius furo), tornaram-se animais de estimação adorados em várias partes do mundo.

Os furões domésticos se destacam por seu corpo alongado e musculoso, além de pernas curtas. Sua pelagem, densa e oleosa, oferece excelente proteção contra a água e o frio. Encontrados globalmente, desde a Europa até a Nova Zelândia, esses animais adaptam-se bem a diversos ambientes.

Esses mamíferos são conhecidos por serem caçadores habilidosos e solitários, principalmente durante a noite. Sua agilidade permite que alcancem velocidades de até 30 km/h, caçando presas pequenas como ratos, coelhos e pássaros, e até mesmo desafiando animais maiores.

Os furões possuem uma inteligência notável e são extremamente curiosos, características que os tornam excelentes companheiros. Contudo, é importante destacar que podem tornar-se destrutivos se entediados ou não estimulados adequadamente. Além disso, seu instinto territorialista pode levá-los a comportamentos agressivos com outros animais.

Ao contrário dos mitos populares, os furões não são roedores. Eles fazem parte de uma família diversificada, que também inclui lontras e texugos. Com uma expectativa de vida de 5 a 10 anos, esses animais necessitam de cuidados especiais para assegurar sua saúde e bem-estar.

Aqui estão algumas informações sobre os furões:

  • Classificação: Vertebrados / Mamíferos
  • Reprodução: Vivípara
  • Dieta: Carnívora
  • Habitat: Terrestre
  • Ordem: Carnívora
  • Família: Mustelidae
  • Gênero: Mustela
  • Tamanho: 38-45cm
  • Peso: 0,4-2kg

O que é um Furão?

O que é um Furão? Esta pergunta tem ganhado relevância à medida que os furões se tornam cada vez mais populares como animais de estimação. Estes mamíferos, parte da família Mustelidae, são conhecidos por sua energia inesgotável e comportamento brincalhão, capazes de explorar até os cantos mais inusitados de uma casa.

O furão doméstico, encontrado em lojas de animais, é uma subespécie carnívora chamada Mustela putorius furo. Historicamente, os furões foram valorizados por sua habilidade na caça de coelhos, estreitando assim a relação entre humanos e esta espécie divertida de mustelídeo.

Dentro da espécie, existem várias cores de pelagem, incluindo chocolate, canela, champanhe, preto, preto perolado, castanho escuro e até albinos. Os furões têm um padrão de sono profundo, dormindo de 14 a 18 horas por dia, mas quando estão acordados, são extremamente ativos e curiosos, explorando seu ambiente e interagindo com seus donos.

Esses animais se destacam por sua sociabilidade. Eles apreciam a companhia tanto de humanos quanto de outros furões, e podem até mesmo se dar bem com cães e gatos, estabelecendo laços amigáveis.

Contrariando a crença de que furões têm um odor desagradável, eles são, na verdade, animais muito limpos. O cheiro característico é proveniente de glândulas anais, usadas para marcação de território e acasalamento. No entanto, a maioria dos furões domésticos vendidos são castrados, o que elimina essas glândulas e reduz significativamente o odor.

A castração não só ajuda a controlar o cheiro, mas também previne problemas de saúde relacionados ao cio das fêmeas.

Essas características tornam o furão um animal de estimação atraente e carismático, capaz de trazer muita alegria e entretenimento para seus donos.

Principais características do Furão

O furão adulto geralmente pesa entre 400 gramas e 2 kg, com um comprimento total (incluindo a cauda) de 35 a 60 cm. Uma característica marcante é o seu hábito de dormir extensivamente, de 14 a 18 horas por dia, embora sejam bastante ativos quando acordados.

Esses animais são crepusculares, ou seja, são mais ativos durante o amanhecer e o pôr-do-sol. Curiosamente, eles demonstram interesse em atividades ao ar livre, como “ajudar” nos jardins, mas é essencial supervisioná-los devido à sua natureza destemida, que pode levá-los a situações perigosas.

Os furões fazem parte da subfamília dos mustelídeos, um grupo de mamíferos caracterizado por corpos alongados, pelagem fina, patas curtas e rostos pequenos com olhos e orelhas diminutos. Atualmente, são populares como animais de estimação, pertencendo ao gênero Mustela, que inclui 16 espécies diferentes. O furão doméstico é uma subespécie da doninha, tendo sido domesticado há cerca de 2.500 anos.

