Início » Cabeça-seca: veja as curiosidades, habitat, características e seus hábitos

Cabeça-seca: veja as curiosidades, habitat, características e seus hábitos

por Otávio Vieira
202 visualizações

Cabeça-seca é uma ave de grande porte que tem o nome de Wood Stork (cegonha-da-floresta) na língua inglesa.

A espécie vive em habitats tropicais e subtropicais das Américas, incluindo também o Caribe.

Portanto, vive em diversos locais da América do Sul e na América do Norte, principalmente na Flórida.

Ao decorrer da leitura iremos entender mais sobre a espécie.

Classificação:

  • Nome científico – Mycteria americana;
  • Família – Ciconiidae.

Características do Cabeça-seca

O Cabeça-seca mede entre 83 e 115 cm, além de ter uma altura e envergadura de 140 a 180 cm.

É comum que as fêmeas da espécie tenham entre 2,0 e 2,8 kg, além de os machos pesarem de 2,5 a 3,3 kg.

O pescoço e cabeça dos indivíduos são nus, bem como a pele é escamosa e tem um tom de cinza escuro.

A plumagem é branca, juntamente com iridescência arroxeada e esverdeada, além da cauda preta.

O bico é longo, largo na base,  curvo e preto, bem como, os pés e pernas são escuros.

Os dedos dos pés são da cor da pele, porém quando a época de reprodução se aproxima, podemos observar um tom rosado.

Também vale falar sobre o voo deste pássaro, tendo em vista que ele usa técnicas variadas.

Em dias nublados ou no final da tarde, a ave bate as asas e plana por curtos períodos de tempo.

Já quando está claro e quente, os indivíduos batem as asas continuamente logo após atingir a altitude de pelo menos 610 metros.

Tem a capacidade de planar por distâncias que variam de 16 a 24 quilômetros, conservando muita energia.

Por esse motivo, a espécie voa para locais mais distantes, com o pescoço estendido e pés e pernas arrastando-se atrás dele.

Além disso, saiba que quando o pássaro voa para as áreas de alimentação, a velocidade média é de 24,5 quilômetros por hora.

Quando o voo é agido, alcança 34,5 quilômetros por hora.

ave cabeça-seca

Reprodução do Cabeça-seca

O Cabeça-seca nidifica em colônia, sendo que podemos observar até 25 ninhos na mesma árvore.

A altura do ninho varia, tendo em vista que alguns nidificam em árvores de mangue mais altas com 6,5 metros ou árvores com no máximo 2,5 metros.

Alguns indivíduos não fazem o próprio ninho, jogando os ovos e filhotes para fora do ninho daqueles que nidificaram.

Portanto, caso somente uma cegonha esteja cuidando do ninho e tenha sido expulsa por outro indivíduo, ela espera o seu parceiro para que ambos tentem recuperar o ninho.

O processo de reprodução tem início com o aumento da oferta de alimento (peixes) que é provocado pela queda no nível da água.

Assim, a fêmea coloca de 3 a 5 ovos de cor creme que são incubados por até 32 dias por ambos os pais.

Ao decorrer da primeira semana de incubação, o casal não se afasta muito da colônia.

Isso ocorre somente quando é necessário comer ou coletar materiais de nidificação.

O indivíduo responsável pela incubação pode fazer pausas a fim de se alisar, esticar, girar os ovos ou reorganizar o material do ninho.

Nesse sentido, os pintinhos recém-nascidos têm uma camada de penugem cinza, sendo substituída em 10 dias por pelos compridos e crespos da cor branca.

O crescimento é rápido, pois os pintinhos têm metade da altura dos adultos em até 4 semanas de vida.

Quando emplumados, tornam-se iguais aos adultos, com exceção do bico amarelo e da cabeça emplumada.

ave cabeça seca

Alimentação

Durante o período de seca, o Cabeça-seca se alimenta de peixes, complementando a dieta com os insetos.

Nesta época, o animal se alimenta caminhando de forma lenta para frente com o bico submerso na água, ao mesmo tempo em que apalpa a presa.

