Pesca Gerais

Dicas e informações de equipamentos alternativos para pescar Tambacu

Equipamentos Alternativos para Pescar Tambacu – Por Luis Henrique (É o Luis que tá falando)

Fisgar um belo troféu com equipamento mais leve, aumenta a qualidade da pescaria e principalmente a emoção do pescador, equipamentos alternativos para pescar Tambacu torna a briga mais intensa, porém, requer cuidados com o conjunto.

Em pesqueiros com lagoas menores seria possível fisgar grandes exemplares de Tambacus utilizando uma tralha de pesca mais leve?

Neste post vamos apresentar para você uma pescaria diferenciada, onde capturamos lindos exemplares próximos aos 30 kg de uma forma muito interessante e utilizando as iscas anteninha.

Conheça o Tambacu

O Tambacu é um peixe híbrido, através do cruzamento entre o Pacu macho e o Tambaqui fêmea. Muito conhecido por frequentadores de pesqueiros, o Tambacu pode ultrapassar os 30 kg, em alguns pesque e solte já foram fisgados exemplares acima dos 35 kg.

Diferentemente do Tambaqui, o Tambacu aceita temperaturas abaixo dos 20ºc, dessa forma, se adaptou muito bem ao clima da região sudeste, tornado assim, o principal peixe em pesqueiros de São Paulo e Minas Gerais. Nos meses mais frios é possível realizar boas pescarias, entretanto, o peixe fica mais ativo na meia água e na pescaria de fundo.

A maior atividade dos Tambacus ocorre no verão quando as temperaturas chegam até os 35ºc. É comum os peixes atacarem na superfície com lindas explosões, fazendo assim a alegria dos pescadores esportivos.

peixe gigante capturado com equipamentos alternativos para pescar Tambacu

Alimentação variada do Tambacu

Com hábito alimentar bem variado, destacamos as principais iscas para pescar o Tambacu, por exemplo:

  • Salsicha
  • Queijos
  • Ração
  • Pão de Sal (francês)
  • Pão de Queijo
  • Massas
  • Frutas

Na pesca esportiva das mais diversas espécies, sempre uma isca artificial tem um maior destaque, no caso do Tambacu, principalmente na pescaria de verão, as famosas anteninhas não podem ficar de fora da sua caixa de pesca.

A anteninha simplesmente é a montagem de E.V.A. com anzol Wide Gap e miçanga. Dessa forma, o conjunto imita a ração do peixe, principalmente aquelas você leva para cevar o local de pesca, sendo confeccionadas de várias formas e principalmente cores.

É muito importante levar modelos e cores diferentes para utilização durante a pescaria. A anteninha é igual a qualquer outra isca artificial, sendo necessário a substituição no decorrer da pescaria. Certamente, terá dias que uma determinada cor será mais produtiva que uma outra, faça o teste e comprove.

Como pescar com anteninha?

anteninha equipamento alternativo para pescar Tambacu

Estudar o pesqueiro é fundamental para o sucesso na pesca com com anteninha. Identificar a cor e o tamanho que os peixes estão atacando.

Enfim, após levantar todas informações, será necessário o uso de boia cevadeira ou boia torpedo (fundamental observar durante a pescaria qual montagem está mais produtiva).

A boia cevadeira contém em sua extremidade inferior um compartimento que tem por finalidade acondicionar e transportar a ração de ceva até o local pretendido no seu arremesso.

A boia torpedo é simplesmente um pedaço de isopor acompanhado de um chumbo que atua como contrapeso para potencializar ainda mais o arremesso.

Após definir o tipo de boia e principalmente a escolha da isca, em seguida, executar a montagem do líder / chicote, líder esse onde você deverá amarrar sua anteninha.

Em determinados pesqueiros, eventualmente, um ou dois metros de líder / chicote é o suficiente, porque os Tambacus se alimentam mais próximo a superfície ou seja próximo a boia.

Entretanto em outros pesqueiros, os Tambacus são mais manhosos e ariscos e dessa forma será necessário a utilização de chicotes maiores, podendo chegar até os 6 metros de comprimento.

A anteninha é uma isca artificial

Como já citado anteriormente, a anteninha é considerada uma isca artificial. Portanto a atenção na pesca deverá ser redobrada, ou seja, o Tambacu pode pegar sua isca e perceber que não se trata de alimento.

Nesse momento o peixe rapidamente irá “cospir” a sua isca. De certo, deixar a vara na espera não será uma estratégia de sucesso. O ideal nessa ocasião é vara na mão e olhar fixo na sua anteninha.

A anteninha pode ser considerada uma isca pequena. Desse modo o ideal é montar o chicote colocando uma boia sinalizadora. Por exemplo, boia de tilápia ou até mesmo o uso de EVA para auxiliar e facilitar a visualização da isca no pesqueiro.

Nossa pescaria no Pesqueiro Quatro Estações

O Pesqueiro Quatro Estações fica localizado na cidade de Esmeraldas – MG, cerca de 67 km da capital Belo Horizonte. O pesqueiro é muito famoso na região por ter em suas águas grandes e belos exemplares de Tambacus.