A cor da pelagem dos furões varia amplamente, incluindo preto, marrom escuro, branco, e até padrões tricolores. Quando se trata de sociabilidade, os furões tendem a brincar bem com outros da mesma espécie. São animais monogâmicos, formando apenas um par durante a vida. Interessantemente, a perda de um parceiro pode levar o outro a falecer devido à solidão ou depressão.

Por isso, é comum que sejam criados em cativeiro em grupos de três ou mais, para prevenir a morte por solidão. Este comportamento social único faz dos furões animais de estimação fascinantes e requer atenção especial em seu manejo.

Furão

Furão

Posso criar um furão sozinho?

A criação de um furão individualmente é perfeitamente viável, desde que você dedique atenção adequada ao animal. É essencial fornecer não apenas cuidados básicos, mas também interação constante e tempo suficiente para jogos e brincadeiras. A presença e o envolvimento ativo do dono são cruciais para o bem-estar do furão.

Quando se trata de socialização com outros animais, alguns furões se adaptam bem à convivência com cachorros pequenos e gatos. No entanto, é importante monitorar cuidadosamente essas interações, especialmente se o furão estiver perto de cães da raça terrier ou outras raças com instintos de caça fortes. Estes podem ver os furões como presas devido ao seu pequeno tamanho e comportamento ágil.

Além disso, a convivência com animais como ratos e coelhos deve ser evitada, uma vez que esses são presas naturais dos furões na natureza. Mesmo que domesticados, os furões podem exibir comportamentos predatórios instintivos que colocam esses animais em risco.

Em resumo, criar um furão sozinho é possível, mas requer comprometimento e supervisão cuidadosa. A interação regular e o enriquecimento ambiental são fundamentais para manter seu furão feliz e saudável.

Comportamento: animais de estimação excepcionais

Furões, conhecidos por sua curiosidade e inteligência, destacam-se no mundo dos animais de estimação. Eles são capazes de reconhecer e responder aos seus nomes, uma demonstração clara de sua capacidade de aprendizado e atenção.

Quanto à sociabilidade, os furões são incrivelmente amigáveis e abertos à interação com outros animais. Eles aceitam facilmente a presença de outros furões e também se adaptam bem à convivência com diversos tipos de animais domésticos, tornando-se companheiros de brincadeiras ideais.

Graças à sua notável inteligência, os furões podem ser ensinados a executar truques e comandos com facilidade. Isso os torna não apenas pets adoráveis, mas também mamíferos domésticos interativos e divertidos.

Outra característica interessante é o seu padrão de sono. Os furões têm hábitos predominantemente crepusculares, dormindo até 18 horas por dia. No entanto, eles são capazes de se ajustar às rotinas de seus donos, demonstrando sua adaptabilidade e vinculação com os humanos.

A domesticação dos furões é um processo que se estende por muitos anos, com estimativas indicando que começou há aproximadamente dois milênios e meio. Esse longo período de convivência com os humanos moldou seus comportamentos, tornando-os animais de estimação excepcionais e integrados ao estilo de vida humano.

Cuidados básicos de um Furão em casa

Ter um furão como animal de estimação em casa é uma experiência enriquecedora, mas requer alguns cuidados essenciais para garantir o bem-estar do animal. A atenção aos detalhes na criação desses mamíferos é crucial para uma convivência harmônica e saudável.

O primeiro aspecto a considerar é o espaço de vida do furão. Uma gaiola ampla e espaçosa é fundamental, idealmente com múltiplos níveis e até uma rede resistente para suportar seu peso. Os furões são animais ativos que gostam de explorar e escalar, portanto, o espaço deles deve ser adequado para essas atividades.

Além da estrutura da gaiola, é importante enriquecer o ambiente com brinquedos apropriados. Estes não só proporcionam entretenimento e estimulação mental, mas também ajudam na manutenção da saúde dental do furão, pois eles adoram mastigar.