Por conta das estratégias não visuais, a espécie precisa de água rasa e uma grande quantidade de peixes para forragear com sucesso.

Em contrapartida, quando a estação de chuva chega, os peixes constituem somente a metade da alimentação.

Assim, 30% da dieta é composta por caranguejos e o restante é complementado por rãs e insetos.

Nesta época, o animal tem preferência por locais com vegetação emergindo entre 10 e 20 cm.

Com relação à presa mais relevante para a nutrição da espécie, vale destacar o seguinte:

Esta cegonha tem preferência pelos peixes maiores, por mais que os peixes de pequeno porte sejam abundantes.

Alguns estudos indicam que a cegonha grande precisa de 520 gramas por dia a fim de se sustentar.

Dessa forma, estima-se que 200 kg são necessárias por temporada de reprodução para a sustentação de uma família inteira.

A cegonha geralmente forrageia em bandos quando não está reproduzindo ou sozinha e em pequenos grupos na época de reprodução.

Aliás, devemos citar que o pássaro deve viajar mais de 80 quilômetros para chegar até as áreas de forrageamento.

Esta característica beneficia a espécie, visto que ela entra em contato com uma ampla variedade de habitats.

Com relação a alimentação dos filhotes, saiba que os pais regurgitam a comida no chão do ninho.

Esta comida se resume a peixes de 2 a 25 cm de comprimento, sendo que este comprimento aumenta conforme o desenvolvimento dos pintinhos.

Curiosidades

Como curiosidade sobre o Cabeça-seca, podemos falar inicialmente sobre o seu status de conservação.

Falando de forma global, a espécie é vista como “menos preocupante”, de acordo com a União Internacional para a Conservação da Natureza.

Mas, saiba que em determinadas regiões a espécie é vista como ameaçada.

Um bom exemplo seria os Estados Unidos, local em que os indivíduos estão em recuperação porque entre os anos de 1984 a 2014 houve grande declínio devido à seca e perda de habitat.

Outro exemplo promissor seria Santa Catarina, em que a espécie vem se recuperando, após o declínio que ocorreu na década de 1960 e meados dos anos 90.

É possível que os pântanos da região do rio Paraná tenham beneficiado o processo de reprodução da espécie.

De outro modo, devemos falar sobre as ameaças.

Por exemplo, a perturbação por turistas pode ter sido um dos fatores que atrapalham o processo de reprodução.

Tal informação foi comprovada por meio de um estudo que observou uma quantidade inferior de filhotes em ninhos que tinham barcos passando a cerca de 20 metros.

Outro grande risco para a espécie seria o sistema de drenagem ou dique que causam a mudança no tempo das flutuações da água.

Como resultado, o tempo de nidificação diminui, assim como a população.

cabeça seca

Onde encontrar o Cabeça-seca

O Cabeça-seca vive em locais subtropicais e tropicais, reproduzindo-se na maior parte das Américas do Sul e Central, além do Caribe.

Esta é a única cegonha que vive na América do Norte, em especial nos EUA.

Apesar de ter sofrido com o risco de extinção neste país, há pequenas populações reprodutoras na Flórida, Geórgia e nas Carolinas.

Logo após a época de reprodução, algumas populações da América do Norte passam para a América do Sul, vivendo em países como a Argentina.

Por isso, note que a espécie tem grande capacidade de adaptação quando falamos em habitats de pântanos tropicais e subtropicais.

A nidificação ocorre em árvores que estão sobre a água ou são rodeadas por água, bem como os indivíduos se alimentam em  pântanos de água doce em habitats com abundância de árvores Taxodium.

Gostou das informações? Deixe seu comentário logo abaixo, ele é muito importante!

Informações sobre o Cabeça-seca no Wikipédia

Veja também: Gavião-carijó: características, alimentação, reprodução, habitat e curiosidades

Acesse nossa Loja Virtual e confira as promoções!

Caixa de Comentários do Facebook

Você pode gostar

Deixe um comentário