Início Animais Capivara, o maior mamífero roedor do planeta da família Caviidae

Capivara, o maior mamífero roedor do planeta da família Caviidae

por Otávio Vieira

A Capivara é um mamífero que pertence à sub-família Hydrochoerinae. O animal também é considerado um roedor, estando no mesmo grupo que os preás, pacas, cutias e o porquinho-da-índia.

Com relação à distribuição, saiba que os indivíduos vivem em toda a América do Sul, apesar de preferirem habitar a parte leste dos Andes onde há lagos, rios e pântanos.

A Capivara é considerada o maior roedor do mundo. Sua distribuição principal é a América do Sul onde adota dezenas de nomes diferentes. É um animal caçado pelo homem para alimentação, por isso é comum que seja considerado protegido em alguns países para evitar sua extinção. Pertencem à família Caviidae e ao gênero Hydrochoerus, o que significa que são animais semiaquáticos, vivem próximos à água e necessitam de espaços úmidos para seu correto crescimento.

Não são animais agressivos, mas seu comportamento é bem típico de sua espécie. Eles são capazes de se adaptar a locais onde a presença humana é encontrada, tornando-se comedores noturnos. Algumas pessoas criam capivaras em casa e esses mamíferos aceitam o espaço oferecido como um local seguro para se protegerem de predadores. Porém, vale ressaltar que é uma espécie exótica e requer cuidados especiais.

Vale destacar que a espécie tem a capacidade muito boa de se adaptar em ambientes que foram modificados pelo ser humano, por isso, entenda mais detalhes a seguir:

Classificação:

  • Nome científico: Hydrochoerus hydrochaeris
  • Família: Caviidae
  • Classificação: Vertebrado / Mamífero
  • Reprodução: vivípara
  • Alimentando: Herbívoro
  • Habitat: Terrestre
  • Ordem: Roedores
  • Gênero: Hydrochoerus
  • Longevidade: 10 – 15 anos
  • Tamanho: 1,1 – 1,3m
  • Peso: 35 – 66kg

Principais características da Capivara

A capivara é o maior roedor do planeta, tendo em vista que alcança o peso máximo de 50 kg. Inclusive, o dimorfismo é aparente, pois a fêmea é maior que o macho. Por exemplo, a maior fêmea, com 91 kg, foi vista no estado de São Paulo e o maior macho foi visto no Uruguai com 73 kg.

Nesse sentido, um ponto interessante é que os exemplares da Argentina, bem como do Sudeste e centro-oeste do Brasil, tendem a ser maiores do que os da Venezuela. O comprimento máximo é de 1,2 m, 60 cm na altura da cernelha e o corpo seria robusto, além de ter o formato de barril. Aliás, o corpo é coberto por uma pelagem densa que pode ter a cor marrom-escuro ou vermelho.

Também tem uma cabeça grande, orelhas pequenas e sem pêlos, assim como patas curtas, sendo que as traseiras são mais longas. As patas dianteiras contam com 4 dedos, ao mesmo tempo em que as traseiras têm somente 3. Com relação à alimentação, as capivaras são herbívoras e possuem adaptações para este tipo de dieta.

Como resultado, os indivíduos têm o estômago simples em formato de “J”, com volume de até 2 l. O ceco é usado para fermentar a comida através de bactérias, sendo que pode ter até 5 l de volume e ocupa entre 63 e 74% do volume do sistema digestório.

Diferentemente dos demais roedores, as capivaras têm glândulas sudoríparas que ficam em todo o corpo e servem para produzir suor.

capivara sentada no tronco

Mais informações sobre o animal

Embora cresçam até 130 cm de comprimento, é comum ver animais entre 60 e 80 cm de comprimento. O peso médio é de 45 quilos em condições naturais, embora sua criação em cativeiro aumente seu peso para 70 quilos.

Seu corpo é compacto, largo e muito forte, assim como sua cabeça. Possui pescoço curto e um dos músculos mais forte da Capivara. Suas orelhas são pequenas, retas e sem pelos. Seu focinho é sua principal ferramenta de trabalho, por isso é forte e compacto. Tem um total de 20 dentes, mas fortes o suficiente para serem roedores.