Outro aspecto crucial no cuidado com furões é o local de descanso. Dentro da gaiola, deve-se providenciar um abrigo aconchegante, equipado com cobertores macios e tecidos confortáveis. Este local servirá como um refúgio seguro para o furão dormir ou se abrigar quando estiver assustado ou precisando de conforto.

Mais alguns cuidados gerais com o animal

Cuidar de um furão não é excessivamente complicado, mas requer atenção a detalhes importantes para garantir seu bem-estar. Embora possam viver livremente pela casa, é essencial que tenham um local próprio, como uma gaiola bem equipada com água, comida, um local para as necessidades e brinquedos.

Assim como os gatos, os furões podem ser treinados para usar uma caixa de areia específica. Este treinamento ajuda a manter a casa limpa e facilita a gestão das necessidades do animal.

A higiene do furão também merece atenção especial. Recomenda-se dar banho no animal uma vez por mês, mas é importante lembrar que furões não castrados podem ter um odor mais forte devido às suas glândulas. Além dos banhos, é necessário realizar a limpeza regular das unhas, escovação do pelo e limpeza dos ouvidos.

O exercício físico diário é fundamental para a saúde do furão. É aconselhável deixá-lo explorar a casa por pelo menos duas horas por dia, sempre garantindo a segurança do animal. Permitir que ele explore diferentes áreas, como quartos e corredores, é uma excelente forma de exercício.

Além disso, existem opções para passeios ao ar livre com o furão. No mercado, há uma variedade de produtos adequados para passear com seu animal de estimação nas ruas.

Quanto à acomodação na gaiola, ela deve ser espaçosa, com um piso suave para prevenir lesões quando cavam. Os furões preferem ambientes organizados, então é ideal ter áreas separadas para alimentação, descanso e necessidades.

Por fim, ao manusear o furão, a forma correta é segurá-lo pela pele do pescoço, enquanto acaricia seu abdômen para baixo, o que ajuda a acalmá-lo.

Entenda o processo de reprodução do Furão

Compreender a reprodução dos furões é essencial para quem deseja criar estes animais de forma responsável. A puberdade em furões inicia-se aproximadamente aos 250 dias de vida, e eles alcançam a maturidade sexual entre 8 e 12 meses, geralmente na primavera subsequente ao seu nascimento.

A época de acasalamento dos furões estende-se de março a setembro. Durante este período, é crucial observar sinais de prontidão para o acasalamento, especialmente em fêmeas. O período de gestação em furões dura cerca de 44 dias, um período relativamente curto em comparação com outros mamíferos.

Os filhotes de furão nascem pesando entre 5 e 15 gramas. Eles chegam ao mundo em um estado vulnerável: são cegos, surdos e quase desprovidos de pelagem. Esta condição inicial ressalta a importância de cuidados intensivos durante as primeiras semanas de vida.

O desmame dos filhotes ocorre entre a sétima e a nona semana. Inicialmente, eles dependem exclusivamente do leite materno por cerca de cinco semanas, antes de gradualmente começarem a consumir alimentos sólidos.

O cio nas fêmeas de furão ocorre geralmente nas estações de primavera e outono, acontecendo duas vezes ao ano. O acasalamento é idealmente realizado após dez dias do início do cio, que pode ser identificado pela vermelhidão, inchaço e fluxo constante de líquido na vulva das fêmeas.

Mustela putorius furo

Mustela putorius furo

Alimentação: qual é a dieta do Furão?

Entender a dieta adequada para um furão é fundamental para sua saúde e longevidade. Como carnívoros estritos, os furões necessitam de uma alimentação rica em proteínas e gorduras. Idealmente, sua comida deve conter entre 15% a 20% de gorduras e de 32% a 38% de proteínas.

No mercado, existe uma variedade de alimentos específicos para furões, e até mesmo rações para gatos são utilizadas devido ao seu alto teor de proteína e gordura. Contudo, é importante escolher produtos de qualidade e adequados às necessidades nutricionais específicas dos furões.

Apesar de alguns furões demonstrarem interesse por frutos secos e comidas doces, como pasta de amendoim ou uvas passas, estes alimentos não são recomendados. Cereais, vegetais e frutas não são adequados para a dieta do furão, pois podem causar problemas digestivos e doenças como a insulinoma, devido à incapacidade do animal de digerir esses tipos de alimentos.