Cevando com mais qualidade

cevador de vassoura e garrafa pet

Os lagos do pesqueiro Quatro Estações são considerados grandes, no entanto resolvi utilizar uma técnica diferente usando material mais leve – Equipamentos Alternativos para Pescar Tambacu.

Optei em não utilizar a boia cevadeira e dessa maneira desenvolvi uma forma diferenciada para cevar o pesqueiro. Utilizando um cabo de vassoura adaptando uma garrafa pet de água mineral em uma das extremidades. Depois de prender a boca da garrafa pet no cabo, o meu cevador ficou pronto.

Em seguida coloquei uma boa quantidade de ração na garrafa pet para executar o lançamento no local definido para minha pescaria. Em conclusão, consegui assim uma ceva fixa.

Desse modo não era necessário o recolhimento do equipamento com frequência, evitando assim vários arremessos e reduzindo muito o barulho e movimentação no local da ceva. Meu maior objetivo era manter os peixes mais concentrados no local escolhido.

Material utilizado na pesca do Tambacu

pessoa pescando em um pesqueiro

  • Vara 5’6” (1.68 m) – 6/17 lbs;
  • Molinete Modelo 500;
  • Linha Monofilamento 0.33 mm – 17 lbs;
  • Boia Barão Torpedo de 30g;
  • Líder 0.40 mm – 29 lbs;
  • Anteninha (isca).

A beira do barranco foi o local estratégico que defini para realizar minha ceva. Contudo, meu maior objetivo era atrair o peixe para mais perto.

Utilizei apenas 1,5 metro de líder e somente a anteninha. Por estar próximo e bem visível, não se fez necessário o uso de boias guias ou EVA.

Havendo assim, uma enorme concentração de Tambacus, os quais, ali permaneceram, me proporcionou a oportunidade de apenas ir  trocando as cores das anteninhas para chegar à cor ideal.

Dica importante, quando for efetuar um novo arremesso e perceber que os peixes estão próximos a sua ceva, arremesse em uma distância maior, além dos peixes e do local. Em seguida recolha sua isca devagar, até chegar no local exato da sua ceva.

Dessa maneira você vai conseguir manter os Tambacus no local sem espantá-los, assim mantendo os peixes por perto até conseguir fisgá-los.

A escolha da isca certa

Depois de efetuar algumas trocas, identifiquei a anteninha correta. Foi a de cor “café com leite” com miçanga vermelha.

Os Tambacus estavam agitados, várias ações na isca, explosões e brigas contantes. Perdi a conta de quantos foram fisgados, sempre com a vara na mão e atenção redobrada na isca. E não deu outra, o primeiro Tambacu capturado, foi um exemplar de aproximadamente 8 kg.

pescador segurando um Tambacu

Durante a pescaria, percebemos que os maiores Tambacus não estava explodindo na superfície. Estavam ariscos de uma forma bem lenta subiam até a superfície e comiam a ração, parecendo que estavam sugando a isca.

Com muita paciência, continuei o trabalho e com bastante atenção na isca, logo fisguei um lindo exemplar com exatos 27 kg. Um lindo Tambacu que me deu muita emoção. Lembrando que estava com equipamento leve o que tornou a briga muito boa, porém difícil.

A paciência nessa hora é importante, deixar a fricção do molinete um pouco aberto e trabalhar o peixe com muita calma. Isso que torna a pesca esportiva uma verdadeira emoção e puro divertimento! A foto do meu troféu!

tambacu gigante capturado com equipamentos alternativos

Cuidados na pesca do Tambacu

  • Jamais use alicate de contenção para manuseio de Tambacu, Tambaqui, Pirarara, Surubim e etc. Peixes desse porte corre o risco muito grande de ter à quebra da mandíbula ou até o corte da mesma. Enfim, podendo morrer devido a essa fratura;
  • Peixes na média de 8 até 18 kg são muito ativos, normalmente os mais fortes. Então seja qual for o tamanho, segure-o bem firme e se possível agachado, pois, se acontecer do mesmo cair, não haverá dano ao peixe. Lembre-se,  principalmente do  peixe, pois ele tem que ser devolvido saudável para água para que o pesque e solte continue;
  • A Pesca Esportiva é o ato de fisgar o peixe, fotografá-lo e soltá-lo novamente. Mas vale ressaltar que a partir da hora que o peixe saiu da água, isso deverá ser feito rapidamente, não demore com o peixe fora d’água, pois com pouco tempo ele poderá morrer;
  • Utilize somente ração de peixe para cevar, a ração de peixe como o próprio nome já diz, é para eles. Outros tipo de ração como a de cachorro, não são balanceadas para a alimentação dos Tambacus e além disso com o tempo, poderá levar a morte do peixe.

Por fim, gostou das dicas e do relato de Equipamentos Alternativos para Pescar Tambacu? Deixe seu comentário logo abaixo, ele é importante para nós!

Veja também Como pescar Curimba: técnicas utilizadas na pesca esportiva, acesse

Agradecimento especial ao Luis Henrique (É o Luis que tá falando) que cedeu todo o conteúdo para post.

Acesse nossa Loja Virtual e confira as promoções!

Posts Relacionados

Deixe um Comentário