Eles não têm cauda, ​​mas há uma pele que protege suas partes. As patas traseiras da capivara são mais longas que as dianteiras, o que permite que ela inicie uma fuga bastante rápida. Enquanto corre, ele apoia seus dedos fortes e muito grossos em seu corpo, o que também lhe permite ser um nadador perfeito.

Como ocorre a reprodução da Capivara

O ciclo estral da capivara dura 7,5 dias, enquanto que o tempo de ovulação é de no máximo 8 horas. Assim, o período de reprodução corresponde ao ano todo, momento em que o macho segue a fêmea de 5 a 10 min até que eles venham acasalar dentro da água.

Mas, é importante falar que geralmente a reprodução ocorre entre os meses de setembro e outubro no Brasil e de abril a maio na Venezuela.  Inclusive, as fêmeas podem engravidar duas vezes por ano, embora seja comum engravidar somente uma vez. As fêmeas velhas podem gerar mais filhotes, mas geralmente seria entre 1 e 8, com a gestação de 150 dias.

Portanto, é interessante esclarecer o seguinte: As capivaras vivem em bandos e com isso, as ninhadas de várias fêmeas crescem juntas, dando a impressão de que uma mãe tem vários filhotes. Os pais não fazem nenhum tipo de ninho, por isso, o filhote pode nascer em qualquer local.

Por fim, os machos apresentam um cuidado parental menor, mas quando elas dão à luz a muitos filhotes, os pais ajudam na criação.

Mais informações sua reprodução

Sua reprodução ocorre em ambientes que permitem ao macho perseguir a fêmea. A fêmea não faz ninhos para parir, porém, procura um local fresco para fazê-lo. O número médio de filhotes é de 7 indivíduos, mas a taxa de mortalidade é superior a 50%, o que significa que apenas 2 a 3 filhotes sobrevivem.

Comportamento, velocidade e força na corrida são os principais acidentes que ocorrem onde os filhotes acabam espancados e são facilmente caçados. Um filhote de capivara sobreviverá naturalmente após 3 meses na companhia de seus pais e, posteriormente, se tornará independente quando atingir 6 meses.

A maturidade sexual da Capivara ocorre aos 2 anos de idade, embora as fêmeas atinjam essa maturidade mais rapidamente que os machos. Os machos podem montar a fêmea até 25 vezes em um dia para garantir a fertilização. A gestação varia entre 110 e 150 dias dependendo do local onde vivem.

capivara sentada na grama

Alimento preferido para esses mamíferos

Diversos estudos indicam que a capivara é herbívora e come gramíneas. Dessa forma, quando tratamos de forma mais específica, devemos falar sobre os seguintes dados obtidos em um estudo da década de 1970 que tinha relação com a dieta:

Capivaras podem comer 3 espécies de Cyperaceae, 4 espécies de arbustos, 5 de plantas aquáticas e 21 de gramíneas. Este estudo comprova a prioridade que a espécie dá aos alimentos como as gramíneas.

Em contrapartida, é importante falar que o tipo de dieta varia conforme a região devido a quantidade de alimento que é disponível. Por exemplo, as capivaras que vivem no delta do rio Paraná normalmente comem espécies da família Cyperaceae.

Já a dieta dos indivíduos que vivem nos llanos da Venezuela é baseada em gramíneas. Também podem se alimentar de ervas da família Cyperaceae quando há escassez de comida no local.

Sua dieta principal é pastagens frescas e tenras. Eles gostam de plantas que crescem muito perto de corpos d’água, mas preferem um maior teor de lignina para obter a fibra que seus músculos precisam. Eles têm uma preferência única por plantas doces. Por isso, é normal ver capivaras em plantações onde o homem cultiva árvores frutíferas, cana-de-açúcar ou grãos como o milho.

Um comportamento marcante na alimentação da capivara é sua capacidade de conservação. Uma vez que se alimentam em uma região específica, saem dela para permitir o crescimento das plantas, principalmente quando se aproxima o verão.