Geralmente, os criadores oferecem aos furões rações à base de carne de frango, subprodutos animais e ossos. Em alguns países, como Europa e Estados Unidos, é comum oferecer pequenos roedores, como ratos e camundongos.

É importante notar que carne crua pode conter bactérias nocivas à saúde do furão. Portanto, quando se opta por incluir carne na dieta, ela deve ser previamente cozida. Esta pode ser utilizada como complemento alimentar ou como recompensa no treinamento.

Em resumo, para uma alimentação saudável e equilibrada do furão, deve-se optar por rações específicas ou carne cozida, evitando sempre ração para gatos, peixes, carboidratos e alimentos típicos de herbívoros.

Animal de estimação

O furão se destaca como um animal de estimação energético e curioso, frequentemente formando um forte vínculo com seu tutor, semelhante ao que se observa em gatos. Para desenvolver um relacionamento saudável e afetuoso com este pet, é essencial entender suas necessidades e comportamentos.

Nos Estados Unidos e na França, o furão é considerado o terceiro animal de estimação mais popular, superado apenas por gatos e cachorros. Recentemente, os furões foram classificados na categoria de NAC (Novos Animais de Companhia), refletindo sua crescente popularidade como companheiros domésticos.

Os furões podem ser excelentes companheiros para crianças, mas é crucial supervisionar a interação entre eles. Crianças menores podem, sem intenção, abraçar o animal com muita força, causando desconforto ou até asfixia ao pet. Em situações como essa, o furão pode tentar fugir em pânico, o que pode resultar em arranhões ou mordidas.

Portanto, é fundamental ensinar às crianças o modo correto de manusear e cuidar do furão, garantindo a segurança tanto do animal quanto da criança.

Quanto à longevidade, os furões geralmente têm uma expectativa de vida de 3 a 6 anos, embora haja casos raros de animais que vivem até 13 anos. Conhecendo essa expectativa de vida, é importante para o tutor estar preparado para proporcionar cuidados e atenção durante toda a vida do furão.

Mustelidae

Mustelidae

E é possível ter um furão no Brasil?

No Brasil, o furão é considerado um animal exótico, uma vez que não é uma espécie nativa do país. Dessa forma, para ter um furão como animal de estimação, é necessário seguir regulamentações específicas.

De acordo com as normas do IBAMA, é permitido possuir um furão no Brasil, mas somente sob condições específicas. O interessado deve entrar em contato com um criador autorizado nos Estados Unidos e obter toda a documentação especial necessária para a importação do animal.

Esse processo implica em custos consideráveis. Além do investimento inicial para adquirir o furão de um criador estrangeiro, há despesas adicionais relacionadas ao transporte e aos cuidados veterinários especializados.

Assim como ocorre com os gatos domésticos, os furões também necessitam de vacinação regular, incluindo a vacina antirrábica e contra a cinomose. É crucial que as doses de reforço sejam aplicadas anualmente, para assegurar a imunização adequada do pet.

Entenda os hábitos de habitat dos Furões

Os furões, apesar de desenvolverem personalidades únicas, ainda mantêm comportamentos instintivos de seus habitats naturais, como planícies escavadoras. Uma dessas características é a tendência de se esconder em locais fechados, imitando as tocas que ocupam na natureza.

Além disso, furões frequentemente buscam itens de tecido macio para levar ao seu refúgio. Por isso, é recomendável manter tais objetos fora do alcance dos furões para evitar que sejam levados ou danificados.

Outro aspecto importante a considerar é a curiosidade inata dos furões. Em seu novo habitat, é essencial garantir que não tenham acesso a cabos elétricos ou outros objetos potencialmente perigosos. Contrário ao que muitos pensam, os furões não são roedores, mas sua tendência a morder como passatempo requer precaução com objetos ao seu alcance.

