Início Animais Cachorro-do-mato: diferença de uma raposa, alimentação e reprodução

Cachorro-do-mato: diferença de uma raposa, alimentação e reprodução

por Otávio Vieira

O Cachorro-do-mato tem por nome vulgar raposa-caranguejeira ou graxaim-do-mato, além de “Crab-eating Fox” na língua inglesa.

Esta é uma espécie de mamífero da ordem Carnivora, natural da América do Sul e que vive em áreas montanhosas e costeiras.

Portanto, os indivíduos podem se adaptar em altitudes até 3.000 metros acima do nível do mar, entenda mais detalhes a seguir:

Classificação:

  • Nome científico – Cerdocyon thous;
  • Família – Canidae.

Características do Cachorro-do-mato

O Cachorro-do-mato tem uma pelagem marrom-acinzentada, sendo que algumas áreas da face, orelhas e pernas são vermelhas.

Já a cauda tem um tom de preto na ponta, além de ser espessa e longa.

As pernas são fortes, embora sejam curtas e os indivíduos adultos chegam a pesar até 7,7 kg.

Por outro lado, o comprimento total é de 64,3 cm, sendo que a cauda tem 28,5 cm.

As orelhas são arredondadas, as patas negras, assim como a pelagem seria grossa e curta.

Esta espécie de cachorro do mato tem um focinho estreito e comprido e não é possível diferenciar machos e fêmeas.

O comportamento é noturno porque os exemplares abrigam-se em tocas durante o dia ou até mesmo em ocos de árvores.

Embora tenham a capacidade de abrir túneis, normalmente preferem usar as tocas de outros animais.

Aliás, falando sobre os sons emitidos pelos cachorros, saiba que podem ser uivos, zumbidos ou latidos.

Estes sons são usados pelos animais para entrar em contato com outros indivíduos da espécie.

E qual a diferença entre cachorro do mato e graxaim?

Bom, o graxaim conta com um aspecto mais fino, ao mesmo tempo em que o cachorro do mato seria robusto.

Cachorro do mato

Por http://www.birdphotos.com – http://www.birdphotos.com, CC BY 3.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=48764211

Reprodução do Cachorro-do-mato

Por ser monogâmico, o Cachorro-do-mato tem somente 1 parceiro em toda a sua vida, sendo que os picos reprodutivos ocorrem em novembro e dezembro.

As fêmeas podem gerar de 3 a 6 filhotes por ninhada e concebem até 2 vezes ao ano.

A gestação tem uma duração entre 52 e 59 dias, assim como os filhotes nascem com até 160 gramas.

Também nascem sem nenhum dente e com os olhos fechados, abrindo somente depois de 14 dias.

Com 30 dias de vida, os pequenos podem ingerir alimentos sólidos e somente com 90 dias, eles são desmamados.

Tornam-se maduros com 9 meses de idade e uma característica interessante é que o macho se torna responsável por levar o alimento às fêmeas lactantes ou grávidas.

Alimentação

Onívoro e oportunista, o animal come frutos, sendo visto como um dispersor de sementes.

Por isso, na época de chuva, a espécie tem o costume de comer frutos como embaúba, figueira e baguaçu, além de insetos.

Já na seca, come os pequenos mamíferos como os roedores, além de anfíbios, artrópodes, ovos, répteis, crustáceos e carcaças de animais mortos.

No último exemplo de alimento, os indivíduos ficam em margens de estradas a fim de comer os restos de animais que foram atropelados, tornando-se também, vítimas de atropelamento.

Dessa forma, uma característica importante é que na estação seca, os indivíduos tornam-se territoriais por conta da diminuição na oferta de alimento.

De outro modo, em épocas de chuva, momento em que há mais comida, eles prestam menos atenção ao território.

Por fim, o que o cachorro-do-mato faz a noite?

Bom, o animal é selvagem e tem hábitos noturnos, caçando as suas presas e frutas durante a noite.

À vista disso, a espécie adapta o seu método de caça conforme a presa.

Por exemplo, é possível que os casais formem grupos durante a época de reprodução para a caça de alimento.

Curiosidades

Com relação à conservação da espécie, saiba que a situação é menos preocupante.

Apesar disso, as populações sofrem com a infecção patogênica disseminada de cães domésticos.

Aliás, existe o problema com a caça:

Embora a caça de animais selvagens seja proibida em grande parte dos países, não há leis que protejam esta espécie em nenhum local.

O envenenamento ou atropelamento também são fatores que contribuem para a diminuição de indivíduos das populações.

De outra forma, vale falar sobre o contato que o cachorro-do-mato tem com o homem.

Para que você tenha noção, existem alguns relatos de domesticação da espécie, sendo que um deles ocorreu em Cruzeiro do Oeste (PR).

Mas, este tipo de criação não é boa, tendo em vista que os animais silvestres podem transmitir diversas doenças para os humanos.

Alguns exemplos seriam a raiva e a leptospirose.

Este tipo de ação também é visto como um crime ambiental quando a pessoa não tem a autorização do órgão competente Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), no Brasil.

Onde encontrar o Cachorro-do-mato

A espécie conta com uma distribuição ampla em regiões da América do Sul.

Por esse motivo, podemos citar parte do Brasil, com exceção da Amazônia, Venezuela e norte da Colômbia.

Também está presente no norte da Argentina, todo o Paraguai, Bolívia a leste dos Andes e em quase todo o Uruguai.

Dificilmente os exemplares podem ser vistos na Guiana e Suriname.

Qual é o habitat do cachorro-do-mato?

Bom, os exemplares estão na Caatinga, Pantanal, Cerrado, Campos Sulinos nos e na Mata Atlântica.

Gostou das informações? Deixe seu comentário logo abaixo, ele é importante para nós!

Informações sobre o Cachorro-do-mato no Wikipédia

Veja também: Gambá (Didelphis marsupialis) conheça algumas informações sobre esse mamífero

Acesse nossa Loja Virtual e confira as promoções!

Caixa de Comentários do Facebook

Você pode gostar

Deixe um comentário