Em cativeiro, os criadores tendem a plantar plantas com alto teor de fibras e açúcar próximo a áreas úmidas para permitir seu desenvolvimento natural e diminuir seus níveis de estresse. No entanto, cana-de-açúcar, capim-rei roxo e grãos como o milho compõem grande parte da dieta da capivara.

Curiosidades sobre a espécie

Como curiosidade, podemos falar sobre a conservação da espécie. Primeiro de tudo, entenda que a capivara não é uma espécie ameaçada, conforme informações da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais.

Por esse motivo, o animal está na categoria de “pouco preocupante”, estando bem distribuído em inúmeras unidades de conservação.

Aliás, as populações estão estáveis porque elas conseguem se adaptar em locais diversos. Para que você tenha noção, os indivíduos vivem em ambientes altamente alterados pelo homem como os canaviais e as pastagens. Como resultado, o desmatamento para criação de pastagens pode ajudar na expansão das populações da capivara.

Por fim, os indivíduos podem ser vistos até em locais urbanos, parques e curiosamente, em áreas residenciais. A única ameaça evidente para a espécie seria a caça comercial para a venda de couro. No entanto, a caça não afeta muito as populações selvagens porque há criações de indivíduos para a obtenção de couro.

Habitat e onde encontrar a Capivara

A capivara vive em diversos locais da América do Sul, tendo em vista que está em todos os países do continente com exceção do Chile. Sendo assim, a espécie vive desde o leste dos Andes até a foz do rio da Prata, que fica na Argentina.

E por conta da ampla distribuição, a espécie está se tornando invasora em alguns locais como a Flórida. Neste caso, os indivíduos se aproveitam de habitats diversos como os pântanos, represas, lagos e rios.

Falando sobre o Brasil, as capivaras são abundantes nas bacias dos rios Amazonas, Araguaia e Paraná. Além disso, vale falar sobre as áreas dos lagos no Rio Grande do Sul e no Pantanal.

No entanto, elas podem ser raras em alguns locais: Por exemplo, em zonas da Caatinga em nosso país, foi possível notar a extinção de algumas populações.

Na parte litoral do Nordeste do Brasil, em especial entre o Rio Grande do Norte e o Ceará, também houve a extinção de populações.

O habitat principal deste mamífero exótico está perto de grandes corpos de água doce. Não são animais cavernícolas, mas não toleram espaços abertos. Eles preferem fazer seus próprios buracos cheios de lama para manter a temperatura.

Apesar de ser veloz, a capivara prefere ficar coberta por arbustos ou capins que não permitem que seus predadores a notem. Necessitam de grandes fontes de água à medida que se acostumam a nadar, ficando vários minutos sem respirar enquanto escapam ou se deslocam de um lugar para outro.

São mamíferos exóticos que gostam de viver em bandos para proteger uns aos outros e defender seus filhotes. O comportamento varia de acordo com as condições climáticas. Nas estações de inverno, onde há grandes massas de água e comida abundante, eles preferem ficar em pequenos grupos e até sozinhos. Enquanto, em épocas de verão e escassez, preferem ficar juntos para se proteger. Os limites entre os grupos são marcados por glândulas odoríferas.

Potenciais Predadores da Capivara

A Capivara é uma presa por excelência e preferida por muitos animais. A sua carne é tenra, sem gordura, com dobras abundantes e muito fácil de digerir. Isso faz com que os animais, principalmente gatos e raposas, os cacem constantemente. Devido à sua permanência constante na água, jacarés e sucuris também são uma ameaça para eles.

No entanto, a população de capivaras está à beira da extinção por causa do homem, que, com a invasão desses mamíferos em suas lavouras, prefere caçá-los e se alimentar de sua carne.

Gostou das informações? Deixe seu comentário logo abaixo, ele é importante para nós!

Informações sobre a capivara no Wikipédia

Veja também: Baleia-azul: tamanho, peso, habitat, características e reprodução

Acesse nossa Loja Virtual e confira as promoções!

Youtube Video

Caixa de Comentários do Facebook

Deixe um comentário

1 comentário

Elizandra 18 de julho de 2021 - 5:57

Ótimas informações!!

Responder