Para promover o bem-estar do furão, é ideal transformar sua gaiola em um local confortável, considerando que é seu espaço principal de descanso e refúgio. Além disso, é aconselhável permitir que o furão explore fora da gaiola por quatro horas diárias sob supervisão cuidadosa, para garantir sua segurança e evitar acidentes.

cuidados com o furão

cuidados com o furão

Cuidados básicos com o animal

Para cuidar adequadamente de um furão, é crucial fornecer um ambiente enriquecido e seguro. Isso inclui uma gaiola espaçosa com tubos, uma área de descanso confortável e brinquedos variados. Esses itens são essenciais para manter o furão entretido, especialmente quando está sozinho, evitando que mastigue itens perigosos como fios ou tomadas.

Uma regra de ouro no cuidado com furões é:

Nunca deixe o furão fora da gaiola sem supervisão! Sem a vigilância adequada, eles podem se meter em situações arriscadas ou danificar itens da casa.

Além disso, a atividade física é fundamental para a saúde do furão. Passear com o pet é importante, e para isso, pode-se utilizar coleiras específicas para furões. Esses passeios proporcionam não só exercício, mas também estímulo mental para o animal.

Quanto à higiene, furões são animais que prezam por um ambiente limpo. A má higiene de seu habitat pode causar a proliferação de parasitas e bactérias. Portanto, mantenha a gaiola e o substrato sempre limpos e ofereça banhos regulares no furão. É importante consultar um veterinário especializado para saber quais produtos são seguros para o banho e cuidados gerais de higiene.

Por fim, consultas veterinárias regulares, a cada seis meses, são cruciais. Furões têm predisposição a doenças graves, muitas delas de origem genética devido a cruzamentos seletivos. Isso inclui problemas como neoplasias (câncer), diabetes, pancreatite e doenças da glândula adrenal. Um acompanhamento veterinário especializado é essencial para prevenir e tratar essas condições.

Entenda mais sobre a saúde do Furão

A saúde do furão requer atenção especial e cuidados regulares. As visitas anuais ao veterinário são fundamentais para manter seu pet em boas condições de saúde. Durante essas consultas, o veterinário avaliará a saúde geral do animal, monitorará sua dieta e fornecerá orientações vitais para sua manutenção adequada.

É essencial manter um calendário regular de desparasitação e vacinação, conforme as recomendações locais. Vacinas contra doenças comuns e raiva são obrigatórias e cruciais para a saúde do furão.

Um dos problemas de saúde mais comuns em furões é a Doença de Cushing, causada por um distúrbio hormonal nas glândulas adrenais. Esta condição é frequentemente vista em furões e pode ser resultado de uma hiperplasia ou tumor nessas glândulas. Os sinais clínicos incluem calvície simétrica que geralmente começa nas ancas e avança em direção à cabeça, acompanhada de coceira, espinhas e vermelhidão da pele. Em casos mais graves, pode ocorrer anemia severa. Nos machos, a doença pode causar agressividade e aumento da próstata, enquanto nas fêmeas, é comum observar uma vulva aumentada e secreção purulenta.

Principais doenças que podem afetar um Furão

Conhecer as doenças comuns em furões é essencial para proporcionar os cuidados adequados e prevenir complicações. Entre as principais enfermidades, destacam-se:

  • Insulinoma: Esta condição é um tumor no pâncreas que resulta em aumento da produção de insulina, levando a hipoglicemia (queda de açúcar no sangue). O tratamento pode incluir medicamentos ou cirurgia, dependendo do caso.
  • Hiperestrogenismo: Em furões fêmeas, a incapacidade de sair do cio naturalmente pode levar a níveis elevados de estrogênio, causando hiperestrogenismo. Isso é particularmente preocupante durante o período reprodutivo.
  • Linfoma: Comum em furões a partir dos 2 anos de idade, o linfoma pode ser tratado com medicamentos ou cirurgia, dependendo da gravidade e localização dos tumores.
  • Síndrome de Waardenburg: Esta malformação genética caracteriza-se pela presença de uma faixa branca no rosto ou na cabeça inteira, frequentemente associada a uma surdez de mais de 75%.
  • Doença das Aleutas: Causada por um parvovírus, esta doença afeta o sistema imunológico dos furões e, infelizmente, ainda não há cura conhecida.
  • Mastocitomas: Estes tumores benignos nas mamas exigem extração cirúrgica para a recuperação do animal.
  • Cinomose: Uma doença mortal que ressalta a importância de manter as vacinas dos furões em dia, pois a prevenção é a melhor forma de proteção.

Diminuição do cheiro peculiar em furões

Um dos aspectos notórios dos furões é o odor característico que exalam, originado de glândulas específicas em sua pele. A boa notícia é que a esterilização (castração ou esterilização) pode significativamente reduzir esse aroma. Este procedimento diminui a atividade das glândulas responsáveis pelo odor, tornando-o menos intenso.

Além da esterilização, a limpeza regular do espaço habitado pelo furão é crucial. Eles tendem a marcar território com seu cheiro, então manter a área deles limpa ajuda a minimizar a disseminação do odor. Isso inclui a limpeza regular da gaiola, da área de descanso e dos brinquedos.

É importante notar que dar banho no furão com frequência pode, paradoxalmente, aumentar o odor, pois estimula as glândulas da pele a produzirem mais secreção. Portanto, recomenda-se banhar o furão apenas uma vez a cada dois meses. Usar produtos específicos para furões e garantir que o banho seja uma experiência tranquila e não estressante também são aspectos importantes a considerar.

O Furão como animal de estimação

Apesar de estar se tornando uma opção popular como animal de estimação, é importante reconhecer que os furões são, na verdade, animais bastante complexos para se cuidar. Antes de decidir adotar um furão, é crucial entender profundamente sobre o animal, incluindo seus hábitos, personalidade e os cuidados específicos que ele requer.

Uma característica essencial dos furões é que eles são animais que demandam muita atenção. Apesar de sua domesticação, eles mantêm traços de seu comportamento selvagem e podem exibir comportamentos desafiadores em determinadas situações.

Um aspecto crucial no cuidado com furões é a escolha de um veterinário experiente. Os cuidados veterinários para furões são especializados e, muitas vezes, mais caros do que para animais de estimação mais comuns. Encontrar um profissional qualificado é vital para garantir que o furão receba as vacinas e tratamentos adequados.

A alimentação é outro ponto importante. Embora sejam naturalmente carnívoros, a convivência com humanos fez com que alguns furões desenvolvessem hábitos onívoros. No entanto, a dieta de um furão deve ser cuidadosamente balanceada para atender todas as suas necessidades nutricionais. É recomendável utilizar rações específicas para furões e evitar alimentá-los com produtos ultra processados ou açucarados, que podem ser prejudiciais à sua saúde.

Quais são as principais presas e predadores dos Furões?

Os furões, sendo adaptados à vida selvagem, possuem um conjunto específico de presas e predadores naturais. No que se refere aos predadores, eles enfrentam ameaças de diversos animais maiores. Raposas e corujas estão entre os mais comuns, representando um perigo significativo para os furões no seu ambiente natural.

Por outro lado, em seu papel de caçadores, os furões têm suas próprias presas preferidas. Eles são habilidosos em caçar pequenos mamíferos, sendo coelhos e camundongos exemplos típicos de suas presas habituais. Essa característica instintiva de caça é importante de se considerar quando se tem furões como animais de estimação, especialmente se há outros pequenos animais domésticos na casa.

Portanto, é recomendável que furões domesticados não sejam mantidos próximos a esses animais, como coelhos ou camundongos, para evitar comportamentos predatórios que são naturais para eles em seu habitat selvagem.

Considerações finais

Esperamos que estas informações tenham sido úteis e esclarecedoras. Sua opinião é muito valiosa para nós! Não hesite em deixar um comentário abaixo com suas impressões ou dúvidas.

Para mais informações detalhadas sobre o Furão, recomendamos a consulta à página do Furão no Wikipédia, onde você pode encontrar dados adicionais e interessantes sobre esses animais fascinantes.

Se você tem interesse em outros pequenos animais de estimação, confira também nosso artigo sobre Porquinho-da-índia: características, reprodução, alimentação e curiosidades.

E não esqueça de visitar nossa Loja Virtual para aproveitar as promoções exclusivas! Aqui, você encontrará tudo o que precisa para garantir o bem-estar e a felicidade do seu pet.

Referências

  1. Petz
  2. Meus Animais
  3. Perito Animal
  4. Vitakraft

Youtube Video

Caixa de Comentários do Facebook

Deixe um comentário